fbpx
Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity

Hyrule Warriors: Age of Calamity foi revelado em um trailer lançado em 8 de Setembro de 2020, apresentado pelo produtor da série Zelda, Eiji Aonuma e pelo produtor da Koei Tecmo Yosuke Hayashi. O jogo apresenta os mesmos recursos de arte que The Legend of Zelda: Breath of the Wild, mas usa o estilo de jogabilidade mais focado no combate do jogo anterior Hyrule Warriors.

De acordo com Hayashi, o jogo se tornou realidade quando Aonuma o abordou para fazer um novo jogo Hyrule Warriors sobre os eventos da Grande Calamidade, que não foram mostrados em Breath of the Wild. Aonuma sentiu que as batalhas se complementariam bem com o estilo de jogo do Warriors. Os desenvolvedores de Zelda da Nintendo trabalharam mais de perto com a equipe de desenvolvimento da Koei Tecmo do que no Hyrule Warriors, fornecendo aconselhamento e assistência com a jogabilidade, gráficos, mundo e diálogos.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity

A revelação

Durante a apresentação do gameplay do Nintendo Treehouse Live em 7 de outubro, a Nintendo afirmou que o jogo exploraria mais backstories e relações entre personagens, aspectos que não foram examinados minuciosamente em Breath of the Wild. No dia 28 de Outubro a Nintendo nos surpreendeu com um Direct Mini com vários jogos de outras produtoras e anunciou um demo do Hyrule Warriors: Age of Calamity, já disponível na eShop para download.

Como o Hyrule Warriors anterior, Age of Calamity mistura a jogabilidade hack-and-slash da série de videogames Dynasty Warriors da Koei Tecmo com configurações, personagens e outros elementos da série The Legend of Zelda da Nintendo. Além de manter os sistemas de combate, fabricação de material e atualização de armas de Hyrule Warriors, o jogo incorpora a solução de quebra-cabeças ambiental e o uso da ferramenta Sheikah Slate de Breath of the Wild.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Ao iniciar o jogo você é apresentado ao menu principal e já de cara parece muito familiar. Tiveram o carinho e cuidado de manter o ambiente de Breath of the Wild. Na melodia de piano, o som do vento e trovão ao fundo, te dá uma sensação de que o jogo é familiar.

A história

O jogo se passa 100 anos antes dos eventos de The Legend of Zelda: Breath of the Wild. A história retrata a Grande Calamidade, uma grande guerra mencionada em Breath of the Wild entre os exércitos de Hyrule e as forças da Grande Calamidade de Ganon que resultou no colapso do reino.

Logo no início aparece os guardiões invadindo o Castelo de Hyrule e a cena pula para o quarto de pesquisas de Zelda. A Zelda disperta o poder dela para proteger o Link do raio de um guardião. A luz forte do poder da deusa Hylia entra pela janela da sala de pesquisas e brilha sobre um mini guardião que se ativa e ouve a voz de Zelda dizendo – Preciso salvar todo mundo… Logo depois, aparece o mini guardião (que chamaremos de BB1) abrindo um portal e um guardião nervoso viu o acontecimento e atirou, empurrando BB1 para dentro do portal junto com malice.

Logo depois vemos o Rei Rhoam Bosphoramus Hyrule falando com os soldados sobre a profecia, várias batalhas que tiveram contra a calamidade chamado de Ganon. O Rei continua dizendo que acharam relíquias avançadas de uma tecnologia antiga da sheikah para ajudar proteger o Reino de Hyrule e que as hordas do mal estavam a caminho para destruir tudo que construiram. No final ele solta um brado aos guerreiros segurando uma espada gigante (Parece cena do filme Braveheart), pedindo para os soldados defenderem Hyrule dos inimigos e Link aparece.

A batalha inicia em Hyrule Field onde o Link e outros soldados estão olhando para o campo de batalha com centenas de bokoblins estão invadindo. Como no jogo Breath of the Wild, os tutoriais são simples e fácil de pegar, além de ser um jogo estilo Dynasty Warriors que é só apertar todos os botões que você mata todo mundo. Mas chega de Spoilers, bora para o que interessa.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Nota 10

As lendas

Personagens jogáveis ​​confirmados incluem Link, Princesa Zelda, os Quatro Campeões, Daruk, Mipha, Revali e Urbosa, e a guerreira Sheikah, Impa (a demo só permite jogar com Link, Zelda e Impa). O jogo também terá compatibilidade com as figuras de amiibo da Nintendo, com figuras dos Quatro Campeões sendo relançadas.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity

Os jogadores podem usar recursos para acessar novas áreas, construir armas e cozinhar alimentos que podem ser usados ​​como buffs. As armas neste jogo são invulneráveis ​​e não quebram com o tempo, ao contrário de Breath of the Wild. O mapa é semelhante ao de Breath of the Wild e os jogadores podem escolher estágios e usar a Torre Sheikah para explorar as regiões. Cada região tem mini missões que podem te dar upgrades para armas, aumentar seus combos e itens que são pre-requisitos para liberar novos locais.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Jogabilidade

É uma experiencia nova para quem nunca jogou o primeiro Hyrule Warriors. O demo roda com 60 FPS e senti algumas quedas de frames, mas só quando tinha uma horda de 300 Lizalfos. Não atrapalha a jogabilidade e achei o game bem rápido e envolvente. Se você parar para olhar o cenário, você pode morrer com um ataque do inimigo. E sim, você pode morrer. Diversas vezes eu quis bloquear um ataque ou fazer uma esquiva perfeita só para morrer porque minha vida estava baixa. Se quiser recuperar os seus corações, no meio da fase você pode achar vários itens e maçãs. Apertando L aparece um menu e apertando o botão B consome uma maçã. Cuidado para não gastar todas, porque não são infinitas.

