Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
WarioWare: Get it Together - Gerou confusões injustas e precipitadas

WarioWare: Get it Together – Gerou confusões injustas e precipitadas

Hoje a gente vai falar o porquê que o novo jogo do Wario está sendo analisado pelos jogadores da maneira errada! Sabemos que você viu algumas gameplays do início da campanha, e ele parece tipo “mano, qualé a desse jogo de minigames, aliás, nem mini, microgames?”. 

E hoje eu vou contar esse “qualé”, só que não será baseado no que você viu nos vídeos! É o quê então? Bom, vem conosco pra descobrir…

CAMPANHA ENGANOSA

Bom, o resumo do porquê esse jogo não deve ser julgado por vídeos, até mesmo como o que tem no canal Coelho no Japão, é que todos eles mostram a campanha do jogo, e, bom, o GRANDE problema é que a campanha desse jogo não é 10% dele, e eu não estou exagerando!

Se você viu a campanha em algum lugar, você provavelmente ficou com a sensação “parece divertido até, mas tem MUITO pouco conteúdo e ele é MUITO simplório”, eu sei que foi assim porque é o que ele faz parecer, mas a verdade é que essa campanha é uma espécie de tutorial somente.

Como ela funciona:

Você entra numa fase, que é uma temática para os microgames, então, por exemplo, microgames com temática natureza, ficção científica, e o mais legal de todos que é “clássicos da Nintendo”, e aí você precisa vencer 15 microgames e um chefe sem perder 4 vidas. Passou, vai pra próxima fase, recruta um novo personagem, e segue.

E o grande problema é que essa campanha é curta, tem ali umas 2, 3 horas no máximo. Tem umas 15 fases só. E é engraçado porque a demo é um tutorial da campanha, então é como um tutorial do tutorial. Não julguem o jogo pela demo apenas!

Mas calma, meu amigo que está decepcionado, pois mesmo a campanha – que só lembrando, é sim divertida, principalmente em coop, vejam os vídeos do canal – é só um esquenta, e o próprio modo história, após ser terminado, vai se transformar em algo mais legal.

Então eu sei que ele parece muito simples e sem o que fazer, mas agora eu vou te dizer O QUE tem pra fazer!

CONTEÚDO DO JOGO

Basicamente, o jogo ainda é sobre resolver microgames rapidinho. Porém, como eu falei, mesmo o modo história vira outra coisa.

Após zerar, todas as fases se tornam um survival mode, ou seja, não são mais 15 microgames + chefe, e sim 9 games e chefe, porém, após esse ciclo, a velocidade aumenta e os microgames se tornam mais difíceis, ou ao menos eles incluem um elemento surpresa, enfim. Essas alterações são finitas, não fica alterando pra sempre, só a velocidade que de fato, continua sempre aumentando. Mas mesmo sendo finito, cada fase tem aí 23 microgames, então, é difícil saber o que esperar.

E como todo bom survival, você é recompensado, para que haja um incentivo pra você jogar mais e tentar durar mais, e no caso você ganha mais moedas, que durante a campanha você acha que serve só como continue né, MAS NÃO É. 

(Na verdade, essa parte do jogo é bem legal) Com moedas, você compra itens na lojinha e precisa identificar qual item cada um dos 20 personagens gosta, adora, ou odeia. Um sistema que você já deve ter visto por aí em algum jogo.

Dando os itens certos, você consegue upar seu personagem, o que lhe dá direito à opções de customização do visual, além de algumas artes bem legais. Pelo menos até o level 30 tem coisa para desbloquear, e são 20 personagens. Upar todo mundo é um belo desafio e torna a coisa mais significativa não é mesmo?

MAS, se “só trocar a cor da roupinha” não te motiva, eu te digo que o jogo tem um modo rankeado. É isso mesmo, o Wario Cup!

Esse modo traz desafios semanais, e conta com um ranking próprio para o jogador, e não para os personagens, porém, o ranking do personagem ajuda na pontuação, o que influencia na sua recompensa. Então já sabe que é para ter main igual os outros jogos rankeados.

