Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
knockout city

Knockout City – Prepare-se para ser arremessado!

Knockout City chama atenção por sua inovação, misturando um jogo de queimada com elementos já conhecidos por jogadores competitivos. Com uma boa diversidade de modos de jogo e tipos de bola, a diversão é garantida.

A Velan Studios surpreendeu a todos com a proposta de Mario Kart Live: Home Circuit e não seria diferente com seu segundo jogo. Em um mundo repleto de competitivos que envolvem tiro e muita ação, o estúdio resolveu inovar ao reinventar o clássico jogo de queimada, agora em formato digital para os videogames. E estão conseguindo fazer isso com bastante qualidade até agora.

Knockout City é o nono jogo a ser lançado com a distribuição da EA Originals, que dá suporte e publica jogos independentes, e o primeiro multiplayer competitivo do selo.

Knockout City - Prepare-se para ser arremessado!

Quando o passado encontra o presente

A escolha artística do jogo é bem divertida. Todos os personagens – chamados de combatentes – tem feições mal-humoradas e até mesmo irônicas, o que remete aos valentões dos desenhos animados, visto que todo o jogo procura passar essa estética esportiva colegial.

O jogo oferece uma espécie de lobby dinâmico – ao qual é chamado de “esconderijo” – onde os jogadores podem treinar enquanto esperam a partida ser encontrada. No esconderijo é possível personalizar o seu combatente, modificando expressões faciais, roupas, cores e diversos outros itens, que podemos ganhar conforme vencemos partidas e subimos de nível ou podemos comprar na loja de combate com nossos pontos.

Nos cenários, podemos observar alguns elementos bem interessantes que procuram misturar os estilos vintage e futurista. Por exemplo carros voadores, robôs, luzes com cores chamativas, lanchonetes e muito mais.

Knockout City - Prepare-se para ser arremessado!

A verdadeira Cidade do Nocaute

As regras básicas do jogo são bem simples: em seu modo padrão chamado “Nocaute de Time”, duas equipes de três jogadores devem se enfrentar em um jogo de queimada onde cada combatente possui dois pontos de vida. Se levar dano perde um ponto, e se perder os dois, significa que levou um nocaute. Cada nocaute conta um ponto para o time, e ao chegar em 10 pontos, o jogo acaba e aquele com mais pontos é o vencedor.

Na primeira temporada do game, além do modo básico, foram lançados mais três modos:

– Cata-moedas: Nesse modo existem oito moedas espalhadas pelo mapa. Cada combatente pode recolher no máximo três. O primeiro time que acumular oito moedas, é o vencedor.

– Nocaute caótico: é o famoso “cada um por si”. Nesse modo, não existem times e o primeiro jogador que completar 10 nocautes é o vencedor.

– Combate de vira-bola: Esse modo é jogado com quatro jogadores por time, porém não existem bolas no mapa. É aqui que a mecânica de virar bola é realmente colocada em prática. Os combatentes precisam virar bola constantemente para que os outros consigam realizar nocautes.

Os modos são substituídos depois de um intervalo de tempo, com exceção do modo básico, então aproveite!

Existe um sistema de partidas ranqueadas, chamado de “Partidas da Liga”, onde o jogador pode ganhar ou perder níveis para receber recompensas compatíveis ao final da temporada. Infelizmente tive alguns problemas nas partidas da liga com jogadores ausentes durante o jogo ou até mesmo lags que tornaram quase impossível de jogar, me prejudicando ao final na contagem de pontos.

Com exceção do modo “Combate de vira-bola”, todos os modos contam com seis tipos de bolas que aparecem randomicamente em cada partida. São elas:

Bola comum: A bola padrão do jogo. Sem efeitos especiais, ela permite que o jogador carregue nos gatilhos do controle a força com que deseja realizar seus arremessos;

Multi-bola: Funciona como a bola comum, mas a cada vez que você pega a multi-bola, você tem direito a três arremessos sem precisar correr atrás de outras bolas. Porém, se você for atingido, as bolas caem no chão e ficam disponíveis para serem resgatadas por alguns segundos antes de sumirem;

Bola de precisão: Como o nome sugere, funciona como um rifle de precisão, permitindo que o combatente arremesse a uma grande distância e com grande velocidade;

Bola Lunar: Modifica a gravidade do combatente em posse da bola. Com a bola lunar em mãos, o combatente fica mais lento e pode dar pulos de maior altura. A velocidade da bola também é mais lenta do que de costume;

Bola prisão: Ao acertar um combatente com a bola prisão, ele fica aprisionado dentro da bola. Cuidado para não atingir os companheiros de time!

