Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?

[Preview] New Pokémon Snap – Esse jogo é para você?

[Preview] New Pokémon Snap - Esse jogo é para você?

Após 22 anos desde sua aparição no Nintendo 64, Pokémon Snap ressurge das cinzas com uma continuação para o Nintendo Switch intitulada somente de New Pokémon Snap, uma sequência que já havia entrado pra categoria ‘’os fãs querem mas ninguém acredita mais que vá acontecer” e felizmente, estávamos errados.

Mas sendo um jogo tão diferente e vindo de um spin-off tão velho, é claro que o jogo faria com que muitos se perguntem se sua existência faz sentido hoje, ainda mais como um grande lançamento em 2021. E é claro que sua proposta inusitada também faz com que muitos donos de Switch fiquem “BOIANDO” sobre o que é, qual é a graça e o que dá pra esperar de um, novamente, jogo tão diferente sendo um grande lançamento a esta altura do Nintendo Switch, um console com tantos títulos consagrados.

E hoje a gente vai te fazer entender “qualé” a dessa série Pokémon Snap, e o que você pode esperar desta sequência que você gostou de jogar no 64, mas não sabe se teria o mesmo sentimento nos dias atuais. Assim, vocês decidem por si mesmos se vale a pena comprar, se é um jogo que vai te agradar ou de fato… “é, deixa para a próxima”.

Nós vamos dividir esse “guia” em 3 partes e todas elas estão divididas aqui abaixo para você ir direto para o que quer ou o que não quer saber para não tomar spoiler:

Só lembrando que essa matéria NÃO É UMA REVIEW, pois nós não tivemos nenhum acesso antecipado ou coisa assim, então tudo que vamos dizer são informações divulgadas e conhecimento prévio da série pelo original, ou seja, a gente vai te falar o que vai ter no jogo, mas se achamos legal ou que foi bem executado, só na nossa futura análise.

PARTE 1 – Qual a graça de Pokémon Snap?

A primeira dúvida de quem não teve contato ou sabe superficialmente sobre “Pokémon Snap” é:

“Mas é um jogo só de tirar foto???”

Sim, Pokémon Snap é um jogo onde você é um fotógrafo e você só fica tirando fotos. Assim como em Mario Kart você só fica dirigindo, em Donkey Kong você só anda e pula, e em Streets of Rage 4 você só dá porrada. É claro que não é tão raso assim! Tirar foto é o que o seu personagem faz, mas os objetivos do jogo e como você vai se divertir, vai muito além! Em Pokémon Snap, você tem os seguintes objetivos:

  1. Catalogar todos os Pokémon, como todo jogo principal, mas em vez de “temos que pegar”, ”temos que tirar foto”. Ao longo do jogo você precisa descobrir onde eles estão, alguns se escondem e você precisa fazê-los sair, outros só aparecem com certas condições. Enfim, mais pra frente vamos te contar as mecânicas de gameplay que fazem essa tarefa ser dinâmica, divertida e mesmo um desafiozinho a ser superado.
  2. Obter as melhores fotos de cada Pokémon, pois existe um sistema rankeado de avaliação das fotos que vai de uma a 4 estrelas. Não se engane, os Pokémon não estarão paradinhos que nem estátua. É um mundo vivo e interativo, onde, dependendo da hora exata que sua câmera os flagra,  ou da maneira como você interage com eles, certas ações especiais ocorrem, como por exemplo, um Pokémon parado leva um susto pois você deu comida pra um que tava escondido, e aí o Pokémon parado saiu correndo e você “click”. E essas fotos valem mais pontos, além é claro da qualidade da foto, afinal tirar foto com seres vivos se mexendo não é fácil nem na vida real!

Com estes objetivos, a “graça do jogo” consiste em:

  1. Desvendar, como se fosse, com um pouco de aspas, meio que um “puzzle game”, como achar todos os Pokémon e como fazê-los ter uma reação especial que vai render uma foto 4 estrelas. Mas acho que a verdadeira graça seria…
  2. Testemunhar, interagir e registrar a vida selvagem dos Pokémon. Eles tem uma vida fora das batalhas, antes de serem capturados. Sério, é um ambiente muito vivo e curioso, e vai te render ótimas memórias se você gosta dos monstrinhos… OK, a gente admite… É um “Animal Planet/Discovery Channel Simulator”, mas atire a primeira pedra quem nunca viu e curtiu ao menos um programa deles. E vai dizer que você nunca quis ser o câmera man de um programa? SUA CHANCE!

Mas vamos falar como o jogo funciona em termos de gameplay mesmo.

