Hollow Knight - Banner

Hollow Knight – A atual referencia do gênero Metroidvania

Vamos tomar um ar e se se preparar pois contarei uma pequena e controversa história antes de iniciar essa review. Vamos falar sobre um garoto que trava de medo de insetos (e seres que ele considera insetos), bem próximo de uma fobia, e sua paixão por Vida de Inseto e Hollow Knight.

Meu medo e terror sobre esses seres minúsculos, e em grande parte inofensivos, começou quando bem criança vi o desespero da minha mãe, aquela que me alimentava, me defendia, era minha fortaleza e segurança, ao ver uma lagarta em uma de suas plantas. Uma forma de vida inofensiva e minúscula trouxe tanto terror para ela que me contaminou e, seguindo a forma de aprendizado por observação e experimentação de todas as crianças, a criança cresceu (não muito) misturando horror e fascínio por esses seres.

A origem do horror foi explicada, mas e o fascínio? Bem, esse eu não sei dizer ao certo, mas sei que foi com Kamen Rider e Vida de Inseto (tive a fita VHS, ainda sei as falas) que as coisas mudaram até então chegar na minha vida Pokémon e seus estilosos pokémon do tipo Inseto para abrandar esse terror e mostrar que insetos podem ser legais.

Porém um dia esse que vos fala teve a incrível e brilhante ideia de ler o mangá Terraformars e as coisas pioraram novamente. Então, em uma certa semana de Natal, resolvo comprar na e-shop um jogo bem barato, com uma arte muito bonita de insetos, chamado Hollow Knight e o fascínio volta e com mais força do que antes. Dada a introdução, vamos lá.

O que é Hollow Knight?

Hollow Knight é um jogo Metroidvania, ou Plataforma Explorativa se preferir, lançado em 2017 para PC e chegou ao Nintendo Switch em 2020. O jogo possui fortes raízes no lado explorativo com revisitação de ambientes a cada nova habilidade conquistada, bem como os jogos da série Metroid. O jogo foi desenvolvido pela Team Cherry em uma equipe com apenas 3 pessoas: Ari Gibson, William Pellen e David Kazi.

Team Cherry - Desenvolvedora Australiana

Hollow Knight: Dirtmouth e seu reino desolado

Já sabemos que Hollow Knight é um metroidvania, e que se trata de insetos, mas o que cativou esse que vos escreve não foi apenas isso mas sim sua história e narrativa. Logo de inicio vemos uma cidade ao fundo e um pequeno inseto de cara branca. A cidade é Dirtmouth, uma cidade decadente e o ponto de partida para a sua jornada, o pequeno inseto é o protagonista e com essas informações você cai, literalmente, de um penhasco e deve abrir seu caminho sem mais explicações.

Hollow Knight - Promocional

Seguindo diversos padrões, o protagonista mudo aprende a atacar e a pular, em seguida a concentrar energia e usar alma, magia nesse mundo. Pronto, já tem o básico para desbravar esse mundão de meu Deus, vá em frente. E em frente temos a cidade vazia, com apenas um morador chamado de Ancião. Ele te questiona e te da as primeiras informações sobre esse mundo. É dele que vem a premissa da cidade, seus moradores, do reino desolado de Hallownest e dos perigos que há abaixo da superfície.

Hollow Knight - Dirtmouth
Dirtmouth, Ancião e mais alguns NPCs

Hollow Knight não entrega sua história de bandeja e sim espera que você a conquiste e a desvende em suas encruzilhadas, lendo trechos de eventos históricos gravados em monumentos e encontrando os poucos e perdidos NPCs que te ajudam na jornada ou apenas confundem ainda mais seu cérebro de besouro. Portanto muito dessa história criada lá em 2017 ainda é obscura e depende de explorarmos a fundo e tirarmos nossa própria conclusão sobre esse mundo esquecido e contaminado.

Sinto dizer que mesmo explorando cada centímetro do vasto mapa, passando por todas as DLCs e consultando as mídias extras como a História em Quadrinhos de Quirrel, muitas dúvidas ainda permaneceram pois não sobreviveu ninguém em toda Hallownest para poder contar essa história. Ao menos não sobreviveu com sua mente intacta.

