fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Aquele futebol com os amigos...

Aquele futebol com os amigos…

Jogo de futebol (virtual) é uma unanimidade mundial, (quem ama: ama e quem odeia: odeia) e vende todo ano milhões de cópias pelo mundo a fora. Mas não quero falar da parte técnica e sim do lado inclusivo do jogo, da diversão e das “peladas virtuais” cheias de rivalidade e palavrões dignos dos grandes clássicos nos maiores estádios do planeta bola.

Aquele futebol com os amigos...
Assopra!

Saber que aqueles botões do SNES transformavam o maior perna de pau (eu) em um craque capaz de dar “bicicleta”, “chapéu”, e fazer lançamento de Gerson (Google) eram o ápice da alegria, pois até aquele amigo bom de bola e cheio de si (por saber jogar com os pés) seria goleado sem a menor cerimônia ou dó. Aliás a “zoação” muitas vezes se estendia por semanas até a revanche acontecer.

Aquele futebol com os amigos...
Allejo, meu craque!

Cada um tinha seu time e esquema tático definido dentro das possiblidades existentes no International Superstar Soccer Deluxe, (SNES) que foi pioneiro em “peladas virtuais” nas salas de estar de todo Brasil. Bem colorido, simples de jogar e com efeitos sonoros muito bons caiu fácil nas graças dos “peladeiros” sem qualquer habilidade nos pés. Cada gol feito tinha gritaria e torcidas se formavam ao redor da partida com emoção a cada jogada bem feita ou gol perdido (meu pai era um corneteiro).

Aquele futebol com os amigos...
Teste pra cardíaco, amigo!

Somada a todas essas coisas, olhando agora depois de tantos anos, o fator inclusão sempre foi o maior benefício do jogo. Sim todo “game” é inclusivo. Porém, considerando o futebol um jogo que já foi usado pra excluir muitas pessoas naquela hora de escolher os times na quadra da escola, o “gordo“, o “lento“, o que não sabia jogar, as meninas tiveram a chance de demonstrar que não só sabiam jogar como também gostavam de futebol.

Aquele futebol com os amigos...
Só jogão!

Com o controle na mão e o cartucho devidamente assoprado, dependia apenas dos seus dedos, reflexos e leitura de jogo para poder ganhar/perder de igual pra igual contra o “bully” da escola ou aquela amiga que batia um bolão (sem piada aqui). Conheci várias meninas que faziam questão de golear aqueles caras chatos que não “jogavam com mulher”, não deixavam elas sequer pisarem na quadra, utilizando um machismo idiota que até hoje permeia o mundo real do futebol. Presenciar aqueles gols vingadores tinha um sabor muito doce, afinal eu também não podia jogar com eles por ser gordo e não saber jogar direito ( como se fossem todos craques de seleção).

Aquele futebol com os amigos...
Menina não sabe jogar?

Por alguma razão que um dia será explicada (acho que já foi) os gamers atuais ainda perpetuam esses preconceitos contra quem não sabe jogar e com as mulheres “gamers” (que jogam muito), trazendo à tona apenas a velha insegurança dos “machos” amedrontados com a perspectiva daquela derrota/goleada sofrida por um cara ou menina que (na opinião deles) não sabem nem jogar e portanto, não deviam sequer estar ali. Pensei que jamais seria ofendido novamente por não ser bom ou estar aprendendo um jogo, todavia uma partida de Overwatch e um babaca no meu time trouxeram todas essas lembranças de volta (eu bloqueei o idiota e fim).

Aquele futebol com os amigos...
Só na habilidade!

Carrinhos, gol contra, cartão vermelho e golaços não só apimentavam a amizade como também transformavam todos em iguais, independente de gênero, porte físico, necessidade especial ou qualquer outra desculpa esfarrapada que impedia esses amantes do esporte de correr atrás da bola na vida real. Sim tinha briga e discussões mas, a regra era clara: perdeu passa a vez e todo mundo joga junto.

Aquele futebol com os amigos...
Existe mais inclusão que um cachorro apitando?

Bom domingo. Mega Abraço.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

NEStálgico
Nerd, nostálgico, pai e professor. Reclamador profissional com PHD em Harvard. Conheço o Mario, e daí? Assopra a fita e bora jogar! Canal Noobice Total, no Youtube!!!