Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?

Superou Pokémon Moderno? Análise de Nexomon: Extinction

Superou Pokémon Moderno? Análise de Nexomon: Extinction

Você é um fã de longa data dos jogos de Pokémon? Se sim, já parou pra pensar quais foram os momentos da série que foram te marcando, e marcando, até que o seu coração se tornou um lar definitivo para os monstrinhos? Os desenvolvedores de “Nexomon: Extinction” pensaram por você… 

E sem usar nenhum Pokémon da primeira geração, fizeram a melhor recriação da sensação de quando você jogava o seu “Pokémon Red” ou seu “Pokémon Silver”, te fazendo confessar enquanto joga: “Era isso! Era por isso que eu passei a amar Pokémon!”

Senhoras e senhores, desculpem o linguajar poético deste início, mas hoje, trazemos uma análise de um jogo que é mais do que apenas um jogo, é uma verdadeira carta de amor aos veteranos dos jogos de Pokémon. Carta esta que, após você experienciar, vai perceber que nunca tinha recebido antes. Como ele faz isso? Bom, falemos do jogo:

Vídeo Original de 21/10/2020

Parte 1 – Análise

a) Acertos em geral.

A descrição de Nexomon: Extinction é a mesma de Pokémon, sim, um RPG de turno baseado no sistema ‘’Catch Monsters’’. Entretanto, segue a linha que durou até a quarta geração (Diamond/Pearl), 2D/ com sprites.

Seu estilo gráfico é um ‘’desenhado à mão’’ belíssimo, e sua ambientação, também é muito bem trabalhada; uma amostra do cuidado é com os diferentes cenários que ilustram a mesma temática; ‘’como assim?” Bom, entre as cidades, existem as rotas de sempre, onde tem a graminha e tal, que possuem as diversidades de sempre: deserto, praia, etc, mas, sabemos que boa parte é… mato kkk porém, existe diversidade mesmo assim, por exemplo, se você for reto, é uma rota mais comum, pra baixo, já é uma rota mais ‘’fim-de-tarde’’, apesar do jogo não possuir sistema de horário / dia-noite, na prática, é só a equipe de design te desentediando de ver o mesmo cenário de fundo toda vez que for uma rota comum e tiver uma batalha… então, nos visuais, nada a reclamar!

Mas falando de mapa, o verdadeiro ponto de destaque é como ele é aberto! O jogo não é um Open World, tanto que tem transição de cenário, mas, você pode ficar explorando e chegando em locais e cidades que ainda não estava no script da história, então, se ela te manda ir pra esquerda, vai lá ver o que tem na direita, alguma coisa legal você vai achar! 

Isso é uma coisa que se perdeu um pouco em Pokémon, não sei se vocês sabem, mas em Red/Blue, você tinha uma liberdade que podia até escolher certas ordens de acontecimentos, como a ordem dos ginásios psíquico e venenoso (é, dá pra inverter!). As cidades em si, não tem nada demais, mas ao menos não são todas as casas que estão abertas, e as que estão, 90% tem pelo menos um item pra você pegar, ou um pedido de missão secundária, o que poupa tempo.

‘’Missão secundária?’’ SIM ! Elas existem aqui ! Vários NPCs te dão missões, e missões diversas, e são realmente missões tá? haha boa parte delas, inclusive, envolve mais de uma etapa, do tipo ‘’vá ali, depois compre isso, aí me dá, aí me encontra lá e me enfrenta’’. Outras duas GRATAS funções de NPCs são de trocar itens, e assim, SÃO MUITOS NPCs de troca, e a variedade é imensa! Tem troca por comida de Nexomon, de Nexotrap específica de tipo (Nexotrap são as Pokebolas), de itens raros… etc.