PARTE 2 – O gameplay de Snap

Bom, o gênero oficial do game é (pasmem, não é ‘’jogo lixo de tirar fotinha”)  “First Person Simulator On Rails”, é, tudo isso explicando: um jogo com visão em primeira pessoa, que simula um fotógrafo comum/humano. Você não tem superpoderes ou coisa do tipo. Mas as fases tem uma progressão. “On Rails”, traduzindo, “nos trilhos”, ou seja, é como se você tivesse em um trem bem lento, ele não para e segue um caminho, daí o nome, trilhado. E de fato, você passa pelas fases sentado numa espécie de carrinho mesmo.

Então tudo que nós falamos sobre procurar os Pokémon, achar a melhor pose, é vapt vupt, não tem tempo não, se moscar o trem já foi e você perde o Pokémon de vista. Mas é claro, você pode – E VAI – revisitar as fases e tentar de novo quantas vezes quiser. Isso faz parte do fator replay do game, não tem como você de primeira já conseguir 4 estrelas em toda foto com todo Pokémon, até porquê diversas vezes você tem vários Pokémon não mesmo tempo, então ora você focar em um, ora em outro.

Para interagir, existem mecânicas de gameplay, e aqui só falaremos de coisas do original, OK? Sem spoilers para quer surpresa com as novidades do New (e se você só quer saber as novidades do New, novamente, você pode pular pra parte 3).

A mecânica mais básica, mais arroz com feijão, é você atirar uma fruta próximo aos Pokémon, se eles notarem (e quiserem comer) podem pegar a fruta (já vale uma foto mais bem pontuada) e após comer ter uma reação de alegria, por exemplo, ou mesmo alguns podem sair do esconderijo, etc. Coisas assim, que acontecem enquanto você anda.

Conforme você progride no jogo, mais recursos de interação são liberados, como, por exemplo, agora você pode jogar uma bolinha neles, e aí eles se viram e alguns até davam uma ameaçada em você haha
E claro, esses novos recursos resultam em novas interações com Pokémon das fases anteriores. Assim como nos jogos tradicionais de RPG, existem Pokémon mais difíceis de capturar, especialmente os lendários. Em Snap também tem meio que uma hierarquia de mais difíceis de serem descobertos, especialmente os lendários, de novo.

Basicamente é isso.

Quer um exemplo de como esse mecanismo pode render momentos incríveis? Lembra que eu falei que o mundo de Snap é vivo e simula como os Pokémon vivem? Pois bem, vou contar um exemplo disso lá do original, um jogo de 64, um console super simples. Lá, você precisa achar e fotografar um Gyarados, todo mundo já viu um Gyarados selvagem nos jogos tradicionais de Pokémon né? Mas você sabe como um Magikarp selvagem evolui sem ser por level? Afinal, batalhar ele não batalha nem com treinador, imagina sozinho, então, como aquele Gyarados que brotou no seu jogo enquanto você usava Surf foi parar lá?

Em uma das fases, um Magikarp aparece e você precisa derrubá-lo no rio, atirando uma bolinha, se você acertar na hora certa, ele quica e vai parar na cachoeira. Subindo a cachoeira, ele evolui e você tira a foto.
Deu pra ter uma ideia do “puzzle” que mencionamos e de como o jogo mostra a vida selvagem dos Pokémon?

Mas agora vamos falar o que a sequência trouxe de novidade.

PARTE 3 – Um NEW Pokémon Snap

Se você já está convencido, se já gostou e vai comprar, repense se quer ver esta parte ou se prefere pular para o nosso veredito, pois aqui vamos entregar tudo que já foi revelado de novidade. Mas não é bem spoiler, o jogo não vazou, é o que teve nos trailers e previews autorizado pelo marketing do jogo:

Primeiramente, agora o jogo se passa numa região própria, chamada Lental, tendo até mesmo um professor próprio, o professor Mirror, e seu personagem, assim como nos RPGs, tem uma gama de escolha entre menino e menina, cor de pele, etc, só o básico mesmo, até porquê o jogo é em primeira pessoa.

Agora você pode usar giroscópio, ou seja, Controle de movimento, pra mexer ou ajustar a câmera, o que é ótimo pra aumentar a imersão. Entre os recursos de interação inéditos, temos:

  • Ilumina Orb. Uma orbe de luz que ao atingir um Pokémon, o torna brilhante por um tempo. Isso também causa alguns efeitos como mudar a cor do fogo de um Pokémon, além de deixá-lo feliz meio que instantâneamente.
  • Scan. Escaneia pokes e itens, incluindo os escondidos, facilitando a busca em lugares escuros. Boa parte dos pokes também reagem ao scan, tipo, se eles já estão visíveis, mesmo assim, vale a pena dar uma scaneada pra ver se não rola aquela reação bacana.
  • Alguns recursos de interação como a fruta e a flauta continuam no jogo.

