Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Diablo2Resurrected

Diablo 2: Resurrected – Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]

Da criação do universo, a guerra entre, anjos, demônios e humanos.
Da criação do universo, a guerra entre, anjos, demônios e humanos.

Antes de falarmos do Diablo 2 Resurrected, vamos conhecer tudo sobre esse universo fantástico criado a mais de 20 anos.

Diablo é um jogo produzido pela Blizzard North e publicado pela Blizzard Enterteniment no longínquo 31 de Dezembro de 1996. Na história você assume o papel de um aventureiro (dentre as três opções disponíveis no primeiro jogo que deve salvar a pequena cidade de Tristam dos males espalhados pelo Senhor do Terror, Diablo.

Por mais simplória que a história possa parecer, se for contada em duas linhas, Diablo na verdade é uma história muito profunda, que narra guerras antigas e eternas entre o céu e o inferno, até finalmente chegar aos humanos.

Narrada em três jogos (Diablo IV foi anunciado e ao que tudo indica será lançado ainda em 2021, além do jogo mobile Diablo Immortal) e em diversos livros e HQs o universo de Diablo é amplo e repleto de detalhes.

Para que você amigo leitor possa entender um pouco mais desse universo, seja você um novato aventureiro das terras de Santuário, os mesmo um veteranos, devemos voltar anos antes dos acontecimentos do primeiro jogo para entender um pouco melhor o que motivou todo o conflito.

O COMEÇO DE TUDO

No principio de tudo existia apenas uma entidade, Anu, não existia nem universo ou outra criatura além dele. Dentro dele estavam, a luz e a escuridão, a bondade e a maldade, o certo ou o errado… Toda essa dualidade existia pacificamente dentro dessa entidade. O único ser vivente. Mas esse lado, digamos, sombrio de Anu impossibilitava seu principal objetivo, que era de se tornar um ser puro.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Anu

Ele decide retirar tudo que ele considerava ruim e gerava esse conflito tornando-se assim um ser livre e puro. Acontece que esse “lado” que fora desprezado por ele e jogado fora, não sumiu simplesmente e desapareceu. Na verdade ele acabou gerando um novo ser, Tathamet, um dragão de sete cabeças.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Tathamet

Por serem completamente opostos os dois viviam em um eterno conflito que acabou com a destruição de ambos. Essa destruição gerou uma enorme explosão que deu origem ao universo.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Anu x Tathamet

O corpo de Tathamet deu origem ao Inferno Ardente (Burning Hells) ou simplesmente, Inferno. Também deu origem aos demônios. As três cabeças maior poderosas do dragão deram origem aos Males Primordiais (Prime Evils), Diablo (Senhor do Terror), Mephisto (Senhor do Ódio) e Bhaal (Senhor da Destruição). Já as quatro cabeças mais fracas deram origem aos Males menores (Lesser Evils), Andariel (Senhora da Angústia), Duriel (Senhor da Dor), Belial (Senhor das Mentiras) e Azmodan (Senhor do Pecado).

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]

Se o corpo de Tathamet deu origem ao inferno o corpo de Anu deu origem aos Céus e aos anjos. Cinco deles foram criados dando origem ao Conselho Angiris (Angiris Council ). Eram eles Imperius (Arcanjo da Coragem), Tyrael (Arcanjo da Justiça), Auriel (Arcanjo da Esperança), Itherael (Arcanjo do Destino), e Malthael (Arcanjo da Sabedoria).

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Imperius, Auriel, Tyrael, Itherael e Malthael

Além de anjos e demônios o corpo de Anu deu origem a o artefato Olho de Anu que hoje é conhecido como WorldStone. Pedra essa responsável pela criação de mundos que veremos mais a frente no decorrer da história.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Worldstone

A CRIAÇÃO DO SANTUÁRIO

Como visto, o mundo de Diablo, no principio, era dividido em céu e inferno. O céu comandado por 5 arcanjos Auriel, Imperius, Itherael, Malthael, e Tyrael, e o lado do inferno comando pelos três males primordiais, Diablo, Mephisto e Bhaal.

