Project History – Virtual Boy: o console de realidade virtual da Nintendo

Virtual Boy
Virtual Boy

Virtual Boy foi um videogame lançado pela Nintendo em 1995, que tentou inovar ao oferecer uma experiência de realidade virtual em 3D. O console era formado por um óculos que projetava imagens em duas cores (vermelho e preto) e um controle com dois direcionais e quatro botões.

O aparelho prometia uma imersão e uma interatividade nunca vistas antes, mas acabou sendo um dos maiores fiascos da história dos videogames, por causa de seus problemas técnicos, de design e de conteúdo.

A história do Virtua Boy

O Virtual Boy foi um projeto idealizado por Gunpei Yokoi, o criador do Game Boy e do Game & Watch, que trabalhava na Nintendo Research & Development, um dos departamentos de pesquisa e desenvolvimento da Nintendo. Yokoi era fascinado pela ideia de criar um console que pudesse simular uma realidade virtual, e começou a trabalhar nesse conceito em 1991, usando a tecnologia de LED para criar um efeito 3D.

O protótipo do console foi apresentado pela primeira vez em 1994, no evento Shoshinkai Show, no Japão, e no Winter CES, nos Estados Unidos, sob o nome de VR32. O console chamou a atenção da mídia e do público, que ficaram curiosos e empolgados com a novidade. A Nintendo anunciou que o console seria lançado em 1995, com o nome de Virtual Boy.

Project History - Virtual Boy: o console de realidade virtual da Nintendo
Virtual Boy

O Virtua Boy foi lançado no Japão em 21 de julho de 1995, e na América do Norte em 14 de agosto de 1995. O console vinha com o jogo Mario’s Tennis, um jogo de tênis estrelado pelo famoso personagem da Nintendo. O console também tinha outros jogos disponíveis, como Galactic Pinball, Red Alarm, Teleroboxer e Mario Clash. A Nintendo planejava lançar o console na Europa e na Austrália, mas acabou cancelando esses planos por causa das baixas vendas e das críticas negativas.

Os jogos do Virtual Boy

O Virtual Boy teve apenas 22 jogos lançados oficialmente, sendo que 8 deles foram exclusivos para o Japão, 3 para a América do Norte e 11 para ambos os mercados. Os títulos eram vendidos em cartuchos, chamados de Game Paks. Os games eram de diferentes gêneros, como ação, aventura, esporte, puzzle e pinball, mas todos tinham em comum o uso do efeito 3D e das cores vermelho e preto.

Project History - Virtual Boy: o console de realidade virtual da Nintendo
Virtual Boy

Alguns dos jogos mais conhecidos do Virtual Boy foram:

  • Mario’s Tennis: um jogo de tênis que vinha junto com o console, e que permitia jogar com vários personagens da série Mario, como Mario, Luigi, Yoshi, Peach, Toad e Donkey Kong Jr. A obra tinha um modo single-player, onde o jogador enfrentava o computador em diferentes níveis de dificuldade, e um modo multiplayer, onde dois jogadores podiam se enfrentar usando dois consoles e um cabo de comunicação.
  • Wario Land: um game de plataforma que era uma continuação do jogo Wario Land: Super Mario Land 3, do Game Boy. O jogo mostrava as aventuras de Wario, o rival de Mario, em busca de tesouros em uma ilha misteriosa. O jogo tinha um visual 3D que criava uma sensação de profundidade e de movimento, e que permitia ao jogador explorar diferentes planos e cenários. O título também tinha vários itens e power-ups que davam habilidades especiais a Wario, como voar, atirar fogo e se transformar em zumbi.
  • Jack Bros.: um jogo de ação que era baseado na série de jogos Shin Megami Tensei, da Atlus. O jogo mostrava as aventuras de Jack Frost, Jack Lantern e Jack Skelton, três personagens que representavam o Halloween, o Natal e o Ano Novo, respectivamente. O game tinha um estilo de labirinto, onde o jogador tinha que encontrar a saída de cada fase, enfrentando inimigos e chefes pelo caminho. A obra tinha um modo single-player, onde o jogador podia escolher um dos três personagens, e um modo multiplayer, onde dois jogadores podiam cooperar ou competir usando dois consoles e um cabo de comunicação.
  • Virtual Boy Wario Land: um jogo de plataforma que era uma continuação do jogo Wario Land, do Virtua Boy. O game mostrava as novas aventuras de Wario, que caía em uma armadilha e era levado para um mundo subterrâneo, onde tinha que encontrar a saída e coletar tesouros. O título tinha um visual 3D que criava uma sensação de profundidade e de movimento, e que permitia ao jogador explorar diferentes planos e cenários. O jogo também tinha vários itens e power-ups que davam habilidades especiais a Wario, como voar, atirar fogo e se transformar em zumbi.

