Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?

Vale a pena jogar no Nintendo Switch? – Março 2021

Vale a pena jogar no Nintendo Switch? - Março 2021

Se sua carteira não foi poupada na insanidade que foi o mês de Fevereiro, ela ainda não pode descansar em Março! Por que traremos 11 lançamentos para o Nintendo Switch aprovados por nós, de todo quanto é tipo de jogo e preço também! A gente explica melhor ao longo da matéria, então é hora de relaxar e conferir quais são esses 11 jogos que nós jogamos e vamos compartilhar a nossa experiência de início:

E falando em relaxar, talvez seja melhor esperar o próximo game, pois este aqui é frenético:

Apex Legends

  • Preço: GRÁTIS
  • Português: Sim
  • Selo: Poderia ser melhor

Impressão de Início: Quando Apex Legends foi anunciado para o Nintendo Switch foi festa para todo lado. Um dos mais belos e aclamados Battle Royale shooters estaria vindo para o Nintendo Switch pelas mãos de ninguém menos que a Panic Button, a empresa responsável pelas incríveis versões de Switch de DOOM, DOOM Eternal, Wolfenstein, entre outros (conheça aqui várias empresas de ports para o Nintendo Switch como a Panic Button).

Esta empolgação se mantém bastante com a bela cutscene inicial que impressiona! Você escolhe sua lenda, começa o game, WOW, que Jetpack IRADO!

E os problemas começam a aparecer quando você começa a jogar. O jogo imediatamente começa a demonstrar problemas sérios de pop-in de texturas e o pior: de performance.

A sensação que tive foi parecida com quando joguei a versão de Switch de The Outer Worlds. Vocês sabem que eu não ligo muito pra gráficos, mas o jogo quase nunca se mantém a 30 fps, chega a incomodar a gameplay, e este é meu problema com ele. Muitos personagens na tela causam queda no fps. Atirar causa queda no fps. Outros shooters no Switch como Overwatch, são belos, rodam bem, mas Apex não conseguiu atingir este nível e sofrendo um pouco na plataforma.

No fundo, ignorando os problemas, há algo realmente bom aqui. A mira por giroscópio é boa depois de ajustes, a gameplay, os movimentos e as armas do jogo são extremamente divertidas, dá pra ficar bem viciado no game. O jogo tem um sistema super intuitivo de comunicação com outros jogadores sem precisar de fala, então se encaixa perfeitamente no Switch (apesar do game ter bate-papo por voz também no Switch se quiser).

Apex Legends é um jogo vivo que está sempre recebendo atualizações, então há esperanças de melhoria. 

Veredito: Passável! Apex Legends on Switch entrega a experiência completa do aclamado e amado Battle Royale, mas com uma qualidade bastante comprometida. Ainda dá pra jogar e  se divertir, mas sabendo que existem melhores opções de shooters no Nintendo Switch, até mesmo no gênero Battle Royale.

Depois de um jogo que causou um pouco de stress, vamos relaxar, e nada melhor pra isso do que:

Story of Seasons: Pioneers of Olive Town

  • Preço: R$222,00 no México / US$50,00 nos EUA
  • Português: Não
  • Selo: Jogo para viciar

Impressão de Início: Pegando o que há de bom e o que deu certo nos jogos do gênero como Stardew Valley e o remake de Story of Seasons: Friends of Mineral Town, Pioneers of Olive Town ainda não é um jogo que brilha a excelência que a série teve no passado, mas é provavelmente quem mais se aproximou disso. Ele está gostoso de se jogar, embora tenha uma coisa aqui outra ali meio estranho aos olhos. Como um todo, o jogo está bonitinho e charmoso, e jogo todo traz um apelo bem forte ao fator cativante.

Está tudo aqui, sua fazenda, a cidade com personagens pra você desenvolver diálogo e relação, elementos de RPG, vários animais pra você apelidar e um ótimo plus é que ele traz uma seleção de dificuldade, com uma opção mais facilitadora para quem não tem tanta paciência, mas queria jogar alguma coisa pra ver qual é, o que é bem legal. O que não é bem legal são suas momentâneas perdas de desempenho em FPS, que não prejudica a gameplay, até pq é um jogo harvest, mas também é notável o suficiente para a gente ter que avisar aqui que rola.

