fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Porque Super Mario 3D World merece sua atenção

Porque Super Mario 3D World merece sua atenção

De longe o título mais controverso da franquia à qual pertence, Super Mario 3D World é motivo de muito debate, dividindo os fãs entre os que o amam e os que o consideram claramente a pior experiência que os títulos em 3D do encanador podem oferecer.

Enquanto abordei os aspectos que – pelo menos ao meu ver – prejudicam o engajamento do jogador em 3D World, quando comparado aos outros títulos da série (em um texto que pode ser conferido aqui), hoje trataremos dos muitos aspectos positivos do game, e ilustraremos os motivos pelos quais este é um jogo que merece sua atenção – se, claro, você for um dos raros indivíduos com um WiiU para poder jogá-lo ou a Nintendo FINALMENTE anunciar sua chegada ao Switch.

Para melhor ilustrar os pontos, o texto será estruturado por tópicos comentando cada um dos aspectos positivos do jogo. Comecemos.

Level Design

O level design de 3D World é brilhante. Sem mais. Neste aspecto (e em outros também, como discutiremos adiante) o jogo parece ser um aperfeiçoamento da proposta de fase “curta”, trazida do 2D para o 3D em Galaxy e desenvolvida em Galaxy 2 e 3D Land.

Enquanto esta vertente já era lugar comum à epoca do game, o que encontramos aqui é claramente a “última forma” deste modelo de design. Cada mecânica apresentada é perfeitamente introduzida, para depois ser desenvolvida e subsequentemente colocada em contextos diferentes, meticulosamente seguindo a fórmula do Kishōtenketsu (introdução, desenvolvimento, reviravolta, conclusão) que a Nintendo tanto adora, o que permite ao jogo explorar milhões de ideias e mecânicas, algumas vezes até simultaneamente, sem confundir o jogador ou ter que elaborar tutoriais em texto.

Porque Super Mario 3D World merece sua atenção
Cakewalk Flip é uma das fases mais célebres e analisadas do jogo, com sua perfeita introdução e desenvolvimento da mecânica de paineis giratórios.

Por ter sempre contato com novas mecânicas, o jogador está sempre aprendendo. O gameplay, portanto, jamais passa por momentos estagnados de repetição barata. Há sempre algo interessante na próxima fase, o que torna o game uma experiência variada e gratificante (ainda que o investimento emocional do jogador seja deixado um pouco de lado).

Com uma criatividade ímpar na hora de pensar nas mecânicas e uma fórmula infalível de traduzir tais mecânicas de maneira didática e divertida, Super Mario 3D World está em um raríssimo patamar de qualidade no que diz respeito ao level design.

Outro ponto forte a se destacar por aqui é o design do overworld, em que, diferentemente dos outros títulos da série, o jogador tem livre controle do personagem para explorar cada canto do mapa como quiser, o que abre ao jogo a possibilidade de esconder segredos e itens não apenas nas fases mas também nos mundos.

Múltiplos personagens e Multiplayer

O jogo nos oferece quatro personagens jogáveis do início e mais um (que jamais nomearei, caso alguém ainda não saiba) desbloqueável ao longo do gameplay. A melhor parte de tudo isso é que tais personagens não são tratados apenas como diferentes skins de Mario, e sim possuem características diferentes de gameplay.

Mario é um personagem balanceado e carrega em si as mesmas características às quais estamos acostumados quando o controlamos em outros títulos da série, enquanto seu irmão Luigi é um pouco mais desengonçado em seu movimento, porém possui um pulo muito mais alto. Para completar o time, temos Toad, o mais veloz, que, porém, pula mais baixo que os outros, e Peach, um pouco mais lenta, porém com a habilidade de flutuar por um leve período de tempo após um pulo (e, portanto, é tratada geralmente pelos fãs como o modo fácil do jogo).

Ao início de cada fase, o jogador é livre para escolher qualquer um dos personagens e com tal embarcar na aventura. E se escolher um por vez já traz variedade ao gameplay, a experiência fica ainda mais divertida (e altamente caótica) quando se joga no modo multiplayer, em que o jogo se adapta para incentivar uma espécie de corrida entre os jogadores, onde o vencedor recebe uma coroa para ostentar até ser “destronado”.

Porque Super Mario 3D World merece sua atenção
O caótico e divertido multiplayer de Super Mario 3D World.

Rejogabilidade

Por apresentar múltiplos personagens, opção multiplayer, aliados a uma série de colecionáveis e muitos e muitos segredos a serem descobertos, 3D World realmente é uma experiência que implora para ser jogada e rejogada muitas vezes. É o melhor título da série para se jogar com amigos, e oferece variação suficiente ao longo do gameplay para valer mais de um playthrough mesmo no modo single player.

