Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Blue Fire - Plataforma 3D de amor e ódio

Blue Fire – Plataforma 3D de amor e ódio

Se você quiser um bom desafio e gosta de Zelda e Hollow Knight, Blue Fire é um indie maravilhoso que vai te render boas horas de gameplay preciso e alguns rages! Não deixe de adquirir essa obra!

Blue Fire é um jogo Indie de plataforma 3D lançado para Nintendo Switch em fevereiro de 2021, desenvolvido e publicado por ROBI Studios e Graffiti Games, respectivamente. E aqui já temos uma grata surpresa, a ROBI Studios é um estúdio argentino. Fico muito feliz em ver nossos ‘hermanos’ buscando seu lugar ao sol assim como nós ‘brazucas’ temos feito. E melhor ainda é quando trazem uma grande obra como Blue Fire. 

Vamos começar falando logo duas verdades: 

  • Este jogo é muito bom! 
  • Que jogo difícil!  
Blue Fire - Plataforma 3D de amor e ódio
esse visual é muito bonito!

Proposta

É certo que o jogo é bom pra quem gosta do estilo proposto: uma mistura de Zelda e Hollow Knight. Quem curte esses citados anteriormente, com certeza terá um prato cheio pra se divertir por horas e horas. 

Mas não devemos nos enganar, apenas gostar de Zelda ou Hollow knigth não é o suficiente para Blue Fire porque o jogo te faz sofrer com requintes de crueldade! Como se fosse da série ‘Souls’, ele te maltrata desde o início e só fica menos difícil quando nos acostumamos a agir com frieza. Sim, para se jogar um jogo com nome de ‘fogo’ devemos ser frios e calculistas.    

Após ter feito este trocadilho horroroso, você pode estra se perguntando ‘’a review é sobre Blue Fire? você já citou vários outros jogos até agora…’’ e você está certo, jovem mancebo. Não existe a possibilidade de não citá-los. Este game é uma mistura desses outros, na cara dura mesmo. E pra mim funciona bem, pois não é exagerado ao ponto de acharmos que é ‘cópia genérica’ 

Blue Fire - Plataforma 3D de amor e ódio
sem o pulo duplo não chegamos muito longe

Similaridades

  • Menu inicial idêntico ao Hollow Knight – se você já jogou percebe logo a inspiração;
  • Mundo obscuro – assim como em HK, temos uma densa escuridão cheio de inimigos poderosos;
  • Visual gráfico do Wind Waker – um estilo sombrio na pegada cartunesca. Conseguimos sentir a maldade do ambiente na medida certa, não é jogo de terror nem jogo ‘fofinho’;
  • Começamos num castelo com umas ‘gosmas’ como se fosse o as Calamity Ganon – logo no início dentro de um castelo existem umas gosmas pretas e vermelhas que dão dano ao tocar nelas. Onde será que já vimos isso? 
  • Mais de Zelda pra nós: 
    • Blue Fire também tem sistemas de dungeons. A primeira é um castelo. Nos calabouços há portas bloqueadas que necessitam de ‘old keys’;
    • Há o sistema de travar as portas do ambiente pra não fugirmos. As portas só são liberadas assim que derrotarmos todos os inimigos; 
    • Após as primeiras batalhas adquirimos uma espécie de escudo em forma de áurea, que lembra a proteção de Daruk;  
    • Começamos com 4 corações. E não é muito difícil perdê-los já que qualquer porrada pode te tirar boa parte de sua vida ou toda de uma só vez;
    • Há o sistema de aumentar seus corações completando desafios chamados ‘Vazios’ (falaremos um pouco deles depois);
    • Também temos baús escondidos, neles encontramos equipamentos melhores. 
Blue Fire - Plataforma 3D de amor e ódio
o guerreiro e o nada.

Outros motivos pra jogar

Void: é como é chamado o desafio que ao ser completado te dá mais um coração. Os vazios tem cinco níveis e depois do nível 3 as coisas não ficam boas para os jogadores. Eu morri umas ‘trocentas’ tentando fazê-los e ainda não fiz todos. Pra quem gosta de desafio hardcore, indico. 

Bosses: todos são desafios únicos e ao avançar no jogo eles se tornam cada vez mais apelões. Mas quando se consegue derrotar o safado a satisfação domina seu ser. Os últimos Bosses possuem ‘três vidas’ então é bom não comemorar antes do tempo.  

Missões secundárias: o jogo tem algumas side quests que são boas pela recompensa que elas dão: desde o dinheiro do próprio jogo até uns artefatos MUITO UTÉIS. Então não as despreze. Se puder faça todas. 

Jogabilidade: só preciso dizer que ela é EXTREMAMENTE precisa, então você deve ser preciso também…

O que poderia ser melhor?

Sem dúvida as duas coisas que mais me incomodaram nesse jogo foi a falta de um mini mapa – o que me fazia perder muito tempo procurando ‘aquele lugar’ que não fazia ideia onde é. Outro incomodo é que ao morrer em um Boss eu voltava à ultima estátua onde salvei o jogo (que sempre é longe pra caraca!!) 

Blue Fire
8.1 / 10 Nota Final
Prós
A dificuldade traz um desafio interessante
Os comandos são precisos
É uma mistura de bons/ótimos jogos
Contras
Não tem mini mapa
Check-points muito longe uns dos outros
Resumo
Se você quiser um bom desafio e gosta de Zelda e Hollow Knight, Blue Fire é um indie maravilhoso que vai te render boas horas de gameplay preciso e alguns rages! Não deixe de adquirir essa obra!
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]