Veredito: Aprovado! Ainda não é o Harvest 3D que os fãs dedicados e fiéis mereciam, mas talvez é finalmente o que eles podem comprar e jogar no Switch com mais segurança de gostar! O portal Project N tem uma review completa do jogo, que você pode conferir por este link.

Mudando completamente de temática, seja do harvest para ação como de uma fazendinha para um campo de batalha chinês, eu queria apresentar pra vocês:

Bladed Fury

  • Preço: R$108,00 no México / US$20,00 nos EUA
  • Português: Não.
  • Selo: Surpresa do mês

Impressão de Início: Com uma temática chinesa, uma história que gira em torno do mistério da protagonista ter matado uma criatura, e ela na verdade era seu pai, Bladed Fury é um Hack and Slash 2D com uma boa arte e um gameplay muito satisfatório.

Suas batalhas contra chefe são bem baseadas em memorizar padrões de ataque, as fases misturam exploração com uma pitadinha de puzzle, sem causar dor de cabeça em nenhum dos aspectos, só para não ser um “anda/bate, anda/bate”. A variedade de inimigos, tanto em design quanto padrões de ataque são igualmente interessantes, mas uma pena que essa variedade não é aplicada na protagonista, pois uma escolha de armas, por exemplo, cairia bem, embora talvez nem daria tempo de se acostumar com outra arma, já que o jogo tem suas poucas 5 horas, o que na verdade não é tão pouco assim, considerando ser um indie, mas ele é tão gostoso de jogar que fica o ‘’queria mais’’.

Veredito: Bom jogo! Um game de ação que vale ser experienciado pelos fãs, tanto por suas boas batalhas como seu enredo e progressão como um todo. Não vai marcar a biblioteca do Switch como um dos melhores indies do console, mas passa longe de um ‘’mais um jogo aleatório lançado’’ que não merece nem ser adicionado na wishlist esperando uma promoção. E aqui no portal também tem uma review completa se você quiser saber mais detalhes do jogo, clique aqui e confira.

Aumentando o escopo, hora de um jogo que não podemos deixar ser apagado de novo:

Kingdoms of Amalur: Re-Reckoning

  • Preço: R$ 112,00 no Brasil / US$40,00 nos EUA
  • Português: Não
  • Selo: Melhor jogo para um público específico (RPG ocidental)

Impressão de Início: Esse jogo veio lá da geração PS3, e foi bem apagado, tanto que muitos acreditaram que se tratava de um jogo novo. Que pena, o jogo é um excelente RPG ocidental. Com um gameplay de ação bem ensinado na primeira parte do jogo, onde ele te mostra na prática um dedinho das mecânicas das classes básicas de guerreiro, mago e arqueiro. Sua história também parece ser bem interessante, pois seu personagem é morto e quando seu corpo é jogado fora começa o gameplay, e você deve desvendar como as criaturas cientistas conseguiram este feito, enquanto enfrenta um período de dura guerra, que inclusive foi o que causou sua morte.

Veredito: Excelente! Um jogo para realmente somar na biblioteca. Caso já tenha jogado Skyrim e The Witcher, considere bem ter Kingdoms of Amalur: Re-Reckoning como sua próxima compra.

E de um relançamento do PS3 para uma inspiração no Super Nintendo, um grande mérito nacional:

Kaze and the Wild Masks

  • Preço: R$99,00 no Brasil / US$30,00 nos EUA
  • Português: Sim
  • Selo: Melhor jogo retrô

Impressão de Início: Um dos jogos brasileiros de mais destaque em meses, Kaze and the Wild Masks traz uma experiência de jogo similar aos plataformas dos anos 90, em especial Donkey Kong Country, e se você já jogou algum dos jogos desta trilogia, pode-se dizer que já sabe muito bem o que te aguarda aqui. Tudo sobre visuais é muito bom, a arte, os designs dos personagens e inimigos, e mesmo o level design, ou seja, como a fase é desenhada, é de muito boa qualidade. O jogo tem vários desafios extras por fase, garantindo o fator replay.