E a outra função de NPCs, claro, é batalhar, mas o legal é que existem revanches, então, se você for pra outro canto, jogar ali um pouquinho, e voltar, o NPC já está com o sinal de batalha de novo; isso não é novidade em ‘’Pokémon’’, mas é decididamente mais frequente e explorado em ‘’Nexomon’’, principalmente porquê…. bom, agora vem a melhor parte:

b) Batalha

BATALHAR CONTRA A CPU É BOM! Sim meus caros, sabe aquele NPC com 6 Magikarps? Não tem! Sabe aquele NPC que tem um Pokémon de cada tipo, mas te deixa sempre colocar o tipo mais forte? Não tem! Sabe aquele NPC que parece que tem dó de te derrotar, pois quando você tá com 1 de HP, e em vez de atacar, e ganhar, ele manda balançar a cauda pra reduzir defesa? NÃO TEM.

Aqui os NPCs trocam de Nexomon se a tipagem for ruim; eles não tem os monstrinhos mais óbvios e fracos, inclusive, principalmente na revanche, é comum eles aparecerem com a forma evoluída do Nexomon que você derrotou antes, eles também treinaram e melhoraram! E eles estão no mesmo level que você, em vez de 5, 6, DEZ abaixo. 

Se você não desligar o automático, sim, você vai perder! Puxando o assunto, quem lembra de, no Red/Blue, quando você estava bem iniciando, ali no nível 12 tinha uma caverna com um membro da equipe Rocket com um Raticate level 16, chato? Mas não é com o NPC que você vai mais se preocupar, e sim com os, entre aspas de novo, ‘’chefes’’! Aspas porque aqui não tem líder de ginásio, apesar de ter um personagem central em cada parte que vai te guiar na história. Então, pra não dar spoiler do que são esses chefes, vamos só chamar de ‘’chefes’’ até porquê, não é uma coisa só, existe variedade, então na caverna de gelo, a representação de chefe é uma coisa, na cidade fantasma, é outra, mas o que você precisa saber é: Não brinque nessas partes haha, não é hora de deixar 3 Nexos principais e 3 que você está ali upando/evoluindo, não, venha com seu time PREPARADO, desde o primeiro.

Inclusive, o Pedroka perdeu a primeira batalha contra chefe, e venceu na segunda com 10% de HP do último Nexomon, de 6! Não foi fácil. Toda essa dificuldade leva à segunda coisa mais legal: TREINAR É NECESSÁRIO (mas não é fácil)! E o jogo te dá ferramentas para isso! Além das revanches, uma coisa sensacional é que os Nexomon selvagens adaptam mais ou menos o seu level ao seu time! 

Fizemos os seguintes testes:

  • No meio do jogo, um time level 16/19 em áreas diferentes(e distantes) e sempre a média era nível 15.
  • Mas, em seguida, quando trocado por time nível 4/7, o máximo que apareceu, nos mesmos locais, foi nível 13.
  • A mesma área, no início do jogo (você ali no nível 5), a faixa de nível dos Nexos selvagens era 4/9.

O jogo não tem experiência compartilhada, só item equipável individualmente, que compartilha uma % de experiência, sem entrar em batalha, mas é 12%. Resumindo, se prepara pra upa!

c) Enredo

O último ponto de destaque, que não poderia fazer falta num RPG, é seu enredo, narrativa, personagens, etc, sua história! Destacando rapidinho os pontos principais, começando pelo melhor:

  1. O jogo tem um ÓTIMO humor, principalmente pelo personagem que te acompanha, um simpático gatinho chamado Coco; ele, por exemplo, zomba do tutorial de captura, quando o instrutor diz:
    – Agora você vai aprender a capturar um Nexomon, preste bem atenção no processo.
    – Hum…. é só enfraquecer e atirar a Nexotrap né?
    -…… É…..
    -Sabia…