Durante muitas eras, batalhas foram travadas entre céu e inferno com vitórias e derrotas par ambos os lados sem nunca ter um vencedor definitivo. Nenhum dos lados podia se declarar vencedor. Diante desse impasse, Inarius um anjo que servia Tyrael, percebeu que aquele conflito eterno não levaria a lugar algum e traria apenas mais morte e destruição para ambos os lados. Ele saiu a procura de aliados, que assim como ele não aguentassem mais aquele embate. Inarius procurou anjos e demônios dispostos a se unir a ele e finalmente dar vim ao conflito entre Céu e Inferno.

Durante uma das batalhas ele acabou preso, mas foi liberto por Lilith, a filha de Mephisto, que assim como ele não aguentava mais aquela guerra. Os dois acabaram criando uma aliança inesperada, anjo de um lado e demônio de outro. Apaixonados eles se uniram e começaram a reunir seguidores. Junto de seus seguidores Inarius teve acesso a WorldStone e com os poderes dela ele criou um novo mundo que deu o nome de Santuário.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Mapa do Santuário

O casal acabou procriando e dessa relação nasceram os Nephalem, meio anjo, meio demonio. Essa união deu origem a uma criatura tão poderosa que era capaz de superar tanto os poderes dos céus como do inferno.

Inarius começou a ficar preocupado que sua nova prole acabasse se tornando “mais demônio do que anjo” e que isso colocasse o Santuário em risco. O poder era tamanho que um novo conflito poderia chamar a atenção de anjos e demônios que finalmente encontrariam e dariam fim ao Santuário. Primeiramente ele pensou em matar todos os seus “filhos” mas por sua natureza nobre ele decidiu se afastar e refletir melhor qual seria a alternativa mais correta. Lilith ao saber disso e com medo que sua prole fosse exterminada, começou uma matança a qualquer um que se opunha aos Nephalem.

O anjo ao ver o carnificina que sua “amada” estava causando, intervém e consegue derrota-la, mas ao invés de mata-la ele a bane para o Vazio.

Ele então decide utilizar a WorldStone para drenar o poder dos Nephalem, afim de acabar com a ameaça. Depois disso ele supostamente desaparece, mas na verdade continua disfarçado apenas acompanhado a diminuição da força das criaturas até eles se tornarem apenas mortais, humanos.

Após algum tempo alguns sacerdotes que viviam na cidade de Zakarum, começam a flertar com rituais e crenças das trevas e isso acaba revelando, aos três irmãos do inferno, a existência do Santuário. Eles fazem um plano, criar uma nova religião, a Triune, que trouxesse os ingênua humanidade para o seu lado do conflito. Inarius ao perceber o que estava acontecendo, temendo que a humanidade se perdesse e que o céu também localiza-se o Santuário iniciando uma nova guerra, em forma de profeta, cria sua própria religião, a Catedral da Luz (Cathedral of Light), e tenta manter a humanidade longe dos males primordiais.

Um camponês que não havia tomado partido de nenhum um lado, Uldyssian ul-Diomed, vivia sua vida em sua fazenda, mas acaba preso acusado de matar dois missionários, um que fazia parte da Triune e outro da Catedral da Luz, pois sua faca fora encontrada em um dos corpos. Mesmo inocente acabou preso acusado de assassinato.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Uldyssian ul-Diomed

Durante seu tempo na prisão diversos acontecimentos estranhos ocorreram, o que dava indícios dos poderes ocultos de Uldyssian. Uma misteriosa e belíssima mulher aparece, Lylia, que ajuda ele a escapar. Agradecido e ao mesmo tempo encantado com a beleza dela ele promete ajuda-la no que for necessário. Ela passa ensinar magia a Uldyssian e ajuda a liberar todo o seu poder escondido, tornando ele um ser muito poderoso e temido. Decidido a terminar com o conflito das religiões ele e Lylia, que na verdade era a própria Lilith disfarçada, vão a procura da WorldStone, só que ao invés de acabar ou devolver o poder dos Nephalem, ele aumenta o poder deles consideravelmente criando assim um exercito poderoso de seguidores.