Entretanto, a Kaze é a basicamente a Dixie num jogo solo, e muitas fases são quase skins de fases de Donkey Kong Country, incluindo os bônus challenges. Isso pode ser bom ou ruim, dependendo do que você procura, mas é bom estar ciente.

Veredito: Muito bom. Executando tudo de maneira no mínimo satisfatória, temos aqui uma nova série de plataforma 2D que tem tudo pra ser um ícone, ao menos dos jogos brasileiros. Entretanto, a originalidade precisa crescer, ou fazer como outros clones como Nexomon e Freedom Planet, que possuem elementos melhores do que suas inspirações, mas superar Donkey Kong Country em qualquer elemento que seja não é uma missão fácil. Kaze também tem um review completo aqui no portal se você quiser descobrir mais sobre o jogo, clique aqui para conferir.

E pra fechar essa primeira parte um dos jogos mais inusitados que eu duvido que vocês achavam que veriam por aqui:

Monster Jam Steel Titans 2

  • Preço: R$112,00 no Brasil / US$40,00 nos EUA
  • Português: Sim
  • Selo: De onde raios veio esse jogo?

Impressão de Início: Todo ano algumas séries de jogos de corrida baseados em programas de TV entre outros tipo de evento são lançados, e ninguém nunca comenta bem a respeito deles, será que são tão ruins assim?

Monster Jam Steel Titans 2 é com certeza um jogo para o nicho que gosta desse tipo de evento esportivo, e é com certeza um jogo cheio de falhas, como dublagem mal programada, tutoriais que não explicam direito, um longo treino antes de todo evento, e principalmente um nível absurdo de queda na performance do jogo quando jogado de 2, em tela divida, entre outras coisas.

Entretanto, é também um divertido game onde corridas podem ser cruzadas totalmente fora da pista, quase como num GTA, afinal, olha o seu carro, ele tem cara de que vai ser barrado por uma montanha que seja? Além de um lobby de missões em um mapa aberto para você brincar de Open World e mesmo que com quedas absurdas, um modo coop para você tirar uma onda, e seus gráficos, apesar de não ser nenhuma beldade, não passam lá feio não.

Veredito: Seu público o aprovará. Provavelmente não tem nada com essa proposta que execute melhor do que Monster Jam Steel Titans 2, você só precisa ter em mente que não é nenhum jogão ultra polido, fora isso, provavelmente você vai se divertir passando por cima de tudo que vê, conquistando campeonatos e aproveitando sua física maluca.

Impressões rápidas

Agora a gente vai passar mais rapidinho por outros lançamentos e recomendações menores, mas que valem a pena:

NeoGeo Pocket Selection Vol.1

  • Preço: R$231,00 – US$40,00 nos EUA
  • Português: Não

Descrição: Quem sempre vê os jogos de NeoGeo Pocket nesse quadro e fica sempre tentado a escolher um, essa é o momento, pois foi lançado uma collection com 10 jogos, incluindo 6 jogos de luta “SNK Gal’s Fighters’, “Samurai Shodown 2”, “King of Fighters R-2’’, “The Last Blade”, “Fatal Fury: First Contact” e o maravilhoso “SNK vs Capcom : The Match of the Millenium’’, além da inclusão de 2 Metal Slugs, “Dark Arms” e “Big Tournament Golf”.

Veredito: Jogos Pockets, aprovação Big! Todos esse jogos de luta foram super bem comentados por sua fluidez e adaptação incrível para versão Pocket. Some isso a inclusão de 2 icônicos Metal Slugs, e você ainda ganha 2 jogos novos pra conhecer. É uma coleção para os fãs da SNK, especialmente os fãs de luta.

