Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais

E ai galera tudo bem? Esperamos que sim! Hoje nossa entrevista é com um dos criadores de conteúdo de Pokémon Go mais engraçados que já assisti, Wesley, do canal Direto da Cozinha, que bateu um papo conosco sobre como é ser criador de conteúdo de Pokémon Go e os desafios que vem enfrentando desde o lançamento do jogo aqui no Brasil.

Project N – Primeiro gostaria de agradecer a você pela entrevista e pedir para que você se apresente para nossos leitores

Wesley, Direto da Cozinha – Eu que agradeço o convite, valeuzão. Olá sou Wesley, tenho um canal no Youtube e na Twitch chamado Direto da Cozinha, jogo alguns jogos mais o carro chefe ainda é Pokémon GO. Sim, o jogo ainda existe (sempre perguntam).

Project N – De onde vem do seu canal? E ele foi sempre focado em Pokémon GO?

Wesley, Direto da Cozinha – Ele vem do Youtube (brinks hahaha). Existe desde 2011. Aí comecei de verdade na segunda versão, quando fui demitido de dois empregos em 2015. Pensei que não poderia me lascar mais na vida, ai virei Youtuber. No inicio eram vlogs diversos, depois fui pro “geek”, depois pra críticas de cinema, até que em 2016 criaram Pokémon GO. Desde o primeiro dia do jogo no Brasil até hoje crio conteúdo sobre. 

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais

Project N – Qual foi seu primeiro contato com videogames que se recorda?

Wesley, Direto da Cozinha – O primeiro contato real com videogame, foi com Mega Drive 3, por isso até hoje gosto mais do Sonic do que do Mario. Mas tenho um pequeno flash na memória, da TV de casa sendo derrubada em cima do Atari das minhas irmãs, minha mãe ficou mais brava que um Primeape, porque perdeu a novela.

Project N – Conte para nossos leitores como surgiu essa paixão por Pokémon, foi através do anime ou de algum jogo da série?

Wesley, Direto da Cozinha – Começou literalmente por causa da Eliana, eu era fã dela quando criança (ainda sou). Um dia estreou Pokémon na TV Record, na segunda feira, na sexta já tinha decorado o rap dos Pokémon do encerramento. Acompanho boa parte da franquia até hoje. Embora não jogue todos os jogos, assisto o anime ainda.

Project N – De quem foi a influência para você se tornar youtuber focado exclusivamente em Pokémon GO?

Wesley, Direto da Cozinha – Não tenho nenhuma inspiração direta de criadores de conteúdo de Pokémon GO, isso porque comecei assim como vários dos meus amigos, no momento que o jogo iniciou no Brasil. Então fomos todos pioneiros, cada um no seu estilo, cada um do seu jeito. No mundo Pokémon em si, saindo da bolha do “GO”, desde antes de criar vídeos sobre o jogo eu era e ainda sou muito fã do LeeGengar.

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais
Mr. Mime de Galar que só o Wesley tem, a versão bolo,
de acordo com o próprio Wesley o “Mr Mime de Chernobyl estava uma delícia” rs

Project N – Atualmente você possui algum videogame?

Wesley, Direto da Cozinha – Possuía um PS3 mas vendi, quando percebi que não estava usando mais. Aí montei um PC, jogo nele.

Project N – Qual é seu Pokémon favorito?

Wesley, Direto da Cozinha – Pikachu (deixa eu e meus clichês haha)

Project N – Conte para nós qual o maior desafio de ser um produtor de conteúdo focado em Pokémon GO um jogo que você tem que ir pra rua “caçar” os monstrinhos, vivendo no Brasil, onde sabemos que todo cuidado é pouco para não sermos furtados/roubados?

Wesley, Direto da Cozinha – Esse julgo ser um dos jogos mais difícil do mercado, para se criar conteúdo. Além do perigo das ruas tem:

Clima: saio de casa está sol, no meio do dia um furacão de mil Rayquazas e a chuva de 100 Kyogres;

Gastos: Gasolina, alimentação porque nada acontece na hora que você quer. As vezes você tem que passar o dia inteiro farmando, pra gerar uma boa gameplay;

Pandemia: Como fazer conteúdo de um jogo de rua em casa? Foi um dos meus maiores desafios nesse último ano.

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais
Wesley com inscritos do canal em mais uma caçada Pokémon

Project N – Hoje você consegue viver só da produção de conteúdo ou desempenha algum trabalho secundário (ou primário)?

Wesley, Direto da Cozinha – Consigo viver só disso, mas ainda faço alguns trabalhos na área de audiovisual, como freelancer. Quando eles não sobrepõe o meu trabalho no youtube/twitch.

Project N – Pode nos contar mais sobre o ocorrido com os episódios da novela Raichu de alola Shiny, quando você perdeu a gameplay e só pode contar após conseguir outro?

