Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?

[Entrevista] Do Brasil para a China – uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos

Olá meu povo! Já estava com saudades de vocês. Como vocês estão? Espero que bem 🙂

Hoje temos um convidado muito querido para participar da entrevista. Essa entrevista está cheia de informações bacanas. Acredito que seja um conteúdo válido já que temos um brasileiro dando seu ponto de vista sobre o mercado de games na China.

Project N – Edvan, é um prazer ter você aqui com a gente e gostaria de iniciar essa entrevista com você se apresentando para os nossos leitores.

Edvan – Olá pessoal do Project N! É um prazer estar aqui dando essa entrevista! Gostaria de agradecer ao David Esquivel pelo convite. Meu nome é Edvan Fleury e atualmente moro na China. Trabalho em uma empresa especializada em desenvolvimentos de jogos e possuo um canal no Youtube, onde falo sobre a minha vida, games e outros assuntos.

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos
Edvan Fleury em gravação para o Youtube.

Project N – Sabemos que o mercado de Mobile é muito forte na China. Poderia contextualizar esse cenário?

Edvan – Durante muitos anos a venda legal de consoles na China era proibida, o país fabricava mas não podia vender internamente. Isso abriu as portas para fortalecer o mercado de games de PC e, eventualmente, o de celular. A China possui as melhores tecnologias de celular e é acessível para todos. Desde aparelhos básicos a modelos gamers, Hoje o mercado chinês já investe até mesmo nos aparelhos mais básicos otimizados para jogos porque é incrível o quanto os chineses gostam de usar os celulares para jogar.

Project N – A competição entre as grandes desenvolvedoras de games é bem grande no mercado chinês.  Você acredita que a Nintendo conseguirá ter forte penetração no mercado?

Edvan – Sim, até porque desde 2019 a Nintendo fez uma parceria com a Tencent que é um das maiores empresas de games da China. Essa parceria aconteceu porque o governo exige que empresas internacionais usem uma porcentagem da participação de uma empresa nacional. A Nintendo sempre teve um público forte na China e muitos chineses cresceram com jogos da Nintendo.

Project N – Como a Nintendo é vista na china?

Edvan – Os chineses amam muito a Nintendo. Aqui a Sony e a Nintendo são muito fortes.

Project N – Recentemente conversamos em off sobre um caso em particular envolvendo o uso da E-Shop do Nintendo Switch. Divida essa história com os nossos leitores.

Edvan – Não foi um caso envolvendo a China em sí, mas uma suposta regra da Nintendo que você deve usar a e-shop do país no qual você está sediado. No meu caso, comprei o switch no dia do lançamento e minha edição veio do Japão. Ficamos durante muito tempo sem uma e-shop chinesa e fora que para comprar jogos na China você precisa de um RG chinês e obviamente não tenho. Quando precisei atualizar meu e-mail e ao entrar em contado com o suporte da Nintendo nos EUA fui informado que eu estava indo contra as regras morando na China e usando a e-shop dos EUA. Prontamente perguntei para o atendente: Então a Nintendo está me dizendo que eu teria que esperar a Nintendo abrir as operações na China para eu poder adquiri meu console e não apenas isso como eu deveria virar chinês e pedir do governo um RG apenas para ter autorização para ser um nintendista? Não preciso nem dizer que o atendente mudou de assunto já que essa regra não faz sentido.

Project N – Existem restrições do Nintendo Switch na China?

Edvan – Sim. Os jogos assim como em outras áreas precisam passar por um sistema de classificação (assim como ocorre no EUA, Europa, mercados árabes e Japão por exemplo). Jogos que não atendem aos requisitos do governo podem não estar disponíveis na e-shop da china.

Project N – Como foi o seu primeiro contato com uma IP (intellectual property) da Nintendo ?

Edvan – O Snes foi o meu segundo console e o primeiro meu de verdade, presente dos meus pais. Antes eu usava um Atari que era do meu irmão que já estava na geração PS1. Quando eu tive meu primeiro Snes foi quando conheci o Mario através do Super Mario World.

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos
Dando aquela jogadinha em meio ao break time.

Project N –A Nintendo está  mirando no mercado Mobile chinês com o game Pokémon UNITE que será lançado ainda este ano. Como a Nintendo junto a Tencent tem promovido ações de marketing para a divulgação do jogo?

Edvan – A divulgação da Nintendo é “pesada” agora na China (em comparação com a Sony e a Microsoft). Há bastante propagandas no metrô e demais transporte coletivos mas nada em especifico para a IP Pokémon. Ainda tá muito cedo para jogar peças de publicidade para esse jogo. Acredito que se ele for lançado na China junto com os demais locais, a divulgação só comece alguns poucos dias antes do lançamento. O que eu vejo é que no geral a divulgação da Nintendo na China ainda tá bem tímida. Há propagandas sim, mas nada muito “too much” como você vê por exemplo com os aparelhos da Xiaomi. Poderia ser mais.