Existe um ferreiro que pode fazer upgrades das armas que você recolheu durante as batalhas. Cada arma tem uma habilidade particular que pode ser forjada junto com sua arma principal, fazendo ela mais forte. Não precisa se preocupar com stamina e nem subir montanhas. Você pode correr Hyrule inteira e nem escorrer uma gota de suor. Ao invés de “subir em”, você vai ter o “pular de”. É uma mecânica nova para te dar mais movimentação para aplicar aqueles combos aeros que vão deixar “Tony Hawk” com inveja.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

A camera pode parecer muito rápido, comparado ao do Breath of the Wild. Você pode mudar dentro do jogo apertando + e logo depois – para entrar no sistema. Vai em options e tem a possibilidade de inverter a camera vertical e horizontal, modificar a velocidade da camera (coloquei em slow e ficou mais natural), mira por controle de movimento, vibração, ligar/desligar as barras de vida (recomendo manter desligado, atrapalha um pouco), ajuda de controle do display, legendas e volumes.

Os controles de movimento, usando os joy-cons originais do Nintendo Switch funcionam muito bem. Mirando para atirar flechas, jogar bombas e usar Magnesis. Eu não tive tanta sorte com os controles da 8bitdo (SF30 Pro) e nem o Pro Controller original do Switch. Não conseguia mirar direito usando o gyro. Testei no BoTW e estavam funcionando bem. Mas como é uma demo, espero que façam um patch para acertar isso.

Nota 9

O Visual e Música

Com cores vibrantes e design polido, o jogo está perfeito. Usei nas resoluções 720p e 1080p e não houve explosão de pixels e nem distorção de imagem. A grama, arvores e até os cabelos dos personagens mexem ao vento. Eu parei de longe para ver um grupo de bokoblins batendo em um soldado e mesmo de uma distancia considerável consegui ver quantos tinham.

A trilha sonora do jogo trouxe a essencia do Breath of the Wild, mas com uma identidade nova. A de um novo jogo e não uma cópia de um game existente. A música nas batalhas te deixa animado. Se sente como guerreiro hylian indo para guerra. Quem gosta de anime, pode colocar a fala em japonês e as legendas em português. O voice acting é muito bom e bem fiel.

O os visuais são lindos e a música envolvente, estou na expectativa para ver o jogo completo.

Nota 10

Korok

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Sim, os koroks estão no game também, eles vão estar escondidos no meio da fase em hyrule warriors. Achando um korok, ele vai te presentear com um korok seed. Não achei nada na Demo sobre o que fazer com elas. Vamos aguardar o jogo completo.

O mapa e dificuldade

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Esse jogo não é de mapa aberto. Ele tem os pontos de batalha e um mapa fixo para você correr e detonar os inimigos. Cada batalha contém uma recomendação de level e as recompensas que vai ganhar para completar sua missão.

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

Eu joguei todos os níveis de dificuldade para te trazer o máximo deste demo. O jogo tem as dificuldades very easy, easy e normal que você pode jogar com os olhos vendados e as duas mão amarrados atrás da cabeça. Agora hard é nível que parece muito com o Breath of the Wild, mas very hard é insano! Esse modo não é para aqueles com problemas de coração. Então escolha com cuidado.

Para fazer tudo no Demo vai levar mais ou menos 1 hora nos níveis mais fáceis, mas se quiser ir com os níveis mais altos, matar todos os inimigos, tentar derrubar o guardião sozinho ou só ficar babando todas os visuais e cut-scenes, vai levar umas 3 a 5 horas horas.

Gostei de usar o mapa, fácil acesso as missões e você não se perde. Os níveis de dificuldade são legais, serve para as crianças, jovens, adultos e os hardcore gamers.

Nota 10

Limitações

[Primeiras Impressões] Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity
(Imagem de Gamplay no Nintendo Switch)

A demonstração só tem o primeiro capítulo liberado para jogar. Quando as missões primárias e secundárias terminarem, falta iniciar os próximos capítulos que conta a história dos quatro guerreiros e suas bestas divinas. Todos bloqueados e se clicar para iniciar as missões, uma mensagem diz que é o final da versão demo e que na versão completa você poderá continuar jogando do save que vai ser carregado para a versão completa.

Pontos Finais

Para uma demonstração de um jogo como esse, eu estava com minhas expectativas bem baixas, mas agora eu estou louco para jogar a versão completa. Existe pequenos acertos que tem que ser feitos, como a queda de frames e os controles de movimento. É um jogo que vai preencher lacunas na história de Breath of the Wild e quem sabe muito mais.

Nota Final 9

Se você não baixou o Demo de Hyrule Warriors: Age of Calamity, o que está esperando? Se sim, deixe seu comentário sobre a sua experiência.