O fator replay no game está INCRÍVEL! Aqui vão informações realmente empolgantes: Foram confirmados mais de 200 pokémon, sendo uma mescla de todas as gerações/regiões, incluindo, como eu falei antes lendários. Parece que a busca para completar a Photodex será mais longa dessa vez, além de apenas fotografar todos:

  • 4 fotos (uma de cada estrela) por Pokémon: Aparente vai ter uma página de caderno onde você terá salvo 4 fotos, uma de cada estrela, por Pokémon, ou seja, quem quer mais conteúdo do que só tirar uma única foto pra catalogar na Dex. Mas não foi bem detalhado isso então nos perdoem se no fim for diferente, por exemplo, se tirou uma 3 estrelas já preenche o slot de uma e duas estrelas automático, a gente não sabe ainda.
  • Existe um sistema de level no jogo. Conforme você ganhar pontos, seu ranking de fotógrafo vai subir, e conforme ele sobe, grandes novidades aparecem:
    • Pokémon inéditos nas fases. Então mesmo que você já tenha feito 100% numa fase, vale a pena voltar nela após subir de ranking.
    • Rotas alternativas: Novas rotas se abrem conforme seu level, então, em certo ponto, você pode agora escolher ir pra direita ou esquerda, por exemplo. seguir um mergulho, ou entrar numa caverna submersa. E como se isso não fosse o bastante:
    • Sistema de dia e noite: Sim, as fases (não sabemos se todas, mas algumas já confirmadas) possuem uma versão de dia e uma de noite. Some esse fator aos anteriores e vejam como cada revisita às fases já concluídas serão diferentes.
  • Tratamento e edição nas fotos: Se até Mario Odyssey tem um vasto menu de opções de tratamento nas fotos, não seria Snap que não teria haha isso. Na verdade é óbvio e não faz mais que a obrigação, mas mesmo assim, mal posso esperar para tirar proveito.

E o que você faz com essas fotos tratadas e editadas? Hora de falar das funcionalidades online:

  • Compartilhamento, óbvio.
  • Pontuação, como se fossem likes, pras fotos.
  • RANKING, é isso mesmo amigos, teremos ranking de melhores fotógrafos! Então se alguém falar que é joguinho casual, você já pode mandar um “dá licença que eu tô competindo com um Chileno ali”

Ufa….. tem algumas outras coisas, mas acho que de pra entender que esse jogo está MUITO expandido! Hora do nosso veredito.

PARTE 4 – Veredito

O visual do jogo já brilhou os olhos, mostrando que não se tratava de uma produção relaxada, a Bandai Namco, que ficou à serviço de desenvolver esse jogo, não estava para brincadeiras. Mesmo assim, pairava a dúvida se não seria um jogo pra jogar ali umas 5 horinhas e largar, afinal, vamos lembrar que o original era sim curtinho.

Mas com tantas mecânicas complecionistas, ampliação do fator replay e até funções online, ficou claro que “New Pokémon Snap” tem muito a oferecer! Horas e horas jogando, compartilhando e curtindo fotos de amigos, até mesmo competindo! Aparentemente já muito o que se fazer aqui.

O Switch está com propostas de jogos muito diversas, dá pra jogar um Open Wolrd Adventure com Zelda, quebrar a cabeça num RPG tático como Fire Emblem, queimar calorias no Ring Fit. E nesse mix incrível de propostas de jogos, nós teremos UM jogo focado em tirar fotos e conviver no habitat natural dos Pokémon. É 1 jogo para diferenciar dos demais, para tornar a biblioteca do Switch mais versátil.

“New Pokémon Snap” é um jogo que nos convida a sair uma só vez do nosso lugar-comum de jogos de ação e ter um refresco com algo completamente diferente, entende? E eu tô aceitando esse convite.

Resta a dúvida se todo esse material apresentado será bem executado, claro. Novamente, não é uma análise, estamos aqui pré-julgando o que foi apresentado. Mas o material mostrado parece ser muito bom, cara! É a expansão do formato do clássico do Nintendo 64 de um jeito que de fato, só fez sentido agora nos consoles mais recentes, seja pelo giroscópio, ou pelas funções online.

Espero que vocês tenham entendido como o jogo funciona, tirado as dúvidas e entraram no hype pra comprar e agora, vocês demorarem a largar o jogo.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]