Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Arcadia Fallen - Uma história mágica que se perde em seu caminho

Arcadia Fallen – Uma história mágica que se perde em seu caminho

Arcadia Fallen é um visual novel com elementos de puzzle de estreia do estúdio desenvolvedor Galdra Studios de Aalborg na Dinamarca e chegou ontem, dia 5 de janeiro, no Nintendo Switch. O jogo tem base em um visual novel de romance e fantasia moderna te colocando na pele de um jovem aprendiz de alquimista que se vê possuído por um espírito amaldiçoado para poder sobreviver a um ataque. Tal aprendiz é subitamente atraído para uma guerra entre a humanidade e a magia, e junto com um grupo de heróis você deve tentar escapar de sua própria condenação e salvar o mundo ao longo do caminho.

A Queda de Arcadia

Sua vida parecia pacata e, mesmo que magia seja um tema tabu em sua vila, a convivência entre a sociedade e a loja de alquimia em que você trabalha parecia sem grandes problemas. Até aquele dia. Até aquele estranho e enigmático personagem aparecer na loja de Elizabeth.

A partir daí é ladeira abaixo em uma história de tradições, magos, espíritos, aprendizes, demônios, poções e muito mistério. Você e um grupo interessante de personalidades se juntam em busca de tentar resolver os segredos do que está acontecendo e tentar continuar vivos enquanto o fazem.

A base de Arcadia Fallen é a história, e nisso o jogo se apresenta relativamente bem. Os personagens são interessantes, você sente vontade em entender seus objetivos e segredos e descobrir mais sobre cada um deles. Além de claro tentar desvendar o mistério dos ataques e de toda a aura de magia que paira no ar de sua aldeia após um ataque suspeito a loja de alquimia.

Em segundo plano é possível ainda trabalhar quebra-cabeças para criar as mais diversas poções e completar seu almanaque para melhorar como um alquimista.

O Alquimista Possuído

As opções de personalização de seu personagem são relativamente travadas e poucas, mas incrivelmente mais variadas e inclusivas do que muitos jogos, já que você pode escolher livremente o tipo de seu corpo, voz, cabelo e cores independente de gênero. Mas por se tratar de um visual novel com designs pré-construídos você só conseguem chegar a um número finito e pequeno de opções.

Tais opções também não impedirão suas escolhas românticas durante sua jornada, afinal, mesmo enquanto resolve um mistério, tenta sobreviver com um espírito ligado a sua alma e aprende alquimia, você também pode se apaixonar. E você vai, pois cada personagem é unico, com personalidade forte e marcante e você sente vontade de conhecer mais cada um deles (ou de alguns em específico).

O jogo, por ser visual novel, apresenta você com opções pelo caminho e aqui o que me frustrou um pouco foi perceber que tais opções apenas moldavam mais a minha personalidade do que realmente as relações e interações com os outros personagens. Em determinados momentos é possível iniciar ações que podem resultar em relações românticas, mas na maioria das vezes as opções entre ser divertido, brincalhão ou preocupado não irá ter uma resposta do outro personagem dentro da relações de ambos.

O jogo tem dublagem americana dirigida por Philip Bache, diretor de dublagem também responsável por Life Is Strange, o que eleva o game já que tal dublagem é sim muito bem feita, mesmo que apresentada em poucas direções da história. Uma pena não ter dublagem ou legendas em português.

A Alquimia

Enquanto você resolve mistérios, molda sua personalidade e suas relações com tais personagens, você também deve produzir poções e elementos que, vez ou outra, serão necessários no andamento da história. A parte puzzle do game é bem simples, certos elementos e ingredientes possuem símbolos em determinados locais e ao serem colocados na mesa de alquimia devem ser reajustados com cliques para a produção de diversas poções.

O quebra-cabeça é simples e muitas vezes bem fácil de se resolver. Passei bastante tempo tentando completar as estrelas do meu livro de alquimia que são completadas com missões como “use apenas 2 ingredientes” ou “use apenas 2 cliques”. Uma pena essa parte não ser aplicada a história, já que em determinados momentos você deve realizar uma poção, mas é indiferente se você completa missões secundárias, uma poção feita de qualquer jeito também irá mover a história.

Conclusão

Arcadia Fallen traz uma história e personagens interessantes que por vezes se perdem no caminho. A liberdade e o cuidado dados a certas partes do jogo são visíveis, e a falta destes em outros detalhes também aparecem mais do que o quanto gostaríamos. Uma história interessante cheia de mistérios. Personagens únicos cheios de personalidade que te trazem sentimentos e dúvidas a cada andar da história. Arcadia Fallen tem as melhores partes de um bom visual novel, está bem adaptado para a portabilidade do Nintendo Switch, com uma história envolta em magia, pena a pouca gameplay não trazer todo esse sentimento também. Mas se você curte jogos de narrativa, mistério, magia e fantasia e se curte se apaixonar por diferentes personagens, vale a pena a experiência em Arcadia Fallen

 

[Nota do Editor: Arcadia Fallen foi analisado a partir da sua versão para Nintendo Switch. A cópia do jogo foi gentilmente cedida pela Games Branding em nome da Galdra Studios para avaliação. A review foi adaptada da versão original do review para PC do site Rainbow Road pelo mesmo autor.]


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Neto Verneque
O corpo do Mario. A sociabilidade do Link. A fome do Kirby. E tão vencedor na vida quanto o Ash Ketchum.
Share via
Copy link
Powered by Social Snap