Ei Nintendista! Já ouviu o último episódio do nosso podcast?
Super Mario Bros. Easy Mode?

Super Mario Bros. Easy Mode?

Oi. Tudo bem? Como vai ser o seu fim de semana? Espero que seja tranquilo e tão divertido quanto ver alguém jogar qualquer jogo do Super Mario pela primeira vez ou assistir uma pessoa sem a menor habilidade jogar várias vezes e morrer das formas mais fantásticas e incompreensíveis no mundo dos games. De tanto presenciar essas presepadas virtuais e cair na maior gargalhada com essas mortes acabou surgindo aqui em casa o termo “Super Mario Killer” para identificar aqueles gamers mais esforçados e ainda sim os maiores assassinos do nosso querido encanador bigodudo.

Super Mario Bros. Easy Mode?

O primeiro Gumba do mundo 1-1 já entrou pra história como o maior assassino de novatos em qualquer jogo eletrônico conhecido. O primeiro inimigo, a primeira ameaça e a primeira lição: pule e mate antes que eles matem você. Depois disso vem muito mais “pule e corra, pule e corra” até que o jogo termine. Eu sei que simplifiquei demais um jogo que muitas pessoas jogaram, porém nunca chegaram ao final, e mesmo assim tiveram horas de diversão. “Super Mario Killers” que passavam os controles assim que o assassinato fosse concluído. As vezes alguém chegava mais longe, mas a morte era inevitável.

Super Mario Bros. Easy Mode?

Não lembro de ninguém pedir por um “modo easy” no Super Mario Bros, Battletoads, Double Dragon, Ninja Gaiden, Tartarugas Ninja, Megaman, Metroid, Contra, Galaga, Castlevania, Kid Icarus, Final Fantasy ou no Ballon Fight. Muitos desses eram desafiados sem manual ou qualquer aviso prévio, só você, o controle, a cara e a coragem. Tentativa e erro. Morreu passa a vez, ou engole o choro e tenta de novo. Tenta de novo e até conseguir. Ou desiste e vai jogar outra coisa. Assumir a derrota e partir pra outra aventura faz parte da vida também.

Super Mario Bros. Easy Mode?

Esse é um ponto muito importante pra qualquer jogador de qualquer coisa nesse mundo. Assumir que não sabe jogar, ou que aquele jogo não é pra você, também faz parte da vida. Já vi muitas pessoas deixarem de jogar basquete pois as regras são chatas demais. E foram jogar vôlei ou futebol. Não pediram pra mudar as regras ou pra mudar a dificuldade. Apenas foram jogar outra coisa. Qual o problema de assumir que o Dark Souls Remastered do Switch é muita areia pro seu caminhão e sua vida está completa e feliz com Animal Crossing e Pokémon? Existe uma gama quase infinita de jogos no catálogo da Nintendo dos últimos 40 anos. Jogos muito fáceis e muito difíceis. Jogos que agradam e desagradam dependendo da sua afinidade com eles. Portanto, não existe problema nenhum em dizer que em alguns (ou muitos) a sua habilidade é insuficiente, assumindo a própria limitação e dando Start em outra coisa.

Super Mario Bros. Easy Mode?

Ah, Nersito mas e a acessibilidade? Mais pessoas podem ter acesso ao jogo, mais pessoas podem curtir a aventura, mais pessoas terão a experiência do game curtindo um “modo easy” pela estória.

Será mesmo?

Peguemos Hollow Knight como exemplo. O jogo é conhecido por sua extrema dificuldade, poucas indicações de direção e quase nenhuma ajuda ao jogador (assim como todos os jogos do terceiro parágrafo). Foi desenvolvido dessa forma justamente para que o jogador se sinta perdido e aprenda com seus erros morrendo “milhares” de vezes. Os desenvolvedores arquitetaram e criaram essa experiência pensando no processo e na curva de aprendizagem dentro de cada fase e desafio. Uma obra fechada e entregue. Correto?

Super Mario Bros. Easy Mode?

Seria a mesma obra e experiência se Hollow Knight tivesse um “Easy Mode“? Teria a mesma profundidade, peso e valor caso o “Boss” morresse com dois golpes e sem atacar? Qual seria a satisfação do jogador ao ver facilitada a sua vitória? Os gamers iam gostar de ser tratados como “café com leite” apenas para “assistir” a estória? Quem aí não se viu ainda mais desafiado ao morrer pela centésima vez e ler na tela se queria um modo mais fácil? Quer abaixar a dificuldade, seu mané? Quem não viu isso como uma chacota e pegou mais firme no controle até passar da fase em questão? Imagina se a moda de pedir easy mode se espalha pra filmes, livros e outras coisas da vida? Eu com certeza quero um easy mode pra abrir o pote de azeitona ou dar banho no gato.

Super Mario Bros. Easy Mode?

Tá difícil o joguinho, se esforce mais. Não gostou, troca de jogo e vai curtir outro. Não custa nada lembra que os videogames foram criados pra isso: diversão. Se tá chato, muito cruel ou irritante é só desligar ou mudar o jogo. Vai dar uma volta, deixa o jogo quieto e lá na frente em outro momento você volta e tenta de novo. Aceita a derrota e aprende com ela. Perder é parte da vida e dos games, assim como aprender, desistir ou recomeçar. Tem jogo pra todo mundo, quem sabe você ainda não achou o seu.

Força para mudar, coragem para aceitar e sabedoria para saber a diferença.

Bom fim de semana a todos e fiquem bem.


[A coluna acima reflete a opinião do redator e não do portal Project N]

@Nersito
Nerd, nostálgico, pai e professor. Reclamador profissional com PHD em Harvard. Conheço o Mario, e daí? Assopra a fita e bora jogar! Canal Noobice Total, no Youtube!!!