Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Flynn: Son of Crimson - Controle a sua raiva!

Flynn: Son of Crimson – Controle a sua raiva!

Um jogo de plataforma simples, divertido e desafiador na medida certa.

Bem-vindo a Rosantica. Um lugar cheio de beleza, alegria, amor, goblins e muita coisa estranha.

À primeira vista esse jogo de plataforma 2D do Studio Thunderhorse pode passar despercebido na E-Shop, mas não se engane pelo visual retrô e imagens fofinhas pois elas escondem uma estória densa, sóbria, sombria e com muita reflexão sobre como lidamos com nosso passado e da raiva existente dentro de cada um de nós, como ela afeta nossa vida e a todos em nossa volta. Um jogo de plataforma simples, divertido e desafiador na medida certa.

A jornada inicia

Logo no inicio sem muita explicação Flynn está na frente da sua casa com seu pai cortando lenha e encorajando o filho a explorar o mundo. Logo de cara o jogo mostra a sua principal característica: o tutorial sem tutorial. Eu explico, inimigos e NPCs (personagens não-jogáveis) se revezam em dar dicas ou realizar ações que o nosso herói pode ou deve realizar naquelas situações, essas dicas não são obrigatórias e podem ser descobertas por conta própria apenas apertando botões ou investigando. A dica está lá, usa quem quer e precisa. Essa escolha dos desenvolvedores deixa o jogo mais fluído e as exploração ainda mais prazerosa deixando a cargo do “player” como pretende passar daquele determinado desafio.

Flynn: Son of Crimson - Controle a sua raiva!
O início…

Os NPCs são os guias dessa jornada. Alguns mais importantes que os outros, porém todos tem algo valioso para auxiliar na aventura, desde dicas, perguntas, quests e itens. A forma como cada um tem de “falar” já deixa bem claro suas personalidades e intenções, parece banal, todavia é tão bem feito que a imersão ocorre naturalmente e a cada nova terra descoberta amigos são feitos, missões são dadas e tudo muda. Não é nada novo ou revolucionário, concordo, mas um “arroz com feijão” bem feito pode muitas vezes surpreender.

Empunhando sua espada de treino e cheio de coragem nosso pequeno herói ruivo descobre que um grande mal está tentando destruir Rosantica, corrompendo a fauna e a flora, acabando com recursos naturais, separando famílias ou destruindo cidades inteiras. Flynn precisará da ajuda da Deusa Sorrell, sua querida cadela Dex e muita habilidade para derrotar o poderoso Zealock e a enigmática Rozia.

Dex, armas e rubis

Ao longo de suas aventuras Flynn receberá da Deusa Sorrell três armas muito poderosas: A Lâmina Rubra, o Machado Rubro e as Garras Rubras. Armas que são a representação física da raiva do garoto, que crescem em poder a medida que o garoto controla e canaliza essa raiva crescente no seu coração. Rubis espalhados pelo mundo ajudam a desbloquear habilidades, entretanto a grande arma do jogo se chama Dex, a cadela serve de espirito guardião e única amiga durante toda vida do herói. Sua jornada é tão tocante quando a de seu dono, mostrando que quando as coisas ficam difíceis, uma amiga e muito amor podem ajudar a resolver os problemas.

Flynn: Son of Crimson - Controle a sua raiva!
Amizade verdadeira.

Armas poderosas não vão derrotar todos os inimigos. Paciência, timming e muita esquiva serão necessários para não só vencer como também aprender os ataques de cada adversário. O sistema de batalha é justo e bem balanceado, cada inimigo tem um padrão bem definido, o quê não facilita em nada nos combates. O excesso de confiança é mortal uma vez que tanto inimigos quanto a fase estão tentando te matar. Plataformas desafiadoras na medida certa com elementos conhecidos sendo usados de formas diferentes apresentam um ar de frescor a cada fase vencida ou perdida.

Controle a sua raiva!

Rozia é um bom exemplo de como o jogo te desafia e ajuda ao mesmo tempo. A personagem aparece em inúmeras ocasiões, desafiando para combates até a morte, contudo ela só aceita enfrentar Flynn quando o herói possui as forças adequadas para aquele combate. E a cada combate ela mostra saber mais sobre o garoto do que ele mesmo dando dicas e soltando frases sobre o passado de Flynn, sua origem, seus poderes e da raiva que ele deve aprender a controlar.

E é nesse ponto que o jogo mostra a sua faceta mais interessante. Por meio das angustias de Flynn, seus medos e forte raiva podemos perceber como as marcas da infância influenciam a forma como encaramos o mundo. Sofrer demais ou ser poupado de qualquer sofrimento não são os caminhos ideais no desenvolvimento de nenhum ser humano. Quando o garoto começa a interagir com os moradores das vilas e descobrir aos poucos informações do seu passado, sua raiva aumenta lhe conferindo mais poderes, trazendo inimigos mais fortes, perigos maiores e um caminho de autodestruição ou autodescoberta dependo do controle dele e do jogador que também deve aprender a controlar a sua própria raiva a cada morte ou derrota.

Flynn: Son of Crimson - Controle a sua raiva!
Vermelho de raiva.

O jogo vale a pena?

Sim. Ainda mais se você cansou de caçar Koroks, fugir dos E.M.M.I.S. ou apanhar no Smash Bros e está procurando um jogo simples, divertido e com uma curva de aprendizagem fluída e justa, visual 8 bits nostálgico, música bem feita e roteiro redondinho. Sabe aquele jogo pra curtir e se divertir? Com progressão simples e poucos colecionáveis pra pegar? Estória bem escrita, tocante e imersiva? Sabe? Então se você quer tudo isso corre na E-shop e dê a si mesmo esse presente mais que merecido nesses dias tão exaustivos e estressantes. Quem sabe essa raiva ai dentro de você não diminui ajudando o Flynn a controlar a dele? Tenta, prometo que não vai se arrepender.

Trailer de Gameplay
Flynn: Son of Crimson
9 / 10 Nota Final
Prós
Visual Retrô 8 bits
Jogabilidade excelente
Roteiro cativante e imersivo
Dificuldade desafiadora na medida certa
Progressão simples, arroz com feijão bem feito
Contras
Poucas opções de ataque como combos ou mais um botão
Mais um herói mudo
Faltou uma fase só com Dex
Fases curtas demais
Resumo
À primeira vista esse jogo de plataforma 2D do Studio Thunderhorse pode passar despercebido na eShop, mas não se engane pelo visual retrô e imagens fofinhas pois elas escondem uma estória densa, sóbria, sombria e com muita reflexão sobre como lidamos com nosso passado e da raiva existente dentro de cada um de nós, como ela afeta nossa vida e a todos em nossa volta. Um jogo de plataforma simples, divertido e desafiador na medida certa.
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

@Nersito
Nerd, nostálgico, pai e professor. Reclamador profissional com PHD em Harvard. Conheço o Mario, e daí? Assopra a fita e bora jogar! Canal Juninhos Fun Club no Youtube!!!
Share via
Copy link
Powered by Social Snap