Bola explosiva: Ao pegar essa bola na mão, um contador sonoro é ativado. Ao final do contador, a bola explode causando dano em quem estiver no alcance, inclusive o combatente com a posse;

Virar bola: Como já citei anteriormente no modo “Combate de vira-bola”, os próprios combatentes podem virar uma bola para serem arremessados. É uma mecânica bem útil quando o mapa é grande e as bolas estão muito espalhadas. Ao carregar outro combatente nas mãos com o botão de arremesso, ele pode virar uma bomba, mirar e acertar jogadores no chão causando nocaute instantâneo.

Knockout City - Prepare-se para ser arremessado!

Não é um simples jogo de queimada

Em Knockout City, a estratégia dos jogadores faz total diferença. Assim como na maioria dos jogos multiplayer competitivos, o jogo exige trabalho em equipe, habilidade, treino e comunicação. O equilíbrio entre esses pontos é a receita ideal para vencer as partidas, seja nas partidas de rua ou nas partidas da liga.

Knockout City - Prepare-se para ser arremessado!

O caminho pela frente

Knockout City teve um lançamento bem recebido pelos jogadores, mas como todo jogo multiplayer, tem alguns problemas. Dentre os que encontrei e que prejudicaram o gameplay, posso citar os servidores de jogo instáveis nos primeiros dias, tendo muito lag dentro das partidas e até mesmo no esconderijo, e a falta de cuidado ao balancear partidas da liga. Algumas vezes caí contra times de ranking muito maiores do que o meu, o que me prejudicou na contagem final de pontos.

Vale a Pena?

Confesso que quando Knockout City foi anunciado, fiquei com a impressão de que seria mais um multiplayer no meio de tantos e que não chamaria tanta a atenção. Após jogar a Beta do jogo, minha opinião mudou completamente.

O jogo me ganhou com sua criatividade ao converter um simples jogo de queimada em uma competição eletrizante. Knockout City tem tudo para ser um ótimo multiplayer competitivo daqui pra frente: partidas bem estruturadas, diversidade de ações e efeitos, estratégias de jogo e o principal: muita diversão. Basta os desenvolvedores darem a atenção necessária ao jogo, corrigirem os erros existentes e estarem sempre atualizando o conteúdo com novas temporadas, que o jogo se tornará um sucesso sem dúvidas.

Knockout City - Prepare-se para ser arremessado!

Então sim, Knockout City vale a pena ser jogado e é gratuito para testar até atingir o nível 25 de reputação. Após esse período, o jogo está custando R$ 99,00 na eShop brasileira.

Knockout City
8.4 / 10 Nota Final
Prós
- Divertido e dinâmico
- Mecânicas simples e intuitivas
- Variedade de modos de jogo
Contras
- Bugs que comprometem o gameplay
- Problemas de conexão
- Poucos mapas e rotatividade entre eles
Resumo
Knockout City chama atenção por sua inovação, misturando um jogo de queimada com elementos já conhecidos por jogadores competitivos. Com uma boa diversidade de modos de jogo e tipos de bola, a diversão é garantida. Infelizmente ainda existem alguns problemas na primeira temporada do jogo, mas ainda assim vale a pena conhecer.
Design
Trilha Sonora
Diversão
Gameplay
Custo x Benefício

[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

Vinicius Szabo
Olá, eu sou o Vinicius! Sou game designer, streamer na Twitch e tenho um canal no Youtube. Gosto de jogar de tudo e meu jogo favorito da Nintendo é o clássico Super Mario World.