Project N – Falamos anteriormente que o mercado mobile é forte na China e sabemos que jogos do gênero FPS tem grande força no seguimento gamer. O gênero RPG é muito forte no Japão, na China também existe esse mercado ?

Edvan – Sim. A China tem mercado para todos os gêneros, inclusive, RPG. A China já tem suas próprias IPs e estúdios só para esse gênero, os CRPG (Computer Role Playing Game).

Project N – O lançamento de Animal Crossing no ano passado fez com que o Nintendo Switch vendesse números estratosféricos! Muitos consideram Animal Crossing New Horizons como o jogo de 2020. Como foi a repercussão dessa IP na China, visto que a Nintendo já havia firmado parceria para a comercialização de jogos e consoles?  Gostaria que você falasse um pouco sobre a problemática envolvendo o Animal Crossing New Horizons em Hong-Kong.

Edvan – Muitas pessoas de Hong-Kong aproveitaram o Animal Crossing para criar ilhas e apoiar os atos de democracia. O governo de Beijing não gostou desse ato virtual e mandou fechar as vendas de Animal Crossing no território chinês. Eu tentei comprar a mídia física e legalmente não tinha, mas com jeitinho e perguntando na loja certa, você consegue comprar. Eu Não sei se isso impactou as vendas do AC na china porque quem quis comprar com certeza usou lojas do exterior. Importar um jogo não é um absurdo igual no Brasil. A receptividade de Animal Crossing na China foi MUITO boa!

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos
A caminho da desenvolvedora de games.

Project N – The Legend of Zelda é uma franquia amada e respeitada no universo gamer, porém sabemos que é bem mais famosa no Ocidente. Devido a não representatividade oficial da Nintendo na China por tantos anos, gostaria de saber se essa franquia em especial é “conhecida” na China?

Edvan – Com certeza!!! Zelda e Mario são as franquias mais populares na China da Nintendo.

Project N – Genshin Impact surgiu no ano passado rompendo vários estigmas de jogos free to play e com sistema gatcha. Muitos achavam que o game até concorreria como game do ano no The Game Awards, o que não aconteceu. Essa nova IP possui grande relevância no mercado chinês ou se tornou algo mais Ocidental?

Edvan – GI tornou-se uma franquia muito importante na China. É absurdo vê a quantidade de pessoas jogando no metrô e na parada de ônibus.

Project N – Qual a dica que você pode dar para quem quer entrar no mercado de games na china e como é a sua rotina de trabalho?

Edvan – a minha rotina é bem puxada pq além de trabalhar em uma empresa de games fazendo mil e uma coisas, tenho um canal no YouTube. Isso ocupa a minha vida integralmente. Entrar no mercado de jogos como um emprego é complicado pq ainda vai muita da indicação. Eu passei muitos anos tentando entrar mas nunca tive um nome forte para ser indicado para uma empresa. Como eu já trabalhava com tradução a minha alternativa foi me envolver com projetos de tradução envolvendo jogos e assim iniciar no mercado de jogos.

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos
Edvan em um dia de trabalho numa empresa de desenvolvimento de jogos.

Project N – Você possui um canal sobre a sua vida na China e dentre tantos materiais incríveis que você produz, uma das ações mais amadas pelos fãs são as gameplays. Você percebe uma diferença entre o público asiático para o brasileiro?

Edvan Sim, há muitas diferenças. Os jogadores asiáticos são mais “nervosos e impacientes” quando você é novato no rank kkkkkk é terrível. Mas eu tbm noto que eles são mais flexíveis quando percebem que eu sou estrangeiro. Meus amigos asiáticos geralmente preferem jogar nos servidores da Europa ou dos EUA pq o nível dos jogadores é menos competitivo.

[Entrevista] Do Brasil para a China - uma entrevista com Edvan Fleury, youtuber e desenvolvedor de jogos
Lendo comentários de inscritos.

Project N – Quais as suas redes sociais para contato?

Edvan – Instagram: beijingboy. YouTube: edvan fleury. Só jogar meu nome edvan fleury que você me acha nas redes sociais kkkkkk

Project N – Gostaria de deixar uma mensagem para os nossos leitores?

Edvan – Já que estamos em um momento de isolamento no Brasil eu gostaria de sugerir dar uma chance para os jogos antigos da Nintendo. Recentemente revistei Breath of fire 2 e estou amando voltar a época do jogo que eu comecei quando era criança.

Obrigado a todos vocês que leram mais essa entrevista feita com muito carinho!

Espero vê-los na próxima 🙂

Aqui é o David Esquivel e foi um prazer ter a sua presença.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

David Esquivel
Carioca cheio de energia que começa mil jogos ao mesmo tempo e depois se pergunta: como eu vim parar aqui nesse RPG? Instagram: @david.o.esquivel Twitter: @David_Holiver