E os minigames aqui tem várias combinações diferentes e elementos diferentes ,como “controle 2 personagens ao mesmo tempo”. E se você é do tipo que não gosta de surpresas, gosta de treinar e se preparar, no “Play-o-Pedia” você pode jogar separadamente e ficar craque nos mais de 220 microgames do jogo, que lembrando, possui aí pelo menos 3 levels de variação. Não é pouca coisa.

Porém se os microgames não te entretém a longo prazo e você preferia minigames mesmo, igual Mario Party ou os medos extras de Smash Bros, não se preocupe!

Pois no “Variety Pack” você tem acesso a 3 minigames focado em resultados, records e tudo mais, e mais 7 outros minigames focados em diversão em grupo (destes 7, só 1 está disponível para um jogador). Tem um inclusive um minigame de ação, Friendless Battle, onde é pancadaria mesmo!

E tudo que você fizer gera recompensas, já que existem dezenas de missões no modo Mission. E você pode correr atrás de fazer essa missões também. Viu, não tem pouca coisa não!

Ainda é um jogo sobre microgames, porém, entendem que julgar todo esse conteúdo listado, que agrada principalmente no multiplayer (foco do jogo), mas também no singleplayer, apenas pela campanha, é um GRANDE erro?

GOTY?

Obviamente, não estamos dizendo que WarioWare: Get it Together é “MEU DEUS DO CÉU, O MELHOR JOGO DO NINTENDO SWITCH”! A defesa aqui é de que ele é um lançamento válido! 

Só nesse ano de 2021, nós, jogadores de campanhas épicas, e games ‘’hardcore” recebemos ou receberemos Monster Hunter Rise, Metroid Dread, No More Heroes 3 e Shin Megami Tensei V, eu estou listando só exclusivos em 2021 e nenhum remaster. Com uma line-up dessa, é legal sim ter um jogo diferente, focado no multiplayer, em minigames, um jogo do Wario que há tempos estava faltando no Switch.

E eu sei que quem vê pela primeira vez, olha os microgames e eles parecem uns jogos feito em flash, mas é o estilo “trashzeira”, “esculachado” dos minigames da série, porque no jogo, é dito que quem desenvolveu esses minigames foi o próprio Wario, então ele é meio ruim como desenvolvedor sabe?

Agora, a jogabilidade está muito boa, o polimento é muito bom, e só os microgames tem essa aparência né, o resto do game é bem bonitinho.

Mas o que o nosso time Coelho no Japão pode ASSEGURAR, é que não é um jogo “feito nas coxas”. A arte dos personagens, menus, do modo história, está muito bem feita, a trilha cumpre seu papel muito bem, o jogo é MUITO bem polido, ele se preocupa em trazer conteúdo para todo tipo de jogador, desde minigames bagunçados para 4 jogadores, um campanha tutorial para 2 amigos, familiares ou em casal, até aos jogadores hardcores que querem subir de ranking, e fazer os desafios semanais com pontuação máxima e upar todo mundo por nível.

Até os créditos do jogo é um minigame e minigame mesmo, lá no modo missão tem algumas tarefas para ele. E essa matéria é para isso, para avisar vocês que esse não é um jogo relaxado, ele foi feito com carinho pela Nintendo em parceria com a Intelligent System, que é a empresa do Paper Mario, um jogo de também muita qualidade.

Ele é simples, mas ele sabe disso, tanto que NÃO CUSTA 60 dólares, então não precisa comentar que “não vale 300 reais”, beleza?

Então, agora que vocês estão vendo tudo o que o jogo tem a oferecer, acho que já tem mais embasamento para julgar se ele vale a pena ou não, se é melhor ignorar, e, mesmo se ele fosse o melhor jogo do mundo, o estilo dele NÃO É para qualquer um.

  • Preço padrão: R$250,00 / US$50,00
  • Avaliação do preço: OK
  • Ponto Alto: Entrega um jogo simples, mas sólido e divertido.
  • Ponto Baixo: Alguns modos multiplayer poderiam ter opção singleplayer x CPU.
  • Dificuldade: “Tranquileba
  • Versatilidade (Acessibilidade x Desafio : Muito bom, tem algo aqui para todo público.
  • Visuais: 8,0
  • Trilha sonora: 7,0
  • Gameplay: 8,0
  • Progressão: 7,5
  • Polimento: 9,0
  • Custo x benefício: 7,5
  • Nota final: 8,25