Bloody Bunny, The Game

  • Preço: R$48,00 no Canadá / US$10,00 nos EUA
  • Português: Não
  • Selo: Sugestão econômica

Descrição: Outro jogo perdido, mas que você viu primeiro aqui (ao menos no Switch e no Brasil)! É um Hack and Slash 3D com sessões de puzzle e plataforma que investe nessa temática mais “bizarro cute” em um jogo sanguinário com personagens fofinhos. Acho que alguém levou à sério demais aquela ideia do crossover de Animal Crossing e DOOM.

Veredito: Aprovado pelo preço. Não é majestoso em nenhum de seus elementos, mas é uma ótima pedida à 48 reais, mesmo por quê, também não é horrível em nada, na verdade, ele é gostosinho de jogar e não passa vergonha em seu combate.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time

  • Preço: R$200,00 no Brasil / US$40,00 USD nos EUA
  • Português: Sim (e dublado)
  • Selo: Destaque Multiplataforma

Descrição: Sequência direta da trilogia clássica que o consagrou, Crash Bandicoot 4: It’s About Time é uma aventura plataforma 3D empolgante e feito com muita dedicação, e que exigirá dedicação do jogador pra concluir os vários desafios que ele traz.

Veredito: Temos uma review completa aqui no portal Project N (veja neste link) sobre esse jogo, mas só para não ficar sem resposta: É incrível! Um dos melhores jogos thirds do console, e um plataforma 3D obrigatório.

Monster Hunter Rise

  • Preço: R$250,00 no Brasil / US$60,00 nos EUA
  • Português: Sim
  • Selo: Principal jogo do mês

Descrição: Continuando a nova fase de Monster Hunters sem números para que cada jogo possa ter sua própria identidade, Monster Hunter Rise simplesmente faz o queixo do jogador cair com sua beleza, se tornando imediatamente forte candidato a melhor gráfico do console. Mas isso nem é o melhor, e sim sua jogabilidade refinada e seus monstros que renderão dezenas ou até centenas de horas de caçadas online.

Veredito: Um jogo pra marcar a geração e o Switch. Simplesmente uma obra-prima que faz com que todo jogador que tenha leve afinidade com a série, que seja, PRECISE dele no seu catálogo. Mas vai ter análise com mais informações, calma.

E pra acabar, o, enfim, jogo de tiro online da EA que veio pra somar após tanto tempo lançado e vários fãs conquistados. Prepare-se para confrontos online acirrados em:

Plants vs Zombies: Battle for Neighborville – Complete Edition

  • Preço: R$200,00 no Brasil / US$40,00 nos EUA
  • Português: Sim
  • Selo: Destaque do Pedroka

Descrição: Um Team Battle, tal como Overwatch, só que maluco! Plants vs Zombies: Battle for Neighborville – Complete Edition é um jogo que ninguém esperava lá muito esforço da EA, mas por ser o primeiro game rodando na sua engine Frostbite, trouxe sem ninguém imaginar um gráfico lindo, em um jogo que localiza partidas incrivelmente rápido, e te dá uma campanha e uma experiência online recheados.

Veredito: Incrível! Seu multiplayer é absurdamente viciante, daquele jeito que você só não quer parar de jogar nunca, seja pela diversão absurda que ele dá, ou pelas inúmeras recompensas que você pode buscar obter. Must Have para os jogadores multiplayer e você pode conferir a review completa do jogo aqui.

Como sempre, para encerrar, uma lista para você ficar oficialmente por dentro dos melhores títulos do mês, então não se esqueçam de voltar aqui todo mês pra ver o que vocês podem ter passado despercebido, pois será que vocês já tinham visto todos esses jogos da nossa lista? Comentem aqui.

  • Overcooked: All You Can Eat
  • Tales from the Borderlands
  • Gnosia
  • Everhood
  • Sea of Solitude
  • WRC 9
  • Battle Brothers
  • Genesis Noir
  • DARQ
  • Dark Legends
  • El Hijo
  • Kill It with Fire
  • Balan Wonderworld
  • APEX Legends
  • Harvest Moon: One World