fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Qual Será o Grande Lançamento de Fim de Ano da Nintendo?

Qual Será o Grande Lançamento de Fim de Ano da Nintendo?

Como é de conhecimento geral, é prática comum para as grandes publishers a distribuição de seus lançamentos ao longo do ano de maneira que permita adequado planejamento e execução de campanhas de divulgação e suporte pré e pós-lançamento. Em tal esquema, sempre é de costume deixar os maiores e mais relevantes títulos para momentos estratégicos do ano, como o meio de ano e também o fim do ano, para que sejam aproveitados momentos em que grande parte do público está de férias e tem mais disponibilidade para consumir os produtos e, de fato, jogar videogame.

Tomando como base tal estratégia, é fácil de se assumir que a Nintendo também jogará (como costuma fazer) nesses termos, e certamente a companhia está guardando algumas cartas na manga para esses períodos. Com nada anunciado ainda, a Nintendo tem duas opções: oferecer grande suporte pós-lançamento para os releases do primeiro semestre (entre os quais os maiores são Animal Crossing: New Horizons e a aguardada chegada de Xenoblade Chronicles ao Switch), ou pegar a todos de surpresa com um game que ainda não foi anunciado.

Visto que geralmente leva-se tempo entre o anúncio e o lançamento de um game, ambas as estratégias são arriscadas, pois com a primeira passa-se o grande momento de vendas do meio do ano sem nenhum título fresco, e com a segunda é possível que não se tenha tempo suficiente para gerar o hype necessário para impulsionar as vendas de um game recém anunciado.

Apesar de, como admirador que sou, estar torcendo para que a Nintendo realize ambas as ações que listei, sabemos todos que, quanto ao título do meio do ano, estamos totalmente no escuro. Porém, no que se diz respeito a um release de fim de ano, ainda é perfeitamente possível, e inclusive provável, que tenhamos um anúncio grande ainda com tempo suficiente para total desenvolvimento de uma campanha adequada de divulgação. Por isso, vamos tratar de analisar a possibilidade que algumas das grandes franquias têm de contarem com mais um lançamento no Switch no final de 2020. Vamos por partes:

Kirby

A gloriosíssima bolota rosa é o mascote que mais desfrutou de lançamentos na década passada, podendo gabar-se de regularidade incrível em seu calendário de releases, com um intervalo máximo de dois anos entre jogos lançados. Com isso em mente, somado ao fato de que Star Allies , a mais recente entrada da franquia (sem contar, é claro, o spinoff Super Kirby Clash, de 2019, focado em combate), saiu em 2018, é possível crer que a hora de uma nova aventura da série principal de Kirby se aproxima.

A franquia, no entanto, em seu estado atual, não carrega exatamente o mesmo peso que um novo lançamento de outras séries, como Mario, Zelda ou Pokémon (o mais recente título de fim de ano da Nintendo). Grande parte de seus releases na década passada foi para o 3DS, e no portátil, também não era a grande série na liderança. Apesar de o mascote em si continuar popular como sempre, sua linha de jogos hoje em dia é de menor apelo ao grande público, e concentra-se em seu nicho próprio de admiradores.

Por estar mais contida a seu público, a franquia pode inclusive ter um lançamento surpresa de meio de ano, ou até mesmo ser utilizada para preencher a metade do segundo semestre, com um novo jogo chegando às prateleiras em torno de setembro, mas é difícil crer que a Nintendo apostaria suas fichas em uma extensa campanha de divulgação de um semestre todo para ter Kirby como seu grande título do fim de ano.

Qual Será o Grande Lançamento de Fim de Ano da Nintendo?

Donkey Kong

Esta sim é uma franquia que bota um sorrisão na cara de qualquer fã de platformers assim que mencionada. Seus dois últimos jogos foram TÃO BONS que é difícil acreditar que Tropical Freeze não ganhará uma sequência.

Visto que o último release da série foi apenas um port para o Switch, em 2018, e que seu último título original é de 2014, não é nenhuma atitude exagerada de fanboy clamar por mais Donkey Kong o quanto antes. No entanto, como reportou o youtuber Arlo no fim do semestre passado, existem rumores de que a situação na Retro Studios não é das melhores no momento, com funcionários descontentes e mil problemas administrativos.

Não se sabe ao certo a veracidade destas informações, porém é fato que o estúdio não lança nada há tempos. Não nos esqueçamos também de que a Retro está cuidando de um outro “pequeno” jogo, sem pressão nenhuma para lançar uma obra prima: Metroid Prime 4.

Um estúdio de mãos cheias e com um ambiente potencialmente problemático não é exatamente uma combinação favorável para um lançamento iminente. Porém, são SEIS ANOS desde o último Donkey Kong, portanto é sim possível que estejam trabalhando em uma sequência há bastante tempo.

Metroid

É de conhecimento que Metroid Prime 4 está em desenvolvimento. Porém, apesar de ter sido anunciado em 2017, o projeto foi recentemente reiniciado pela Nintendo, sob alegações de que os responsáveis não estavam satisfeitos com o progresso até então, e queriam garantir que o jogo fosse uma sequência digna da reputação da série. Na ocasião, até colocaram o jogo em “novas” mãos, ficando o mesmo sob responsabilidade da Retro Studios (que já havia trabalhado nos outros principais títulos da série Prime).

Um desenvolvimento completamente reiniciado e toda a possível situação da Retro Studios que tratamos no tópico sobre Donkey Kong fazem com que a escolha de Metroid Prime 4 para o grande título de fim de ano do Switch seja, no mínimo, improvável.

