Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

Pense como um desenvolvedor independente, com ideias mirabolantes e promissoras mas sem poder aquisitivo para impulsionar seus jogos. Essa é a realidade de muitos desenvolvedores que buscam seu espaço nesse ramo de entretenimento, onde quem manda é o capital. Felizmente o apoio necessário para tornar projetos (jogos, livros, arte, design, tecnologia em geral) realidade já está aí há algum tempo. Das ideias de Charles Adler, Perry Chen, e Yancey Strickler, surgiu o Kickstarter. Nem um potencial seria desperdiçado agora, por que o intuito do site é estimular ainda mais a criatividade através de um financiamento coletivo. A união faz a força, sendo mais específico, o Kickstarter funciona da seguinte forma: você pensa em algo, explica seu projeto através de um formulário, e se aceito pelo site, é preciso ter a colaboração do público para alavancar fundos e ver sua ideia sair do papel. Para o público é como comprar em antecipado no caso de jogos: a doação é convertida na cópia daquele titulo em questão. É formidável, e compensador. Todo mundo ganha; desenvolvedores, público, além do próprio Kickstarter é claro.

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais
Charles Adler, Perry Chen, e Yancey Strickler : fundadores do Kickstarter.

Jogos Indies seria uma tendência de qualquer forma sem o Kickstarter, é verdade. O carinho que cada desenvolvedor independente aplica e a maneira como um baixo orçamento compensa com alta criatividade é incrível. A prova disso é ver alguns desses jogos figurar na principal categoria do The Game Awards, como Celeste e Hades. De qualquer forma o Kickstarter é muito mais que um “pontapé inicial”, e ajudou a firmar o conceito Indie, funcionando como um meio que certifica que o público tome conhecimento de projetos que optam em utilizar tal recurso — o resto é com a gente; nós decidimos qual deles iremos promover e apreciar. No Nintendo Switch, os Indies são vistos com bons olhos. A Nintendo não só apoia, como promove Directs destinadas exclusivamente a esse cenário, a Indie World Showcase. Em um caso de amor mútuo, desenvolvedores independentes parecem ter encontrado a plataforma ideal para lançar seus jogos; um console versátil com o público que quer ver criatividade e jogabilidade em primeira instância, deixando super gráficos em segundo plano.

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais
O Indie que surpreendeu a todos no ano de 2020: Hades.

Além de jogos Indies tivemos a ascensão dos chamados “sucessores espirituais”. Sabe aquela franquia de nome esquecida sem chance de ter uma sequência? É disso que se trata. Com nome e elementos diferentes mas mantendo a essência, os sucessores espirituais geralmente são idealizados por desenvolvedores ilustres que deixaram grandes empresas no passado. A margem de acerto em entregar algo de qualidade é maior com “medalhões” a frente desses projetos, despertando ainda mais o interesse público em ajudar no Kickstarter. Sem dúvidas trazer a tona essas experiências mexe com o fã, e ainda serve como um “tapa na cara” para acordar as desenvolvedoras, que não dão a mínima e insistem em deixar grandes franquias no limbo (né “dona” Konami?).

Entre Indies e sucessores espirituais, separei alguns jogos que tem ou já teve seu projeto iniciados pelo Kickstarter. Vale a pena conferir.

Eiyuden Chronicle: Hundred Heroes

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

Trazendo a memória dos RPGs antigos que perduraram no Playstation, Eiyuden Chronicle: Hundred Heroes é o sucessor espiritual de Suikoden (1995), criado por Yoshitaka Murayama. Além de Yoshitaka Murayama, o novo projeto conta com outros membros na equipe de desenvolvimento atuantes em Suikoden, Junko Kawano e Osamu Komuta. O time fecha com o renomado diretor de Castlevania Aria of Sorrow, Junichi Murakami. Eiyuden Chronicle: Hundred Heroes apresenta visual que mescla o 2D e 3D, com profundidade nos cenários. O enredo é sobre guerra, intenção e sentimentos de incríveis 100 personagens que estão disponíveis. A campanha no Kickstarter tinha como orçamento mínimo de $500.000 para ser lançado, mas facilmente atingiu todas as metas, ultrapassando mais de $4.500.000 — sendo considerado o 3° jogo mais bem sucedido do site (atrás apenas de Shemmue 3 e Bloodstained : Ritual of the Night). Eiyuden Chronicle: Hundred Heroes é previsto para 2021, em diversas plataformas inclusive o Nintendo Switch. Você pode conferir aqui como foi o andamento da campanha, que teve como ultima meta a adição de português do Brasil — provando mais uma vez nossa força, que sempre apreciou jogos do gênero.

Romancelvania

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

No mesmo segmento de Bloodstained : Ritual of the Night que alcançou marcos incríveis no Kickstarter, Romancelvania iniciou seu projeto como mais uma opção de Castlevania. Na verdade Romancelvania tem suas particularidades, e pode até ser considerado como uma paródia a Castlevania, do que um sucessor espiritual propriamente dito. Isso por que além do estilo e ação presentes em Castlevania, o jogo trás elementos de relacionamento com outros personagens e customização do ambiente. Romancelvania já arrecadou o valor suficiente para ter seu lançamento confirmado no Nintendo Switch, mas continua sua empreitada para alcançar novas metas. Você pode consultar o andamento do projeto no Kickstarter por aqui, tal como colaborar com seu desenvolvimento.

Yooka-Laylee

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

Esse é o exemplo mais claro de um sucessor espiritual. Tudo em Yooka-Laylee foi pensado no Clássico Banjo-Kazooie. Desenvolvido pela Playtonic, empresa fundada por ex-funcionários da Rare, Yooka-Laylee consegue envolver o jogador com toda magia do plataforma 3D, combinando exploração, puzzle e coleta de itens. Como acontecia em Banjo-Kazooie, o charme é poder aprender habilidades variadas com a dupla de protagonistas. Yooka-Laylee foi sucesso imediato no Kickstarter, alcançando sua meta estipulada para ser lançado nos primeiros 40 minutos em que o projeto (confira aqui) entrou no ar. O jogo era planejado para sair no Wii U, mas devido alguns problemas técnicos, acabou chegando somente no Nintendo Switch em 2017.

Chroma Squad

Kickstarter: da ascensão Indie, a sucessores espirituais

Nosso país também é muito bem representado com jogos no Kickstarter. Graças a Behold Studios desenvolvedora Indie de Brasília (responsável por Knights of Pen & Paper e Out of Space) temos Chroma Squad — RPG de estratégia , com gráficos em pixel art e premissa hilária. Com forte inspiração em Power Rangers, Chroma Squad retrata a insatisfação de cinco dublês de Tokusatsu, que resolvem “chutar o balde” e abrir seu próprio estúdio. É tudo muito interessante: podemos contratar atores, criar megazords e armas. No meio de uma customização e outra no estúdio de gravação, a “pancadaria” acontece com batalhas em turno. Disponível no Nintendo Switch, e tendo boa campanha realizada no Kickstarter (confira aqui), Chroma Squad é criativo demais para o público resistir.

Conhecem mais projetos ambiciosos no Kickstarter? Deixe nos comentários.

Muito obrigado por chegar até aqui. Abraço!


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Ney Brandini
Admirador do gênero RPG e treinador Pokémon da década de 90. Acredita que música e vídeo games são as válvulas de escape da vida.