Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Guia de compra definitivo: Sugestão de como decidir se o jogo que está querendo vai valer ou não a pena

Guia de compra definitivo: Sugestão de como decidir se o jogo que está querendo vai valer ou não a pena


Aposto que você já dedicou alguns bons minutos, horas ou até mesmo dias pensando se vai valer ou não a pena gastar seu suado e rico dinheirinho em um jogo. Ou ainda, está em dúvida entre dois jogos e não sabe qual pegar.

Ajudaremos você a criar uma estratégia para avaliar, dentro das suas preferências, qual é o melhor jogo para comprar.

Dizer que um jogo é caro ou barato quando pensamos apenas em valor de moeda se torna algo muito relativo, de tal forma que, se um jogo tem um preço “salgado” ou não vai depender do seu poder aquisitivo.

Guia de compra definitivo: Sugestão de como decidir se o jogo que está querendo vai valer ou não a pena

O poder aquisitivo não está necessariamente ligado ao quanto você ganha, mas sim sua capacidade de acumular riqueza e adquirir bens, colocando na balança o quanto você ganha comparado ao quanto você gasta.

Por exemplo, se você tem um salário de R$ 2.000,00 com um gasto mensal fixo de 1.000,00, sua capacidade de compra é maior do que uma pessoa com um salário de R$ 5.000,00 com gasto mensal fixo de R$ 4.500,00.

Se a capacidade de compra de cada pessoa é relativa e cada um sabe onde o calo aperta, como podemos precificar se um jogo é caro ou não?

Guia de compra definitivo: Sugestão de como decidir se o jogo que está querendo vai valer ou não a pena

Nossa sugestão é que o jogador visualize o game como um investimento do seu tempo em troca a experiência que o jogo irá lhe proporcionar.

Para poder precificar a hora gasta com lazer, podemos fazer algumas comparações com outras situações que já vivenciamos, como por exemplo, uma viagem de carro ou uma ida ao cinema.

Imaginemos que você está em um carro que gaste 1 litro de gasolina a cada 10km rodados e que o litro da gasolina custa 5 reais. Em uma viagem a uma velocidade de 100km/hora, após uma hora de estrada você terá gasto 50 reais. Se adicionarmos gasto com pedágio e desgaste de veículos o valor só vai aumentar, mas aqui já temos um número de referência.

Assistir um filme no cinema, imaginando que teremos um pacote completo, com pipoca, refrigerante e chocolate, usando a média de valores dos cinemas de São Paulo, fará com que o cinéfilo gaste por volta de 60 reais. Se contarmos com despesas de combustível e estacionamento ou Uber, ida e volta, chegamos a marca de 100 reais para desfrutar de 2 horas de filme.

Em ambos os casos, o valor financeiro que você está investindo na sua “hora de lazer” é de aproximadamente 50 reais.

Se nos dois exemplos acima o custo da hora é de 50 reais, na comparação de valor e tempo, um Zelda BOTW que custa R$300,00, deveria proporcionar 6 horas de jogatina. O mesmo ocorreria com Animal Crossing, Mario Kart ou Smash Bros., todos jogos vendidos ao “preço full” da Nintendo de R$ 300,00.

Porém todos nós sabemos que se 60 horas é pouco para qualquer um desses jogos, quem dirá apenas 6 horas!

Então como podemos precificar nosso tempo em um jogo?

Guia de compra definitivo: Sugestão de como decidir se o jogo que está querendo vai valer ou não a pena


Em um fliperama, uma ficha ou um crédito no cartão da loja pode custar de 2 ou 20 reais, dependendo do jogo e de qual fliperama estamos. Dificilmente essa única ficha fará com que o jogador consiga ficar em frente a tela do fliperama por 1 hora, mas já temos um ponto de partida.

Para trabalhar com o cenário mais coerente possível e eliminar todas as variáveis imagináveis, como o custo da energia elétrica ou o custo do próprio console, vamos estipular que um valor aceitável para o tempo de lazer do game é de 2 reais por hora.

Quando adicionamos o tempo a essa matemática muitas vezes feita apenas por valor financeiro, sua decisão para a escolha de um jogo se torna mais fácil e seu dinheiro muito melhor aproveitado.

Para exemplificar vamos usar dois jogos muito populares do Nintendo Switch, Mario Kart 8 e Super Smash Bros.

Qualquer jogador assíduo dessas franquias pode acumular mais de 500 horas sem nem ver o tempo passar. Se esse é o seu caso, parabéns! Você acabou de fazer um jogo de 300 reais se tornar “barato” já que conseguiu gastar pouco mais de 50 centavos por hora de jogo.

Mas não se engane, as horas acumuladas devem ser adquiridas por diversão e não por obrigação.

O tempo é igual para todo mundo, e não importa se é rico ou pobre, se mora no Brasil ou no Japão, já que o dia tem sempre 24 horas.

Você pode avaliar os jogos do seu interesse, além de assistir game plays e escutar a opinião de outros jogadores, sabendo quanto tempo de game o jogador acumulou com o título que deseja.

Essa visão de tratar o dinheiro como tempo poderá ajudar muito em suas escolhas, inclusive alterar os números de avaliação de parâmetro tempo/dinheiro que melhor se adéque a sua realidade.

Sam Oliveira
Gamer desde o Atari que ganhou dos pais em 89. Modesto colecionador de consoles, motociclista e gateiro. Acredita que os jogos podem criar grandes amizades, somar ensinamentos e despertar nossa capacidade de sermos uma versão melhorada de nós mesmos a cada dia.