Pikmin

Se os fãs de DK já estão no aguardo há seis anos, o que falar dos de Pikmin que não recebem um jogo da franquia há sete? Pikmin 3 saiu para o WiiU em 2013 e nem sequer recebeu um port para o Switch (o que é um lançamento muito possível a qualquer momento). Depois do spin-off em 2D Hey, Pikmin! para o 3DS, que saiu em 2017, a franquia não teve nenhum release.

Além do mais, aquele suposto leak do lineup da Nintendo para 2020 que saiu há uns meses e EXPLODIU na internet mencionava um jogo com mecânicas em RTS (real time strategy), o que, em termos nintendistas, praticamente significaria ou Pikmin ou algo completamente novo. Porém infelizmente não existe nada sobre o desenvolvimento de um port ou título original confirmado até o momento.

Qual Será o Grande Lançamento de Fim de Ano da Nintendo?

Zelda

Aguardado? Sim. Anunciado? SIM! Finalmente chegamos à única franquia da Nintendo que de fato tem um título confirmado e anunciado. A sequência do aclamadíssimo Breath of the Wild, no entanto, ainda não recebeu nem indício de janela de lançamento, e o histórico da série não ajuda muito nessas horas. Jogos da franquia Zelda claramente priorizam qualidade à quantidade, e costumam levar muito tempo em seu desenvolvimento, incluindo um histórico frequente de adiamentos.

Estamos aqui tratando, porém, de uma exceção no cenário típico de desenvolvimento, em que há de se montar toda uma engine e desenvolver todo o universo e suas mecânicas do zero. Por ser uma sequência, o jogo reutilizará todos os modelos do anterior, o que pode substancialmente reduzir seu tempo em produção.

Os fãs, porém, foram agraciados com o remake de Link’s Awakening no semestre passado, o que pode levar a companhia a priorizar outras franquias para este ano e deixar o time de desenvolvimento de Zelda trabalhar com calma. Além do mais, 2021 marcará o aniversário de 35 anos da série, e pode ser que este seja o grande título comemorativo para a ocasião.

Qual Será o Grande Lançamento de Fim de Ano da Nintendo?

Mario

Falando em aniversários, chegamos ao aniversariante. Poucas vezes eu vi tanta gente empolgada com um rumor quanto nesta última semana quando aquela MASSIVA lista de games do encanador tomou a internet de assalto, com a promessa de um catálogo extenso de lançamentos em 2020 para comemorar o aniversário de 35 anos da série mais famosa do mundo dos games.

Com a abertura do parque de diversões Super Nintendo Land, é muito possível que a Nintendo esteja sim preparando uma festa de arromba no mundo dos games para celebrar seu grande mascote. O rumor envolvia remasters de Super Mario 64, Super Mario Sunshine e Super Mario Galaxy (com a possibilidade de sua sequência também figurar junto a eles), além de um novo título da série Paper Mario e um port de Super Mario 3D World ao Nintendo Switch.

Trazendo mais apelo ao catálogo, informações adicionais ao rumor diziam que os remasters fariam parte de uma coletânea que receberia o nome Super Mario All Stars 2, “sequência” de uma coletânea de relançamentos da série que a Nintendo já realizou em 1993.

A única coisa confirmada, no momento, referente à franquia Super Mario, no entanto, é um set de brinquedos LEGO, anunciado pelas duas companhias no Mario Day, em março. Porém, é bem provável sim que, ainda que este rumor pareça um exagero, no mínimo um destes títulos chegue ao Switch no fim do ano.

Vale notar, também, que, semelhante à serie Galaxy, que teve o jogo original em 2007 e sua sequência em 2010, é bem possível que exista um time desenvolvendo uma continuação de Super Mario Odyssey (2017) ainda para este ano. No mesmo caso do novo jogo da franquia Zelda, tal sequência poderia reutilizar toda a engine e modelos do jogo anterior e expandir sobre as ideias já presentes. Vale lembrar que Odyssey foi anunciado na E3 de 2017 e chegou às prateleiras no mesmo ano, então nada impede que o mesmo ocorra com uma eventual continuação. Tudo é possível para o encanador neste momento, e, honestamente, quanto mais vier, melhor.

Considerações Finais

Não há como encerrar a discussão sobre lançamentos de fim de ano sem abordar a questão do momento atual global. É bem possível que quaisquer planos e/ou cartas na manga que a Nintendo pudesse ter para o fim do ano sejam amplamente prejudicados pela questão da pandemia do COVID-19.

Se nós, fãs, já estávamos no escuro antes mesmo de considerar tal contexto, agora temos um novo elemento muito impactante que pode completamente alterar ou adiar quaisquer lançamentos na indústria do entretenimento, como já se está sendo observado com os grandes filmes do meio do ano de Hollywood.

Claro que os games são, em sua ampla maioria, consumidos em casa, e não atuam como grandes geradores de aglomerações sociais, porém os desenvolvedores em si podem ter seu trabalho amplamente prejudicado, o que pode ter os mais diversos impactos em todos os calendários de release de todas as publishers do ramo. O momento atual é de prudência e paciência, dentro e fora do mundo dos games. Aguardemos, e fiquemos em segurança o máximo que pudermos, pois ainda temos muito o que jogar nos próximos anos!

Daniel Hebling
É arquiteto, mas se formou falando sobre design de games. É músico, mas compõe inspirado em trilhas de games. Escreve, mas escreve sobre games. Deu pra pegar o tema? :)