fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Para muito além do Reino dos Cogumelos...

Para muito além do Reino dos Cogumelos…

Sempre que pensamos na figura de Mario e sua turma a primeira coisa que vem a mente é o seu mundo extremamente rico e bonito. O Reino dos Cogumelos é o pano de fundo das aventuras do encanador, onde, geralmente, seu eterno duelo contra o tirano Bowser ganha novos capítulos a cada jogo. Mas, nem só de Reino do Cogumelo ou de salvar a princesa Peach vive o eterno Jumpman! Chega o momento que o seu ideal de herói ultrapassa os limites do Reino dos cogumelos e o leva a enfrentar novos vilões numa terra muito distante!

Mario resolve se aventurar pela primeira vez fora do Reino dos Cogumelos no ano de 1989 e não mais nas telas da sala e com sprites coloridos do NES, mas sim na pequena tela preto e branca do amado GameBoy. Em Super Mario Land temos o primeiro jogo portátil do encanador seguindo o estilo plataforma que trouxe a aclamação tanto à franquia quanto ao próprio gênero.

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Super Mario Land – 1989

Sejam bem vindos a Sarasaland!

Apesar das limitações de tela e cores nada pode apagar o brilho de Sarasaland. Uma terra totalmente nova, cheia de novos personagens e novas histórias é apresentada aos já familiarizados com o reino dos Cogumelos. Mas as belezas de Sarasaland infelizmente sofreram um grande colapso quando num belo dia o céu viu-se coberto por nuvens negras. No meio dessas nuvens surgiu uma grande rachadura e dela apareceu o ser espacial Tatanga, o grande vilão dessa história. Tatanga utilizou de seus poderes para hipnotizar todos os moradores de Sarasaland e seus reinos para assim poder controlar a todos. Aqui vale um destaque especial: Os inimigos que vemos no jogo não são meros capangas de Tatanga como os que vemos nos embates contra Bowser, eles são seres hipnotizados por um vilão (isso não te dá um certo sentimento de culpa ao enfrenta-los? Melhor deixar isso de lado né).

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Muito mais que um mero clone (apesar de parecer bastante)

Além de todo o controle de Sarasaland, Tatanga tem um outro objetivo:  sequestrar a princesa Daisy e casar-se com ela. Espera ai, Daisy? Sim essa mesma Daisy que vocês está pensando. Apesar das semelhanças muito grandes (tanto físicas quanto até mesmo em história como estamos vendo) ela não é um mero clone da Peach, mas sim uma princesa regente de Sarasaland e que possui uma grande importância em toda a história da Franquia Mario Bros.

O Herói entra na história

Uma terra sendo atacada por um terrível vilão e uma princesa sequestrada? Claro que Mario se vai entrar nessa! E lá se vai o bigodudo para essa terra desconhecida deixando tudo para trás, inclusive seu irmão que não aparece nessa jornada. Ao chegar a Sarasaland não só os inimigos (que são os moradores de lá, lembrem-se disso e sofram) mas também alguns Powerups mudaram em relação aos já conhecidos. O Super Mushroom e a estrela (que além de te dar invencibilidade toca musica de Can Can clássica de Offenbach, Mario também é cultura) continuam iguais porém a Fire Flower da lugar a Superball Flower. Agora Mario não atira mais fogo mas uma bola que quica e não só mata inimigos mas também coleta moedas (Obrigado Nintendo por ter resgatado esse item agora em Super Mario Maker 2). Outra mudança interessante foi a substuição do Life Mushroom por um coração, essa troca obviamente foi feita devido as limitações de cores do Game Boy.

Uma jornada de 4 Reinos

Mario nessa nova aventura terá de atravessar os quatro reinos que formam Sarasaland: Birabuto, Muda, Easton e Cha. Cada um dos reinos possuem referencias muito interessantes e diferentes do que já havia sido apresentado nos jogos anteriores, mostrando que Sarasaland é realmente muito complexa e cheia de novidades.

Começando pelo reino de Birabuto com seus claros elementos egípcios, com direito a uma espécie de pirâmide com hieróglifos e esfinges. O guardião desse reino é o grande King Totomesu, uma esfinge que cospe fogo e, apesar de sua aparência, não irá te dar muito trabalho.

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Não se deixe enganar pelas aparências, ele é bem manso

Seguindo adiante agora adentrando a realidade aquática do reino de Muda. Muitos peixes e cavalos-marinhos surgem a nossa frente, e Mario precisa apelar para algo totalmente novo em sua jornada: Um veiculo de combate!

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Fogo em baixo d’agua, vemos aqui!

Sim, você leu certo, Mario agora utiliza de um submarino para poder seguir seu trajeto. É a primeira vez que vemos Mario pilotar algum meio de transporte. Ele ainda nem tinha começado a correr em seu kart envenenado. Em Muda ele se serve de um submarino para enfrentar os desafios que surgem e combater Dragonzamasu, o Cavalo-marinho Guardião do Reino.

Seguindo sua jornada, Mario agora desbrava o reino de Easton, uma terra que remete a famosa ilha de Páscoa, situada no território Chileno. Aqui vale uma pausa: perceberam que um certo jogo de Nintendo Switch bebeu das fontes de Sarasaland e suas viagens para levar Mario também numa “Odisseia”? Sim, é inegável a influência que Super Mario Land trouxe para Super Mario Odissey, inclusive em inimigos como o retorno de Tokotoko.

Mas voltando a Easton Mario passa a ter um pouco mais de aperto daqui para frente. O jogo que parecia simples e amigável recebe um salto de dificuldade significativo, levando aos jogadores mais casuais a terem possíveis acessos de raiva com saltos em plataformas dinâmicas, incluindo uma pedra que rola sobre espinhos. Após perder algumas vidas Mario enfrenta Hiyohoi (Uma versão mais forte dos Tokotoko).

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Hiyohoi e suas pedras bem enjoadas

Chegando em seu último destino antes da batalha final, Mario adentra o reino de Cha, um local com clara influência oriental. Ainda mais desafiador que Easton, Cha conta inclusive com uma espécie de inimigo zumbi, o Pinopi, que não pode ser derrotado, apenas nocauteado brevemente. Mas isso não impede que Mario siga sua jornada agora não mais pulando, mas sim voando. Mario, que já havia pilotado um submarino, agora se arrisca no céu com um avião.

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Sim, Bionkinton ser uma nuvem é frustrante demais!

Entre pássaros, raios, aviões e galinhas (sim, galinhas) Mario a bordo de seu bombardeiro rasga o céu em busca do último servo de Tatanga: Bionkinton. É, aqui fica difícil dizer, mas, depois de chefes icônicos enfrentar uma nuvem que lança galinhas é meio frustrante. Porém é uma luta justa, tendo um nível de dificuldade aceitável.

Entretanto a surpresa vem logo depois, apesar da bela nuvenzinha ter sido derrotada o jogo não te da pausa nem chance de respirar, é hora de enfrentar Tatanga e todo o seu poder. Muito tiros no céu de Sarasaland são trocados até que finalmente você consegue derrotar o alienígena e salvar Daisy!

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Tatanga e sua nave espacial

Acabou? Será?

Super Mario land é um grande clássico do Game Boy e de toda a franquia Mario, trazendo uma nova terra cheia de novos personagens cativantes, que todo fã da franquia deve conhecer. Porém, a história dessa terra não acaba aqui, alguém estava por trás de tudo isso e resolveu atacar em quanto Mario estava fora… quem será? Isso veremos na continuação dessa jornada inesquecível de Mario!

Para muito além do Reino dos Cogumelos...
Quem será?

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]