Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
A Juggler's Tale - uma fábula sobre liberdade

A Juggler’s Tale – uma fábula sobre liberdade

Um conto poderoso sobre liberdade com uma estética bem feita de teatro de bonecos. Vale a pena participar desse show?

Um conto sobre liberdade.
Tão antigo quanto o mundo.
Pule, corra e procure a verdade.
Quebrando a cabeça a todo segundo.

Poderoso e poético eram duas palavras que acompanhavam as notícias e anúncios de A Juggler’s Tale, do estúdio kaleidoscube e da publisher Mixtvision, um jogo premiado de plataforma com elementos puzzle e stealth que apresenta uma personagem principal no mínimo inusitada: uma boneca de marionete. Abby faz parte de um teatro de bonecos e de um número circense dentro do teatro e você deve ajudar a boneca a descobrir sua verdadeira liberdade. A Juggler’s Tale é mais um desses pequenos e rápidos, mas emblemáticos e memoráveis indies que valem a pena experimentar.

Uma Vida de boneca

A história gira em torno de Abby, uma boneca de marionete malabarista parte de uma trupe de circo que decide fugir para ser livre, tentando levar junto seu amigo e companheiro de espetáculo urso. Dividida em cinco grandes atos, você deve ajudar Abby a buscar sua liberdade, fugir de perseguidores que tentam levá-la de volta ao dono do circo e perigos do caminho.

Parte intrínseca da jogabilidade e da história é o fato de Abby ser uma boneca de marionete, já que suas cordas a impedem de ultrapassar normalmente certos obstáculos como um moinho de vento ou galhos e troncos de árvores. Aí entra o fator quebra-cabeça do jogo, intercalado com a ação de plataforma e de furtividade que as vezes é necessária. O jogo é uma boa mistura dos gêneros com uma história que tempera ainda mais (e muito bem) essa receita.

A Juggler's Tale - uma fábula sobre liberdade

O Contador de Histórias

O jogo traz esta estética linda de antigos teatros de bonecos que, infelizmente, não casa muito bem com o Nintendo Switch, seja no modo dock ou ainda mais complicado no portátil. Por vezes é perceptível os detalhes de serrilhado e aspecto enevoado na movimentação do jogo, ajudados com a física um pouco precisa demais e confusa (por vezes até demais nos puzzles deixando-os um pouco difíceis), algo que por pouquíssimo não atrapalha a imersão no jogo já que a história e a ambientação fazem um trabalho espetacular com o jogo.

As palmas, sem dúvidas, ficam muito a cargo do contador de histórias, o narrador do jogo que conta a fábula de Abby como um antigo poeta em versos ritmados, que rimam e te deixam muito investido na história – e palmas de pé também ao pessoal da tradução das legendas em português que mantiveram a essência do que foi falado e ainda conseguiram deixar as frases com rima e ritmo.

Moral da História

A Juggler’s Tale é uma belíssima fábula sobre liberdade, sobre coragem com uma ambientação sonora e narração espetacular que certamente eleva o jogo a outro patamar. Os poucos detalhes de gráficos, físicas e bugs não impedem a máxima imersão e investimento no jogo e na história da carismática (mesmo sem falar nada) Abby. É uma pena o jogo ser tão pequeno, assim não fazendo valer tanto a pena os R$91,45 que você pagará no jogo. Mas é sem dúvida uma experiência que merece ser vivida, é mesmo um espetáculo! E com um ato final de tirar o fôlego.

A Juggler's Tale
8.1 / 10 Nota Final
Prós
- Belíssima história
- Ótima ambientação sonora
- Narração espetacular
- Legendas em português muito bem feitas
- Puzzles interessantes
- Momentos de gameplay variados
Contras
- Muito rápido
- Gráfico deixa a desejar no Switch
- Precisão em plataforma e puzzle pode aumentar a dificuldade
Resumo
Uma bela história, muito bem contata e ambientada, que peca apenas por não ser mais belo e ter mais horas de gameplay. É um espetáculo, curto e com um orçamento um pouco a baixo do normal, mas que sem dúvidas vai impactar e ficar na sua memória por um tempo.
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[Nota do Editor: A Juggler’s Tale foi analisado a partir da sua versão para Nintendo Switch. A cópia do jogo foi gentilmente cedida pela Mixtvision.]


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]