Desesperado, o anjo Inarius, tenta fazer um pacto com Diablo para matar Uldyssian e seus seguidores, mas ao fazer isso ele entrega finalmente para o céu a localização do Santuário, um novo conflito estava prestes a eclodir.

Anjos querendo destruir os Nephalem por serem consideradas aberrações, meio anjos e meio demônios, Nephalem tentando proteger o santuário e demônios que queriam usar  o poder do santuário  na guerra contra os anjos.

Uldyssian e Inarius são acorrentados, mas com um poder absurdo Uldyssian consegue se soltar e expulsar tantos anjos como demônios. Ele percebe que a única forma de resolver as coisas era renunciar sua natureza e se fundir ao santuário, criando uma barreira de proteção. A devastação foi total, mas com o tempo o seu sacrifício ajudou a reconstruir o Santuário.

O conselho dos anjos fez uma votação para decidir o que fazer com o Santuário e perante a um impasse na decisão, Tyrael acabou dando o voto que decidiu manter o Santuário e poupar a vida dos humanos. Mas eles deveriam ter suas memorias apagadas para assim ficarem livres do conflito eterno entre céu e inferno e finalmente viverem em paz.

Muito tempo se passou , mas os três males do inferno, continuava achando que a chave de acabar com o conflito céu/inferno eram os humanos. Os 4 demônios inferiores Andariel, Duriel, Belial e Azmodan, acharam que pelos três irmão estarem dando tanta atenção aos humanos estavam deixando de lado a guerra entre o céu e o inferno, então eles bolaram um plano perigoso, mas genial caso funcionasse. Banir os três males maiores para o Santuário, fazendo com que o céu se voltasse contra o Santuário para tentar combate-los deixando assim o céu vulnerável para um ataque fulminante.

Belial e Azmodan conseguem banir os três irmãos maiores, Diablo, Mephisto e Bhaal, juntamente a todos os demônios contrários ao seu plano. Com os líderes fora, começou a briga para ver quem comandaria o inferno. Belial e Azmodan lutaram por muito tempo até os eventos que acontecem em Diablo 3, tamanha foi a batalha travada entre eles. 

Depois da reconstrução do mundo os humanos já não eram tão poderosos e não conseguia fazer frente aos demônios que foram enviados aos Santuário junto dos três irmãos. Eles destruíam e causavam todo o mal que queriam. Um grupo de magos foi criado para aprisionar os três males e destruir seus seguidores. Esse grupo criado pelo arcanjo Tyrael, foi chamado de Horadrim. Usando as pedras SoulStones, ou pedras da alma, eles aprisionaram os três demônios. Durante esse evento, Tal Rasha, um dos magos que deveria prender Bhaal, viu sua SoulStone trincar durante a batalha deixando ela fraca demais para prender o demônio. Tal Rasha usou a pedra no seu próprio corpo para finalmente prender o mal para sempre.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Símbolo dos Horadrim

Os três males foram esquecidos…

DIABLO 1 E A DESTRUIÇÃO DE TRISTAM

Diferente do que imaginavam os Horadrim as Pedras das Almas não eram fortes o suficiente para manter aprisionados os males primordiais. A pedra que aprisionava Diablo começou a ceder e ser corrompida, não aponto dele se libertar mas o suficiente para ele estabelecer o controle mental do rei da região onde ele estava aprisionado, Tristam.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Vila de Tristam – Diablo 1

Rei de Tristam era o Rei Leoric que através das influencias malignas do Senhor do Terror, acabou sendo possuído pelo mesmo. Como estava muito fraco, Diablo não conseguiu possuir o rei por completo, mas essa possessão acabou enlouquecendo Leoric que acabou surtando.

