Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Sobre irmandade e games

Sobre irmandade e games

Assopra a fita (ou tira o disco da capa), coloca no console e liga. Isso tem sido a minha rotina há muito tempo. Quais jogos eu escolho? Futebol, aventura ou puzzles? Essa também tem sido a minha dúvida há muito tempo. Hoje em dia temos uma vasta gama de influenciadores que nos indicam quais jogos são bons, quais os títulos evitar. Temos o Metacritic, sites especializados, reviews e o nosso glorioso site que nos mantém informados sobre os lançamentos e os jogos que seriam legais jogar. Essa é a nossa rotina hoje em dia. Hoje eu gostaria de começar o ano falando do meu primeiro influenciador digital, aquele que me acompanha há muito tempo me orientando e ajudando a escolher os melhores jogos. Aquele que me influencia até hoje e me proporciona os grandes momentos do meu mundo virtual. Estou falando do meu irmão, Marcelo Delgado.

Tenho a sorte de ter um irmão que sempre jogou comigo e sempre foi muito melhor que eu em quase todos os jogos. Era habitual que ele me vencesse nas corridas de Super Mario Kart e F-Zero, me goleasse no International Superstar Soccer Deluxe, todos jogos do nosso saudoso Super Nintendo. Era natural que ele me ajudasse com aquelas fases difíceis no Super Mario 64, acabasse comigo no GoldenEye 64 no multiplayer. Ganhei algumas vezes, claro, mas ele sempre foi muito melhor que eu. Depois, quando a vida adulta nos tirou da mesma casa, lá estava ele para me indicar jogos, mesmo eu estando afastado desse maravilhoso mundo por algum tempo.

Sobre irmandade e games
Quem nunca lutou pela vida contra os amigos e irmãos?

Foi ele, inclusive, que me puxou de volta. Me deu o PlayStation 3 dele, insistiu que eu comprasse um Nintendo Switch. Nesse tempo, sempre me indicou jogos que achava bons. Nem sempre gostei de todos, porque ele sempre foi mais mente aberta a vários tipos de jogos que eu. Porém, sempre segui as suas recomendações porque ele entende muito do assunto. Meu irmão é Gamer com toda a pompa e circunstância. Hoje é dono de uma belíssima coleção de jogos de várias plataformas, além de ter um espaço gamer de causar inveja em qualquer um!

Jogar com o meu irmão também é tão presente na minha vida quanto o próprio ato de jogar video game. Tenho lembranças de quando tínhamos o Phantom System, o console que era a versão brasileira do NES, nosso amado Nintendinho. Jogávamos por horas a fio, tentando entender como jogar Pitfall, Super Mario Bros e outros clássicos. Na era 16-bit, toda aquela emoção de partidas de futebol, um mundo novo do Mario e Luigi. Na era dos jogos 3D, passávamos muitas tardes nos enfrentando como o mais famoso agente secreto do governo britânico, descobríamos um universo inteiramente novo do nosso herói silencioso e aprendemos que poderíamos jogar jogos de tabuleiro na TV.

Sobre irmandade e games
Confesse que você também escondia o controle debaixo da camisa para que o oponente não visse para onde você iria chutar!

Hoje em dia, por conta das nossas vidas profissionais, infelizmente não temos mais tanto tempo para sentar e jogar. Tive esse prazer nesta virada de ano, graças a esse recurso maravilhoso que é poder levar o Nintendo Switch para qualquer lugar. Que emoção foi para mim dividir aquela telinha em uma partida de Mario Kart 8 Deluxe. Me transportou imediatamente para a época que tínhamos as tardes para sentar e fazer algo que faz parte das nossas vidas há muito tempo.

Sim, amigos. O meu irmão foi o meu primeiro influenciador digital. Que me perdoem o Coelho no Japão, DigPlay e outros profissionais que eu tanto respeito e admiro. Marcelo Delgado foi quem me influenciou primeiro. Se não fosse por ele, não teria a sorte de estar aqui escrevendo para este site, fazendo o que mais gosto e me divertindo demais com esse mundo que é tão fabuloso. Queria que o meu primeiro texto de 2021 fosse sobre o meu influenciador digital preferido. Te amo, irmão! Juro que ganho na próxima partida!


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]