O jogo possui a possibilidade de 112% de conclusão para os colecionistas e também conta com um sistema interno de Conquistas. Para extrair todo seu potencial, quatro DLCs estão disponíveis dando expansão, conteúdo, finais diferentes, chefes extras e ainda mais modos de jogo. Vale mencionar que o jogo no Nintendo Switch já vem com as quatro DLCs inclusas no valor total.

Trilha Sonora

Duas palavrinhas para resumir essa trilha sonora: Para Béns!

Brincadeiras à parte, a trilha sonora composta por Christopher Larkin é no mínimo mágica e perfeita. Sim, no mínimo. Não conseguiria descrever qual seria seu máximo mas acho que posso te explicar o motivo disso: Ambientação e Tensão.

O jogo possui musicas ambientes que ajudam a diferenciar os cenários e áreas do mapa e todas foram orquestradas de forma muito minuciosa a incorporar alguns elementos do cenário em sua partitura, ou colocar instrumentos que assemelham algo que vemos me tela. Dessa forma ao explorar os ambientes você consegue se preencher e se “perder” pela música e seus elementos.

Outro ponto fortíssimo estão nos efeitos sonoros do ambiente, que interagem com o que você está vendo e muitas vezes assustam por te pegar desprevenido ou mesmo os sons de rastejar, crepitar, grunhidos, murmúrios, canções, que você houve mas não enxerga de onde vêm. Tudo contribui para criar um ambiente completo e uma tensão maior que alcança seu ápice no momento em que você leva dano.

Ao levar algum dano, visualmente temos um pequeno fade out em tela bem rápido, mas sonoramente te da alguns segundos de “surdez”. Isso transmite uma sensação de momento crítico e desespero muito grande, principalmente contra chefes onde alguns sons predizem o ataque que virá te dando oportunidade de desviar ou revidar.

Design

A arte do jogo foi feita a mão com muitos detalhes por Ari Gibson e William Pellen e todas as animações são bem fluídas mesmo sem possuir tantos quadros. A temática do jogo trouxe muita liberdade para os criadores e por mais que sejam insetos há uma fofura neles que tira aquela característica assustadora. Tá, não em todos os insetos e inimigos, mas em sua maioria e isso já ajuda.

Mas não se engane, ainda assim conseguimos nos assustar, principalmente numa área do mapa chamada Ninho Profundo, esse local é quieto e com pouca luz. Há ali aracnídeos (que sim, eu sei que não são insetos) e a ambientação desse local mostra muitos inimigos no cenário como sombras ou efeitos de paralaxe. Pra quem não sabe, esse efeito de paralaxe é a sensação que temos que o cenário de fundo do jogo se mexe conforme andamos, como se fosse vivo. Some isso com o som de rastejar e crepitar e vc tem uma paranoia próxima de quando vc perde uma barata de vista.

Hollow Knight - paralaxe
Efeito de paralaxe sendo criado na Unity

Hollow Knight possui um mundo relativamente grande e subterrâneo conforme podemos ver no vasto mapa que é dividido em cerca de quinze áreas diferentes, cada um com sua gama de perigos, inimigos e chefes que condizem com o ambiente onde estão. E falando em chefes, são mais de 20 chefes diferentes isso contando apenas os chefes do jogo base, fora os adicionados nas DLCs. Mas não se preocupe, nem todos são obrigatórios para finalizar o jogo.

E agora que toquei nesse ponto, o jogo possui cinco finais diferentes onde a equipe criadora alega serem todos canônicos, ou seja, independente de qual final você conquistar, esse é o oficial do desenrolar da história. Dois finais estão no jogo base enquanto outros três são obtidos através das DLCs.

Gameplay

Os comandos são simples e tudo responde perfeitamente bem, porém o jogo é difícil e desafiador. Hollow Knight possui sua essência no estilo metroidvania e acrescenta seu próprio tempero nesse já conceituado gênero.

O jogo tem o foco na exploração e combate utilizando de golpes simples mas estratégias complexas com a ajuda de um sistema de amuletos equipáveis que dão diversas novas habilidades ao protagonista. Esses amuletos são equipados em qualquer banco encontrado no jogo e esse mesmo serve também para atualizar o mapa e para salvar o jogo.