Diablo então voltou sua atenção para arcebispo residente em Kurast e um dos guardiões da pedra da alma que prendia Mephisto, Lazarus, e o convenceu a raptar o filho do rei, Albrecht, que foi levado as profundezas das catacumbas escondidas na catedral de Tristam. Sendo mais puro e inocente que seu pai, ele acabou sendo possuído por Diablo que o obrigou a fincar a pedra da alma que prendia Diablo em sua própria cabeça, fazendo com que ele tomasse posse do corpo do menino e se transformasse na forma quase que perfeita do Senhor do Terror.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Rei Leoric
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Albrecht
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Arcebispo Lazaruz

Ao se dar conta do desaparecimento de seu filho, o rei já louco, ordena que suas tropas matem todos os moradores da vila pois considerava todos responsáveis pelo sumiço do seu filho. Percebendo a loucura de seu rei, um grupo de soldados se rebelou e matou o rei, não antes do próprio Leoric amaldiçoar seus próprios soldados.

Sem liderança o arcebispo Lazarus toma as rédeas da situação e começa a conduzir a população para dentro do covil de uma terrível criatura, THE BUTCHER (O Açougueiro) , e ele dizima uma boa parte da população de Tristam.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
The Butcher

Em decorrência desses eventos a cidade de Tristam vira uma base para demônios e criaturas do inferno que tomaram a cidade e destruíram tudo a sua volta. É nesse cenário que os eventos de Diablo 1 se iniciam.

Aidan, o filho mais velho do rei Leoric, que havia sido enviado por seu pai para combater um outro exército que estava vindo destruir seu reino, tudo isso fruto da imaginação do rei e dos domínios de Diablo em sua mente pois nada disso era verdade, retorna a Tristam depois de sua inexistente missão e encontra um cenário devastador. Tentando juntar informações com os poucos sobreviventes restantes ele une força com algumas pessoas para combater o mal que se instalou na sua vila.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Aidan
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Aidan como o personagem jogável de Diablo 1

Aidan faz uma aliança com dois mercenários, uma arquiera de nome Moreina que fazia parte da Irmandade do olho cego (Sisters of the Sightless Eye) e o feiticeiro Jazreth pertencente ao clã Vizjerei.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Moreina como o personagem jogável de Diablo 1
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Jazreth como o personagem jogável de Diablo 1

Além deles alguns moradores da vila também decidiram ajuda-lo, Adria uma bruxa com grande conhecimento em alquimia que o ajuda com poções de cura e mana. Griswold o ferreiro que o ajuda reparando e vendendo armas e armaduras e também Deckard Cain um importante e sábio membro do Horadrim.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Adria
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Griswold
Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]
Deckard Cain

Apesar da história canônica narrar os acontecimentos atraves da perspectiva de Aidan, no jogo você pode escolher entre um dos três personagens jogáveis, Aidan, Moreina e Jazreth. Como era comum em jogos da época cada personagem tinha suas vantagens e desvantagens.

Aidan o guerreiro, era o mais balanceado dos três, podia usar qualquer tipo de armadura e arma de ataque corpo a corpo, o que o fazia sempre entrar em combate corporal, além de não possuir muita poder em magia.

Moreina a arqueira, não podia usar armaduras pesadas iguais o guerreiro mas usava seu arco para atacar a distância o que diminuía o dano causada a ela quando os inimigos não a alcançassem.

Já Jazreth o feiticeiro, era o mais “frágil” dos três pois possuía pouquíssimos pontos de vida e não podia usar nenhuma armadura. Quase todo dano que ele levava era morte certa, a diferença é que com a sua magia e conforme você evoluía o personagem, tornava ele muito mais poderoso que os outros.

Digamos que esse seria o primeiro esboço do que se tornariam os níveis de dificuldade tão conhecidos nos jogos da serie. Sendo Aidan (Normal), Moreina (Nigthmare) e Jazreth (Hell).

