Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Então, é Natal?

Então, é Natal?

Dois irmãos e uma ceia de Natal.
Dois irmãos e uma ceia de Natal.

Mario e Luzia nasceram como muitos brasileiros nascem, na dificuldade, na luta, de refeição em refeição juntando forças para sobreviver. Não faltava o pão, mas não sobrava para o luxo. Sonhavam em conhecer o mundo, aprender várias línguas e acima de tudo dar orgulho à mãe. Guerreira, professora, amiga e orientadora. Dona Joana. Não negava nem o carinho, nem o chinelo no bumbum mais serelepe. O amor dos três vencia a quase tudo. Aprendiam e cresciam juntos nas diversidades da vida.

Então, é Natal?
Companheiros de aventuras

Mario era estudioso, educado e jogador “profissional” do time de futebol da rua. Jogava no gol. Era sorridente. Sabia perder com uma maturidade que não era comum à um garoto de onze anos. Luzia gostava de vídeo games. Ganhou um Super Nintendo usado com algumas fitas do seu padrinho. Amava como cada botão tinha sua função e como cada fio se conectava com a placa. Tinha uma curiosidade muito comum à uma garota de 13 anos. Ele queria ser professor, como a mãe. Ela queria um jogo de chaves pra arrumar os controles e conseguir passar do mundo 2 de Donkey Kong Country 2. (O primeiro já estava com os 120% concluídos)

Então, é Natal?
Falta apenas um controle.

Luzia os via como os macaquinhos do jogo. Ela e o irmão. Cada um com uma habilidade capaz de ajudar ao outro em qualquer adversidade, problema ou prova de Matemática que ela nunca conseguia entender. Seu conhecimento dos jogos era sem igual, todos devidamente detonados e finalizados com plateia, afinal, só assim conseguiria ganhar um novo. E ganhava. Seu padrinho, Tio Nilton, todo Natal lhe dava um jogo novo, mas só se já tivesse finalizado o do Natal passado.

Então, é Natal?
Melhores amigos

Nilton não era rico. Era um professor que conhecia Joana a quase 2 décadas. Sua esposa, Márcia era a melhor amiga da mãe dos garotos. Apadrinharam aos três com amor e a promessa de nunca passarem sem comemorar o Natal. Nilton e Márcia. Tio Nilton e Tia Márcia. Amigos, padrinhos, família.

Então, é Natal?
Amigos também são família.

Mario ganhava livros e desafios de Matemática que fazia sempre antes da meia noite. Sentavam ele e a mãe, trocando teoremas e teorias. Se divertiam entre eles enquanto Nilton e Luzia abriam controles de SNES tentando jogar mais uma partida antes da meia noite. Sentavam ela e o padrinho trocando dicas e parafusos. Se divertiam entre eles enquanto Márcia olhava a todos de longe finalizando a ceia, ouvindo músicas natalinas. Rindo e torcendo. Um Natal em família.

Então, é Natal?
Família unida.

Após a ceia Luzia foi até a janela procurar pela estrela mais brilhante para agradecer pela comida, pela família e pelos 3 cartuchos novos que ganhou neste Natal. Agradeceu pelo bebê que a Tia Márcia estava esperando, pelo novo cargo de Diretora da mamãe, pela cidade nova que iriam morar, por ter seu irmão mais um ano com eles, apesar do problema no coração. Agradeceu por sempre ganhar do Tio Nilton. Agradeceu por estar ali em pé agradecendo. Fechou os olhos e sentiu a mão do irmão segurando a sua. Ele olhou para as lágrimas dela e disse:

Então, é Natal?

Ela sorriu e voltou a agradecer.

Então, é Natal?
Um Natal Feliz !

Um Feliz Natal a todos.

Até semana que vem…


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

@Nersito
Nerd, nostálgico, pai e professor. Reclamador profissional com PHD em Harvard. Conheço o Mario, e daí? Assopra a fita e bora jogar! Canal Noobice Total, no Youtube!!!