Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Jars - Se Plants vs. Zombies fosse do Tim Burton

Jars – Se Plants vs. Zombies fosse do Tim Burton

Quebre os jarros e proteja os sarcófagos. E no meio disso tente resolver o mistério da sua família e descobrir porque o Drácula está em seu porão!

Jogos tim-burtonescos não são mais novidades, sõ aqui a gente já analisou alguns deles como DARQ e Tohu. E mesmo que tragam esse elemento em comum, cada um consegue ter sua individualidade e identidade, na maioria das vezes, claro. E é também o caso de Jars, da publisher Daedalic Entertainment e da desenvolvedora Mousetrap Games, um puzzle estratégico e tower defense que praticamente é uma versão de como seria Plants vs. Zombies nas mãos do excêntrico diretor.

Jarras do Porão

O elemento cartunesco de Tim Burton está muito presente em Jars, que traz uma arte toda desenhada a mão, com personagens carismáticos tanto quanto estranhos e um tom sépia característico. Você se junta ao protagonista Victor que decide descer aos porões de sua casa e deve proteger sarcófagos e baús enquanto quebra todas as jarras do lugar que escondem todo o tipo de criaturas, de felizes ajudantes a pragas nojentas que querem destruir as coisas a todo o custo.

Em busca de páginas perdidas de um livro, solucionar mistérios e entender porque tem um vampiro em seu porão, Victor vai quebrar muitas jarras e derrotas todos os tipos de criaturas, uma mais esquisita que a outra. Com estratégia e pensamento rápido, você deve ajudar Victor nessa empreitada medonha nesse mundo excêntrico.

Jars - Se Plants vs. Zombies fosse do Tim Burton

Moscas e Ratos

Sua missão é simples. Ao quebrar uma jarra ela pode conter um personagem que vai te ajudar, um oponente asqueroso, ou itens para te ajudar a limpar todas as pragas. Enquanto você quebra as jarras e solta os parceiros e inimigos você deve montar sua estratégia, usar os itens que acha necessário, colocar os ajudantes nos locais em que você acha certo para poder proteger cada sarcófago e até máquinas de energia.

Mas esse tower defense não é simples como parece, diferente da contraparte de um jogo que se assemelha, que seria o Plants vs. Zombies, aqui os sarcófagos a serem protegidos aparecem em pontos aleatórios da fase e assim você deve protegê-los. Com o tempo você também desbloqueia power-up para cada bicho aliado para que eles andem um pouco mais rápido, curem outros, deixem oponentes mais lentos, entre outras habilidades. A única questão com tais power-up é que a tela de seleção e disposição deles pode ser um pouco confusa, cada power-up tem um formato e cada animal aliado tem certos formatos de power-up possíveis para adicionar. Se você adiciona um power-up de tal forma em um, para colocar em outro aliado em outra partida deve primeiro tirar daquele para incluir no outro, o jogo devia retirar os power-ups de aliados que você não usará na partida para assim você poder usar em outros. Claro que há quem vai preferir montar seus bichos e mantê-los com eles, mas seria interessante ter a opção.

Cada fase também pode requerer alguns aliados específicos, e é necessário estudar a movimentação e habilidades de cada um, aliados e inimigos, para montar sua melhor estratégia. Há inimigos que são mais fáceis, há aliados que voam entre os espaços da fase, há alguns que ficam parados, há inimigos que explodem. Existe uma variedade de monstros para você se acostumar e entender a fim de conseguir passar por cada fase, que por si só também trazem dificuldades e testes labirínticos. O jogo ainda faz uso da tela touch em determinados momentos, principalmente na gameplay e isso é muito legal para quem gosta de jogar no portátil.

Uma Aventura Sombria

Jars traz uma ideia simples, envolta em uma arte bem trabalhada, com até uma trilha sonora que parece uma versão tim-burtonesca da música de Plants vs. Zombies com um que de Família Addams, mas que não cansa ao evoluir suas mecânicas para algo mais complexo e estratégico. A história é contada de forma sutil, em pequenas tiras cartunescas com Victor e suas aventuras pelo porão.

Por R$74,99 (ou R$59,99 na promoção) o jogo te envolve em um belo e excêntrico mundo, com uma gameplay e mecânica de quebra-cabeça bem apresentada e boa de jogar, com muitas fases e conteúdo para gastar um bom tempo quebrando jarras e matando insetos. É um puzzle sombrio e alegre que traz a estética da Família Addams para um jogo casual ótimo para adoradores do gênero. Claro que não é o próximo Plants vs. Zombies, mas tem seu belo charme e um bom tempo de jogatina.

Jars
8.6 / 10 Nota Final
Prós
- Arte, música e ambientação incríveis
- Tower defense desafiador e interessante
- Mecânica simples e avança com bom ritmo
Contras
- Por vezes confuso
- Poderia ter algumas facilidades, como nas seleções de power-ups
Resumo
Jars apresenta um tower defense carismático e excêntrico, com uma arte peculiar e personagens divertidos. Cheio de conteúdo, só peca por não ser um pouquinho mais amigável com certas mecânicas.
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[Nota do Editor: Jars foi analisado a partir da sua versão para Nintendo Switch. A cópia do jogo foi gentilmente cedida pela Evolve PR.]


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]