    (nesse momento rola AQUELA IDENTIFICAÇÃO, fala aí? ‘’Sim, eu já sei como capturar aaaahhh’’).
  2. Os personagens são ótimos. Não só o seu companheiro gatinho comédia, mas, os rivais tem aquele nariz empinado, e QUE SAUDADE do seu rival não ser o ‘’bonzinho starter pack’’ que diz ‘’estou feliz por perder pra você, pois isso me fortalece e nos faz mais amigos’’, foi legal lá na terceira geração, mas já deu! Como dissemos, o jogo não tem líder de ginásio, mas tem sempre um ‘’guia’’ ali da área, e eles também tem seus destaques, por exemplo, na parte ali dos psíquicos, a guia é uma vidente, e, de novo, é engraçado, pois o seu companheiro pede pra provar que ela é vidente, aí ela:
    – Você é meu visitante 4.357, seu objetivo é “tal” e -> nós estamos dentro de um Nintendo Switch <-
    Mesmo alguns NPCs de missões secundárias, tem MUITO personagem marcante.
  3. A história é boa, apesar de ser o mesmo lenga lenga de ‘’ouvimos histórias sobre um Nexomon lendário’’ e ‘’quero ser o melhor treinador’’, ela é contada de um jeito mais progressivo, cada passo da campanha é de fato um passo do enredo.

d) Pontos fracos:

Pra encerrar, sem parecer que é o melhor jogo já feito, aí vão alguns tópicos que tiram aí uns pontinhos do jogo:Você não anda na diagonal (não precisava ir TÃO fundo na nostalgia assim).

Os designs são bons, o combate tem novidades muito interessantes como sistema de Speed pra cada ataque, mas são poucos tipos e não existem Dual-types, como Água/Voador, isso acaba sendo o calcanhar de Aquiles do combate e da variedade de Nexomon.

Se um peca pela falta de um modo Hard, Nexomon podia ter um modo easy, mas assim, como dificuldade extra mesmo, se não, deixa o joguinho assim.

O jogo não tem qualquer modo player x player, seja online ou offline, ele não se propõe a competir com competitivo de Pokémon então ele nem tenta.

Parte 2 – Debate e Conclusão

Mudando agora para nosso trecho de debate, eu preciso compartilhar uma opinião que sintetiza o motivo pelo qual Nexomon faz muitas coisas que Pokémon não faz, e se torna um jogo, na sua proposta, MELHOR que a maior franquia do entretenimento:

A Pokémon Company não vai fazer um jogo da linha principal para você, veterano e jogador singleplayer! 

É como você pedir para que o próximo Mario Kart seja um F-Zero, menos acessível e mais focado no singleplayer!

Eles já firmaram que se você quer desafio jogando Pokémon, “vá competir online! A nossa campanha, é para todos apreciarem, incluindo crianças que nunca jogaram mas estão vendo a atual temporada do anime; ou um adulto nostálgico que viveu o surgimento do anime, mas só jogou um pouco no Gameboy de amigos, e só agora pôde comprar um console com Pokémon”.

E Nexomon TAMBÉM sabe disso, não à toa, ele não se envolve com competição, ele não tem modo online ou versus, e não existe competitivo de RPG maior que Pokémon, lá ainda é o maior lugar para se competir, e se você quer competir, são centenas de horas que te aguardam.

Mas, é no competitivo ou na iniciação que está o seu interesse em Pokémon?

Por isso iniciamos esse Review perguntando, resumidamente, “quando foi que você começou a amar jogar Pokémon?”, pois se foi naquela acirrada disputa de ginásio contra o Brock, que era só o primeiro líder e já tinha um Onix gigante… se foi quando você ficou na graminha, subindo nível enquanto ouvia uma música maneira de uma rota… se você sente falta de exercitar a cabeça pois “caramba, eu ainda não sei qual tipo ganha de qual!”.

Se esse é você, nós temos a recomendação definitiva: Nexomon: Extinction! Que parecia ser um clone, mas não é. Na verdade, ele é o seu amigo de infância, que você não revê há muitos e muitos anos! Um amigo, que te mandou uma carta…

  • Preço padrão: 20 dólares (barato)
  • Ponto alto: Jogo que os veteranos merecem
  • Ponto Baixo: Sem Dual-types
  • Acessibilidade.
  • Dificuldade: 4/5
  • Versatilidade: C+
  • Nota: 9,25
  • Você deve adquirir: Agora mesmo.