Os motivos do fracasso do Virtual Boy

O Virtual Boy foi um console que não conseguiu cumprir as expectativas e as promessas que fez, e acabou sendo um fracasso comercial e crítico. O console vendeu apenas 770 mil unidades no mundo todo, sendo 630 mil no Japão e 140 mil na América do Norte, e foi descontinuado em menos de um ano após o seu lançamento. O aparelho também recebeu muitas críticas negativas, que apontavam os seus vários problemas e defeitos. Alguns dos motivos do fracasso do Virtual Boy foram:

  • O design: o Virtua Boy era um console que se dizia portátil, mas que na verdade era muito difícil de transportar e de usar. O console era formado por um óculos que pesava 760 gramas, e que tinha que ser apoiado em uma mesa ou em um tripé, que vinha junto com o console. O console também tinha um controle que era desconfortável e complicado de usar, pois tinha dois direcionais e quatro botões, que exigiam muita coordenação e precisão. O console também tinha um visual que era pouco atraente e pouco convidativo, pois era todo preto e vermelho, e que não combinava com o estilo colorido e divertido da Nintendo.
  • O conteúdo: o Virtua Boy era um console que tinha poucos jogos, e que não tinham muita qualidade ou variedade. O console teve apenas 22 jogos lançados oficialmente, sendo que muitos deles eram adaptações ou versões inferiores de jogos que já existiam em outros consoles, como Mario, Wario, Tetris e Bomberman. O console também não tinha jogos que aproveitassem o potencial e a originalidade do efeito 3D, e que criassem uma experiência de realidade virtual. O console também não tinha jogos que fossem exclusivos ou que chamassem a atenção dos jogadores, como Zelda, Metroid, Kirby ou Pokémon.
  • A saúde: o Virtua Boy era um console que causava problemas de saúde em quem jogava, pois o efeito 3D e as cores vermelho e preto podiam provocar dores de cabeça, náuseas, tonturas, enjoos e até convulsões. A própria Nintendo recomendava que os jogadores fizessem pausas a cada 15 ou 30 minutos, para evitar esses efeitos colaterais. Além disso, o console também podia prejudicar a visão dos jogadores, especialmente das crianças, pois o efeito 3D podia causar fadiga ocular, desfoque, estrabismo e até cegueira. O console foi alvo de várias ações judiciais, que acusavam a Nintendo de causar danos à saúde dos consumidores.

A conclusão do Virtual Boy

O Virtual Boy foi um console que fracassou em todos os aspectos, e que se tornou um dos maiores erros da Nintendo. O videogame não conseguiu atrair os jogadores, nem oferecer uma experiência de realidade virtual satisfatória. O console também não conseguiu vender bem, nem gerar lucro para a Nintendo. O console também não conseguiu se manter no mercado, nem se tornar um clássico cult. O console foi descontinuado em 1996, e foi esquecido pela Nintendo e pelos fãs.

Project History - Virtual Boy: o console de realidade virtual da Nintendo
Virtual Boy

O Virtual Boy foi um aparelho que tentou ser inovador e revolucionário, mas que acabou sendo um desastre e um vexame em vendas. O console foi um exemplo de como a tecnologia pode ser mal utilizada e mal aproveitada, e de como a ambição pode se tornar um pesadelo.

O videogame foi um aprendizado e um alerta para a Nintendo e para a indústria dos videogames, que mostrou que nem sempre o mais novo e o mais moderno é o melhor e o mais desejado. O console foi um caso raro e único na história dos videogames, que dificilmente será repetido.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Gamer desde sempre e redator por diversão
Triforce Triforce, Estrela Estrela