fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Neon City Riders

Neon City Riders – Ação eletrizante em um mundo ‘neon-noir’

Você já deve ter ouvido falar ou assistido Blade Runner. O filme de Ridley Scott é considerado um clássico de ficção científica e tem uma estética chamada neo-noir, aquele mundo futurista andróide que os filmes do passado acreditavam que seria o mundo atual pós-apocalíptico. E é com uma estética assim que Neon City Riders apresenta sua história, com uma pitada de anos 80 e clássicos dos games 16-bit.

Neon City Riders - Ação eletrizante em um mundo 'neon-noir'

A Decadência de Neon City

A cidade Neon City está em decadência e cabe a você, Rick, um vigilante mascarado radical, vencer as gangues superpoderosas existentes na cidade vencendo hordas de inimigos, completando missões e desbloqueando novos caminhos resolvendo puzzles desafiadores, para trazer paz aos humanos e andróides que vivem ali.

E Neon City tem tudo que uma cidade decadente neo-noir tem. Os caminhos são tortuosos, complicados, cheio de inimigos e luzes piscantes. Mas isso so torna a experiência mais divertida. Descobrir os segredos, achar novos caminhos, e ir e voltar pela cidade é uma atividade que não fica monótona, pois nada parece mais do mesmo, apesar de muitas vezes você se perder pelos caminhos.

Neon City Riders - Ação eletrizante em um mundo 'neon-noir'

O Vigilante Mascarado

Você como Rick tem que combater os inimigos e chefes do jogo em busca dos seus poderes, que ajudam você a melhorar o seu combate. Logo no começo do jogo você testa todos os seu poderes e habilidades, mas perde eles e deve buscá-los pela cidade.

É uma premissa interessante você começar com todas as habilidade e depois somente com o ataque simples principal ter que ir buscar os outros poderes. Seus inimigos vem de todos os lados e tem padrões que ataque que torna o aprendizado na jogabilidade algo envolvente e com gradativa dificuldade.

O problema neste ponto é a repetição. Por você precisa andar por vários locais da cidade, várias vezes (para abrir caminhos que antes não conseguia sem alguma habilidade específica por exemplo), o trabalho de derrotar os mesmos inimigos nos mesmos locais toda vez que você entra em uma nova tela, pode atrapalhar o ritmo do jogo.

Os chefões, no entanto, são bem trabalhados e apresentam uma boa dose de dificuldade ao jogo. Você irá morrer várias vezes sim até aprender o padrão e como vencê-los, e quando seu músculo da repetição aprender, já será hora de mudar para um outro desafio.

Neon City Riders - Ação eletrizante em um mundo 'neon-noir'

Referências a Cores

Um dos pontos altos (e também por vezes baixo) do jogo é sua estética. Uma homenagem a era 16-bit e muitas referências aos anos 80, à distopias, ao cyberpunk. De cidades recheadas de luminosos neon, à esgotos tóxicos e lixões robóticos abandonados, Neon City Riders apresenta uma arte bem trabalhada nos detalhes que por vezes cansa pela quantidade de informação e vezes que você precisa repetir a mesma tela.

A história é divertida e traz elementos interessantes a um plot simples e, mesmo que seja muito em torno de recuperar as suas habilidades, vale a pena ser jogada. Entender como aquele mundo chegou ali pelas entrelinhas te coloca ainda mais dentro do jogo e da vontade de continuar jogando e desvendando.

Neon City Riders - Ação eletrizante em um mundo 'neon-noir'

Quebra-Cabeças e Vidas Quebradas

Quando você não está lutando com hordas de inimigos, você está desvendando quebra-cabeças desafiadores. A quantidade de puzzles durante uma partida de Neon City Riders é muito grande e são todos bem trabalhados cheios de personalidade e que te deixam muito bravo quando você acaba por morrer no meio e ter que voltar desde o início.

E é aí que o jogo peca um pouco, mesmo com alguns checkpoints e pontos de viagem rápida que podem ajudar, sua barra de vida é bastante reduzida e a possibilidade de repor essa vida é pequena também. Você pode carregar consigo até 3 itens de alimentação que você compra em máquinas que refrigerantes ou carrinhos de fast-food pelo jogo e cada item leva sua vida até o máximo.

O problema é que muitos inimigos e obstáculos são poderosos demais. Há inimigos que conseguem tirar toda sua vida com dois ataques e máquinas de laser que te derrotam em apenas um. Comer um hambúrguer ou tomar um refrigerante para repor sua vida ainda leva algum tempo que os inimigos não irão respeitar. Como suas habilidades por grande parte do jogo são poucas (apenas o ataque principal com o bastão, até você conseguir habilidades que te ajudam a desviar melhor de inimigos como o dash e o campo de força) você se torna refém de sempre estar atento a sua vida quando encontrando mais de um inimigo ou obstáculo a sua frente.

Neon City Riders - Ação eletrizante em um mundo 'neon-noir'

E vale a pena conhecer esta cidade?

Resumidamente? Sim. Neon City Riders traz uma nostalgia, uma diversão 16-bit em uma dificuldade digna de Super Nintendo (sem savepoints) em uma história divertida e um modo de exploração desafiador. Com pequenas falhas que por vezes atrapalham o ritmo do jogo, ele ainda consegue cativar e ser uma boa adição a sua lista de jogos com estilo retrô.

Colecionar todos os estilos de roupas, fazer as sides quests a descobrir toda a história por trás da decadente Neon City é uma experiência atrativa e cheia de personalidade.

8.4 / 10 Nota Final
Prós
- Estética 16-Bit
- Mundo Aberto
- Puzzles Desafiadores
Contras
- Ritmo Difícil
- Sistema de Vida Falho
- Repetição
Resumo
SNEStalgico! A estética e as referências de Neon City Riders são bem feitas, ao ponto de as pequenas falhas de ritmo e jogabilidade não se sobressaírem a elas, tornando a experiência geral do jogo divertida, desafiadora e atrativa.
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[Nota do Editor: Neon City Riders foi analisado a partir da sua versão para Nintendo Switch. A cópia do jogo foi gentilmente cedida pela publisher Bromio para avaliação.]

Neto Verneque
O corpo do Mario. A sociabilidade do Link. A fome do Kirby. E tão vencedor na vida quanto o Ash Ketchum.