Inclusive, acho interessante informar que ao salvar o game sentando no banco todos os inimigos (exceto chefes) dão respaw. E ao morrer no jogo você reaparecerá no último banco utilizado, porém nessa mecânica temos uma pintada de Roguelike para agradar, ou não, o nosso paladar.

Quando você morre, o jogo salva automaticamente e seu corpo se despedaça com uma sombra saindo de você e permanecendo no local onde morreu com TODO seu dinheiro e metade do sua capacidade de alma. Ou seja, ao reaparecer você está sem dinheiro e com metade da capacidade de usar suas magias, e só poderá recuperar tudo derrotando a sua sombra no local de sua morte. Ela não é difícil, alguns 3 ou 4 golpes já resolve o problema, porém se você morrer novamente antes de chegar na sua sombra o mesmo acontece e a primeira sombra desaparece com o dinheiro que tinha e a nova sombra assume com o dinheiro que tinha no momento que morreu, já sua capacidade de almas não se divide novamente, permanece com metade e basta derrotar sua sombra para recuperar.

Outro ponto fortíssimo no jogo é a exploração que usa muito bem a revisitação já conhecida no gênero. Há diversos biomas e passagens secretas que nos presenteia com NPCs agregando história, itens de melhoria para a arma ou mais espaços para equipar habilidades, novos amuletos, atalhos, dinheiro ou um Grub aprisionado. Os grubs são pequenas larvas que servem de sidequest e há 48 grubs aprosionados e espalhados por todo o mapa.

Dificuldade e New Game +

Como já mencionamos, o jogo é difícil. Em determinadas áreas ou da metade pro fim do jogo os inimigos recebem um buff e todos, até mesmo os iniciais, se tornam extremamente mortais e rápidos. E agilidade é a base do combate em Hollow Knight.

Nosso pequeno besourinho precisa constantemente desviar e achar brechas para atacar e o timming para achar esse momento do ataque é o que torna o jogo desafiador. Mesmo vendo diversos vídeos de como enfrentar Chefe tal, mesmo sabendo seus movimentos, há uma somatória de fatores que sempre me quebra: Trilha sonora gera tensão, tensão gera suor nas mãos, suor nas mãos gera tomar dano, tomar dano gera surdez momentânea e repita durante toda a batalha.

Talvez se já estiver acostumado com jogos onde essa dificuldade é comum, o jogo não se mostre tão desafiador para você, mas que a Radiance ou o Troupe Master Grimm vão te fazer parar e se indagar como ou o porquê disso… aaahh vão!

Hollow Knight - VS Grimm
Troup Master Grimm no Panteão dos Deuses

Mas caso isso não te incomode e queira mais desafio, ao finalizar o jogo ao menos uma vez,qualquer final e qualquer porcentagem, é liberado a função de New Game + chamada Alma de Aço (Soul of Steel). Nesse modo você recomeça o jogo e tudo flui exatamente como é, com pequenas mudanças em 2 ou 3 NPCs, porém a grande jogada aqui é: não pode morrer. No modo Alma de Aço se morrer o save quebra e fica sinalizado dessa forma na tela de seleção de save no menu inicial do jogo.

DLCs

Hollow Knight possui 4 DLCs confirmadas e publicadas sendo elas: Sonhos Ocultos, Trupe Grimm, Sangue Vital e Mestre dos Deuses. Tendo as duas primeiras sido lançadas ainda em 2017 e as duas ultimas lançadas no ano seguinte, em 2018.

Cada DLC traz um pouco mais de história, novos personagens e novas possibilidades para o gameplay. Vale o destaque para Sonhos Ocultos que traz uma nova arma ao jogo, o ferrão dos sonhos, nos dando a capacidade de entrar nos sonhos de alguns personagens e ter novos diálogos e até mesmo novos embates com chefes já derrotados ou NPCs que não eram ameaça.

Ainda em Sonhos Ocultos temos mais do desvendar da trama e acesso à uma câmara com mensagens dos apoiadores do projeto no Kickstarter. Há diversas mensagens ali e próximo ao acesso dessa câmara há um cemitério com diversos NPCs também relacionados aos apoiadores.

Trupe Grimm trás algumas melhorias em amuletos, alguns amuletos novos e uma sombria temática de circo itinerante misturada com rituais, também traz um dos chefes mais difíceis do jogo, o Mestre da Trupe, Grimm.