Depois de unirem forças, Aidan decide ir até as catacumbas na Catedral de Tristam para destruir os males e encontrar Diablo para por um fim na sua tirania. As catacumbas possuem um total de 16 níveis, divididos em: A Catedral (The Catedral) níveis 1 ao 4, As Catacumbas (The Catacombs) 5 ao 8, As Cavernas (The Caves) 9 ao 12 e o Inferno (Hell) 13 ao16. Sendo o nível 16 o covil do próprio Diablo que só podia ser acessado após o jogador completar a missão de derrotar o arcebispo Lazarus.

Durante sua aventura o herói vence diversos adversários, incluído o Butcher e até mesmo o esqueleto do Rei Leoric. Após derrotar o arcebispo, Aidan avança para sua derradeira batalha contra o Senhor do Terror. Tendo vencido Diablo ele retira da testa do demônio a pedra da alma enquanto assiste o desfigurado corpo do vilão se transformar no corpo quase sem vida de Albrecht, irmão mais novo de Aidan.

Aidan se vê em um impasse, ele sabe que não pode deixar a pedra que contem a alma de Diablo solta pelo mundo e muito menos destrui-la, então em um momento de bravura e também loucura, ele crava a pedra na sua própria testa esperando ser capaz de conter dentro de si o espirito do Senhor do Terror.

E é exatamente nesse ponto que a história de Diablo 1 termina. Abaixo a cena final do jogo legendada.

Diablo 1 foi lançado tanto para PCs como para Playstation 1 e foi um enorme sucesso. Logo em 1997 uma expansão foi lançada para o jogo chamada de Hellfire que trazia uma nova classe para a aventura, o Monge, mas essa nova aventura não teve o dedo pela Blizzard e foi até mesmo ignorada na história canônica dos jogos. Sendo alvo de críticas por diversos fatores, o principal deles era que o jogo não suportava o acesso a battle.net impossibilitando ser jogado no modo multiplayer, oficialmente.

Diablo 1 ainda carrega consigo muita nostalgia pra quem o rejoga, mas devo admitir, na minha opinião, que foi um jogo que envelheceu mau. Sua mecânica de movimentação, no melhor estilo tabuleiro de xadrez, um espaço por vez, tornou o jogo lento e muitas vezes ingrato a jogadores menos experientes. Os gráficos também estão bem datados e a pequena gama de personagens e história que ocorre em um único cenário, as catacumbas da catedral de Tristam, tornam o fator rejogabilidade bem fraco. Para os mais viciados como eu, é sempre gostoso reviver essas aventuras e enfrentar as hordas em busca de justiça, mas para você que talvez nunca tenha jogado esse clássico, a sua experiência pode não ser tão satisfatória.

Algumas lendas se criaram em torno de Diablo 1, uma inclusive que dizia que era possível acessar um mundo dominado por vacas malignas fortemente armadas prontas para destruir qualquer um que adentrasse em seus domínios e não é que a Blizzard estava atenta as lendas que surgiam a respeito de seu próprio universo.

Diablo 1 com certeza foi um marco na indústria dos jogos e praticamente moldou o gênero de jogos de RPG isométricos, criando não só uma série incrível de jogos, mas também livros, HQs entre outras tantas histórias que moldaram e criaram esse universo tão rico e surpreendente.

Nos próximos dias você conhecerá todos os acontecimentos que quase destruíram o Santuário e corromperam a fortaleza celestial. Nos encontramos na parte 2, A ACENSÃO DOS MALES PRIMORDIAIS.

Diablo 2: Resurrected - Tudo o que você precisa saber antes de jogar [Parte 1]

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Ezequiel Covatti
🕹 Um amante da Nintendo desde os anos 80 👨‍🍳 Chef 📖 Escritor 📚 As Crônicas do Rei 📚 Mestre dos Mestres --> linktr.ee/ezequielcovatti