Com o tanto de conteúdo apresentado, é praticamente impossível encontrar cada nuance meticulosamente encaixada em cada um de seus ambientes em uma única visita a eles, e o que poderia se tornar um backtracking chato para os que têm o desejo de completar 100% das tarefas pode dar lugar a uma experiência completamente nova, trocando-se o personagem no comando ou convidando outros jogadores para acompanhar na jornada.

Nostalgia

O jogo toma a sua premissa cômica e despretensiosa como oportunidade para mergulhar de cabeça na nostalgia, com referências e homenagens frequentes a títulos clássicos do encanador e de toda sua família. Seja em momentos enfáticos do jogo ou no mais obscuro dos posicionamentos, sempre que há uma oportunidade, algo é apresentado para agradar os fãs de longa data franquia.

Não falaremos nada aqui para não estragar a surpresa, mas é muito interessante o fato de que o jogo, além de ser uma boa e acessível introdução à saga de Mario para iniciantes, também não poupa esforços para dedicar momentos especiais a quem já está bem familiarizado com o conteúdo da série. Nestes termos, o jogo frequentemente se posiciona como uma enorme celebração de tudo que envolve o nome Super Mario.

Super Bell e Double Cherry

Dois são os novos power-ups introduzidos em 3D World, o Super Bell e a Double Cherry. O primeiro transforma o personagem em sua versão felina, e a segunda cria uma cópia idêntica do personagem que é controlada simultaneamente.

Ambos os power-ups são incrivelmente divertidos, sendo que a versão felina dos personagens tem abre muito caminho para exploração verticalizada devido à sua habilidade de escalar paredes e a criação de cópias dos personagens instantaneamente instaura um caos delicioso em qualquer momento onde aparece. Vale dizer também que tais cópias são cumulativas, e é perfeitamente possível chegar a quatro ou cinco Marios simultaneamente, o que além de ser um desafio maravilhoso nunca falha em arrancar risadas de quem joga.

Trilha sonora

A trilha sonora de Super Mario 3D World é a melhor da série. Pronto, falei. Ela não é tão épica quanto a de Galaxy, nem tão temática quanto a de Sunshine, porém se no level design este jogo é um aperfeiçoamento de uma fórmula que já vinha sendo empregada, na trilha sonora tal relação também existe.

Com um conceito mais cômico e cartunesco, o approach central para os temas musicais gira em torno do som empolgante das big bands de jazz, com uma instrumentação precisa e efervescente. Há, no entanto, muita variação na paleta sonora por aqui, e a coesão vem mais no formato das músicas do que no estilo musical e nos timbres em si, e percebe-se que os compositores não pouparam esforços para realmente trazer ao público ilustrações sonoras perfeitas dos momentos dentro do jogo.

Porque Super Mario 3D World merece sua atenção
A música perfeitamente ilustra o tom caótico e cartunesco do jogo.

Neste jogo, não há uma música que seja menos que excelente, e isto ocorre pois, após múltiplos jogos trabalhando neste formato de fases lineares e curtas, os compositores já tinham absorvido o máximo de experiência para compor peças constantemente impressionantes, que não apenas sonorizam perfeitamente os ambientes, mas também nos apresentam melodias icônicas e simples, daquelas que parecem terem sempre existido em nossas mentes. O formato condensado permite estruturas em loops curtos, o que abre muito espaço para a criatividade e a transformação de ideias musicais simples e concisas em faixas de uma solidez ímpar, instantaneamente memoráveis.

Considerações finais

Com muito tempo dedicado a 3D World, pudemos, em dois textos diferentes (lembrando apenas que o anterior pode ser conferido aqui), discutir os pontos positivos e negativos do jogo. Certamente, não há de se duvidar da controvérsia, nem dos legítimos motivos pelos quais muitos não consideram este jogo um dos destaques da franquia.

É, também, ao meu ponto de vista, inegável que 3D World, ainda que não corresponda às expectativas desta parcela dos fãs, nos providencia mil e uma qualidades e razões para jogar. Seja pelo multiplayer, pela variedade, pelo level design… existe sim algo para você neste jogo.

E é justamente falando sobre expectativas que gostaria de encerrar este texto. Para mim, 3D World é, por alguns, incompreendido, pois ele realmente nem sempre vai de encontro com o que se espera de uma entrada típica na franquia. Porém, se de fato aqui temos um menor envolvimento emocional e uma proporção menos épica do que o esperado, somos mais do que compensados por isso com as fantásticas fases, um charmoso e deliciosamente insano trajeto e, sobretudo, uma experiência muito divertida, que, apesar de diferente, merece sim mais atenção do que recebe.

Daniel Hebling
É arquiteto, mas se formou falando sobre design de games. É músico, mas compõe inspirado em trilhas de games. Escreve, mas escreve sobre games. Deu pra pegar o tema? :)