Sangue Vital traz novos amuletos e uma camada mais baixa de história, seja ela relacionada ao sangue azul encontrado em alguns lugares do jogo ou seja ela sobre a misteriosa origem do protagonista.

Por fim Mestre dos Deuses traz um novo NPC, dois novos finais e o modo boss rush dentro do jogo chamado Panteão dos Deuses. Esse NPC também acrescenta um pouco de história e os finais extras que podem ser liberados são dentro do Panteão dos Deuses. Certamente para liberar o chefe você precisa antes tê-lo vencido no decorrer da historia do jogo. Há também nessa DLC uma câmara onde poderá voltar a enfrentar qualquer chefe antes derrotado e alguns terão novas formas ou melhoramentos.

Haveria ainda mais uma, ou algumas, DLCs para serem incorporadas ao jogo, porém dada a complexidade e a quantidade de ideias optaram por não fazer e em seu lugar anunciaram um novo jogo em desenvolvimento: Hollow Knight: Silksong. Uma das DLCs para o Hollow Knight consistia em tornar Hornet, uma das personagens e chefes do jogo, em personagem jogável e em Silksong Hornet será a protagonista. Pouco se sabe sobre como Silksong ligará sua própria história com a de Hollow Knight, mas independentemente de como isso será feito, Silksong já é um dos jogos mais aguardados desde seu anúncio em 2019

A Nova Referência do Gênero

Hollow Knight se tornou, sem sombra de duvidas, uma referência no estilo metroidvania. O jogo conseguiu unir perfeitamente exploração e combate, mesmo que ainda tenha “deixado a desejar” com uma história pouco coesa.

Após seu lançamento e consolidação no mercado, e mesmo seis anos depois de seu nascimento, conseguimos ver sua influencia naquilo que vejo como quatro pilares: Estilo Artístico, Mecânicas de Habilidades, Exploração e Combate. Para quem jogou é fácil enxergar esses pilares.

Nem todo jogo vai buscar inspiração nesses quatro pilares juntos, mas nos metroidvanias que vemos hoje em dia há certamente ao menos um deles incorporado, como por exemplo, Pronty: Fishy Adventure que possui Estilo Artístico e Mecânica de Habilidades muito próximas de Hollow Knight. Ou NineSols que possui Estilo Artístico e Combate.

Detalhes Técnicos

Bom, Bonito e Barato. Hollow Knight pesa pouco mais de 5gb, pode ser jogado no modo portátil e na dock, possui compatibilidade com pro controller, é um jogo solo e é perfeitamente localizado em PT-BR. Tudo isso por apenas R$27,99 reais. Mais uma vez, esse valor já inclui as 4 DLCs disponíveis e o jogo já traz todas elas junto como um bundle com o nome Voidheart Edition.

Hollow Knight - Dados Técnicos
Hollow Knight - Banner
Hollow Knight
Veredito
Um jogo que entregou uma experiencia tão boa em seu gênero que se tornou uma referência. Com uma história instigante, um reino decadente, gameplay focada no timming, efeitos sonoros impecáveis, personagens cativantes, DLCs que acrescentam boa dose de jogatina e até cinco finais diferentes, Hollow Knight é um jogo para se ter e se entregar!
Design
100
Trilha Sonora
100
Diversão
100
Gameplay
100
Custo x Benefício
100
Prós
No precinho abaixo de R$30,00 em preço cheio e vira e mexe está em promoção
Versão de Switch vem com todas as DLCs inclusas
Diversão para complecionistas: Faça os 112%!
Ambientação e trilha sonora em perfeita sincronia
Localizado em PT-BR
Momentos de ação, de tensão, de realização e de descobrimento. Tudo muito bem pontuado e ambientado.
Contras
Por vezes a dificuldade se torna cansativa, principalmente em alguns chefes.
Por ter como tema insetos, pode afastar algumas pessoas.
100
Nota Final

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Desenvolvedor, gamer, marido e pai de pet. Um fã de Zelda, Monster Hunter, RPGs e Metroidvanias, que ama dar risadas, desenhar, jogar e reclamar que não tem tempo para fazer isso mais vezes.
Coroa Coroa