Wesley, Direto da Cozinha – Essa game play em especial era minha “master piece“, eu sem querer, criei uma novela que tinha como objetivo pegar um shiny do Raichu de Alola. Cada raid era um capítulo. Quando finalmente consegui, eu pensei que seria muito legal criar um último capítulo, com uma “super produção”, desembolsei R$ 1.000,00 em cima da produção de vídeo, onde contei com ajuda de amigos… Bom um deles não era bem amigo. Aluguei equipamentos, criei um roteiro. Como não tinha um PC bom pra editar, um ex amigo, atual rascunho de Satanás me ofereceu o dele. Ele deletou o vídeo e o material bruto, impossibilitando a reedição, com uma desculpa esfarrapada. Como era alguém de confiança e eu estava muito mergulhado no projeto, não criei um backup. Me lasquei. Depois descobri que ele apagou de propósito, alegando minha “fama no Youtube” como motivação. Mas na real foi maldade pura mesmo. Criei um capítulo final, onde expliquei isso a meu público, que não só entendeu, como aplaudiu. Eu respirei aliviado, porque achei que todos iam achar que criei a história pra vender um click bait. Quanto ao Satanás, eu excluí da minha vida. Mas você pode assistir com mais detalhes essa história no Youtube digite “o fim Direto da Cozinha” que você acha (fiz um merchan mesmo, me deixa).

O fim da novela Raichu de Alola e o fim de uma falsa amizade de acordo com Wesley!! (obs: não deixe de acompanhar toda a novela no canal Direto da Cozinha)

Project N – Eu acompanhei de perto, fiquei chateado com o acontecido, mas isso é passado.  Nos conte, você já pensou em entrar para o cenário competitivo?

Wesley, Direto da Cozinha – Então, não existe cenário competitivo em Pokémon GO. O que existe é um cenário “underground” de competições não oficiais pelo mundo. O PvP (player vs. player) do jogo, tem tudo para isso, mas não sei por que a empresa nunca o levou tão a sério. Assim como “Valorant” e o “LoL” da Riot, Pokémon GO tem seus pro players no PvP, mas não tem a Niantic oficializando isso e entrando de vez no eSports, tornando esses jogadores estrelas, criando base de fãs e tudo mais. Acho totalmente possível isso, mas precisa dela organizando esse caminho, talvez ela não tenha esse interesse.

Project N – Como está sendo se adaptar a nova realidade enfrentadas por todos nesta pandemia, como foi jogar Pokémon GO sem sair de casa?

Wesley, Direto da Cozinha – Horrível em todos os sentidos, não só pela solidão, mas também pelo divertimento do jogo que caiu drasticamente por um tempo.

Project N – Como é a sua interação com os inscritos do seu canal?

Wesley, Direto da Cozinha – Excelente, eu amo e respondo sempre que posso a maioria deles nas redes sociais, menos no Facebook. Eu sempre tento criar alguma maneira de interagir mais com eles nos conteúdos. Viajei boa parte do Brasil inclusive, por isso. Antes da pandemia é claro.

[Entrevista] Wesley, Direto da Cozinha, nos conta os desafios de jogar Pokémon GO no Brasil e mais
Mais um evento de Pokémon GO antes da pandemia que o Wesley participou com seus inscritos

Project N – Qual o momento mais marcante para você nesta trajetória como criador de conteúdo?

Wesley, Direto da Cozinha – Quando entendi que o canal, tinha uma função muito maior que só entretenimento. Consegui junto com outros amigos e criadores, participar e organizar uma série de campanhas pelo Brasil. Onde foram arrecadas mais de 7 toneladas de alimento, distribuídos para várias instituições. Entre elas, asilos e orfanatos. Além disso, ler da importância do meu trabalho nessa pandemia, o quando gerei de entretenimento, para alguns médicos e enfermeiras da linha de frente, que jogam o jogo e me assistem. Foi importante pra mim saber. Ainda, as pessoas que sofrem com algum quadro de depressão entre outras coisas que se apegaram no canal como um respiro e que me agradeceram pela produção de conteúdo. 

Project N – Quais os planos para o futuro?

Wesley, Direto da Cozinha – Dadas as condições atuais, não morrer. Além disso, continuar fazendo rir, com minhas piadas ruins e observações duvidosas, seja com Pokémon GO ou não.

Project N – Quer deixar algum recado para nossos leitores?

Wesley, Direto da Cozinha – Eu sei que você leu essa entrevista sentado no vaso fazendo o número 2, força aí meu anjo.

E chegamos ao fim de mais entrevista com este cara super engraçado que é o Wesley, acompanhem o trabalho dele no Youtube e no Instagram.

Não deixem de seguir também o portal no Instagram @PortalProjectN, e querendo saber mais sobre nossas entrevistas não deixem me seguir nas redes sociais @RafaelPrudas no Instagram e @Prudas no Twitter, fiquem com Deus e que este final de ano seja abençoado e de muitos jogos.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]